🐪 Venha conhecer Marrocos « Viagem de grupo 7 dias por 430 Euros » Marrakech até Deserto do Saara 🐪

Visitar Melbourne, Guia de Viagem – Dicas, Roteiros, Mapas, Fotos

João Leitão
Actualizado em 9 Julho, 2018

Quer visitar Melbourne?

VISITAR MELBOURNE

VISITAR MELBOURNE

Guia de Viagem a Melbourne

Melbourne é a segunda cidade mais populosa da Austrália, com números muito próximos de Sydney, contando com quase cinco milhões de habitantes. Foi fundada em 1835, perto da ponta sudeste da Austrália, e o seu nome foi escolhido para honrar William Lamb, visconde de Melbourne, na altura o Primeiro-ministro de Inglaterra. Cresceu abraçando a ampla baía de Port Phillip, que a moldou. É considerada a capital cultural do país, com inúmeros edifícios da era Vitoriana e uma fervilhante actividade cultural. É também uma cidade moderna, cujas modernas torres se erguem no céu (cinco dos dez edifícios mais altos da Austrália encontram-se em Melbourne). Os apreciadores da Natureza podem usar Melbourne para explorar os parques naturais que se encontram em seu redor e o melhor local para observar aves em todo o país localiza-se nos arredores da cidade. Visitar a Austrália e não passar por Melbourne, é deixar para trás um destino importante que vale a pena conhecer.

Nesta página você encontra:

  • Visitar Melbourne – o mais importante a saber
  • Dicas rápidas para Melbourne
  • Vídeo com imagens aéreas de Melbourne
  • Os 16 Melhores Locais de Melbourne
  • O que visitar em Melbourne
  • Mapa dos Monumentos de Melbourne
  • Mapa do Metro de Melbourne
  • Fotos de Melbourne
  • Alojamento em Melbourne
  • Alugar carro em Melbourne
  • Celebrações e Feriados em Melbourne
  • Roteiros em Melbourne: 1 dia, 2 dias, 3 dias

Visitar Melbourne – O importante a saber

MELBOURNE, AUSTRÁLIA

MELBOURNE, AUSTRÁLIA

A cidade é dividida a meio pelo Rio Yarra e na margem sul fica a zona mais turística Southbank, repleta de restaurantes e outras infra-estruturas preparadas para acolher os muitos turistas. No centro da cidade podemos subir às Rialto Towers que têm um piso que serve de miradouro, para uma experiência Melbourne 360º.

Um passeio pelo centro da cidade irá surpreendê-lo com a simbiose perfeita entre novo e antigo, edifícios modernos ao lado de edifícios Vitorianos. Para ajudar a percorrer os pontos principais há um elétrico (trem) gratuito que percorre as ruas do centro e que pode utilizar entrando e saindo as vezes que quiser. Alguns dos edifícios antigos a não perder ficam na Federation Square, como a Catedral de São Paulo (St. Paul Cathedral) e a bonita estação Flinders Street Station.

Dicas rápidas para Melbourne:

  • Acorde cedo e seja o primeiro a entrar nos monumentos, museus ou outros locais de interesse
  • Suba ao Eureka Skydeck – a melhor vista da cidade
  • Faça uma free walking tour
  • A partir de Melbourne poderá fazer várias excursões sendo as mais famosas a Grand Ocean Road, o Grampians Park, e os pinguins na Phillip Island
GUIA DE VIAGEM MELBOURNE

GUIA DE VIAGEM MELBOURNE

Para saber quando ir a Melbourne você precisa de se informar um pouco melhor acerca das suas estações e clima. A melhor altura para visitar Melbourne é entre os meses de Setembro e Março.

Vídeo com imagens aéreas de Melbourne

Vídeo muito bom para podermos ver as diferentes partes turísticas desta cidade.

Os 18 Melhores Locais de Melbourne
  1. Jardim Botânico
  2. Praça Federation
  3. Queen Victoria Market
  4. Galeria Nacional de Victoria
  5. Estação da Flinders Street
  6. Rochedo do Elefante
  7. Edifício da Exposição Real
  8. Santuário da Lembrança
  9. Museu de Melbourne
  10. Torre Eureka
  11. Biblioteca Estatal de Victória
  12. Catedral de São Paulo
  13. Melbourne Star
  14. Catedral de São Patrício
  15. Praia Saint Kilda Beach
  16. Casa de campo de Captain Cook
  17. Câmara Municipal – Town Hall
  18. Fitzroy Gardens

O que visitar em Melbourne

MELBOURNE

MELBOURNE

Melbourne na Austrália tem imenso para ver, por isso é conveniente organizar um pouco a sua visita para conseguir ver o máximo possível, de forma mais organizada, contribuindo assim para usufruir de umas férias mais proveitosas.

1- Jardim Botânico

O Jardim Botânico de Melbourne foi estabelecido em 1846 num local escolhido pelo governador, Charles La Trobe. Por essa altura não havia muito para ver, mas uma série de brilhantes directores fizeram deste jardim botânico um dos melhores do planeta. Em 1857 Ferdinand von Mueller, que se tornaria um dos mais brilhantes botânicos do mundo foi apontado para dirigir o jardim. Estabeleceu ali o centro científico, construiu o The National Herbarium of Victoria e obteve espécies vegetais vindas dos quatro cantos do mundo. Em 1873 William Guilfoyle, e vinha decidido a consolidar o trabalho do seu antecessor. Trabalhou no arranjo dos diversos espaços do Jardim, criando uma série de conjuntos segundo os mais modernos princípios de paisagística. O Jardim é propriedade do povo de Melbourne, sendo administrado pelo Royal Botanic Gardens Board. Está aberto ao público sendo a entrada gratuita. São organizados espectáculos com frequência.

2- Praça Federation

A Praça Federation é o centro de Melbourne, o local onde as pessoas vão para se encontrar, para se divertir, para se entreter. Tem uma área de 3,2 hectares, e distribui-se por três secções distintas: St. Paul’s Court, The Square e The Atrium. A praça tal como a vemos hoje foi inaugurada em 2002, tendo-se tornado um êxito. Calcula-se que é visitada por 10 milhões de pessoas todos os anos e são ali organizados mais de dois mil eventos por ano, incluindo concertos, mercados, actividades desportivas e projecções de filmes. O seu piso é notável, feito de pedra calcária com nuances de cor, trazida de Kimberley, na Austrália Ocidental. Existe um centro de visitantes e são organizadas tours à praça todas as manhãs. Existem na praça inúmeros restaurantes, cafés e pólos culturais, com destaque para o Australian Centre for the Moving Image, o The Ian Potter Centre e o The Atrium.

3- Queen Victoria Market

Este mercado, assim chamado pela sua localização junto à rua Queen Victoria, é também conhecido como Vic Market ou Queen Vic. Foi criado em 1878, no local onde existia um cemitério, o que implicou a exumação de quase mil corpos. Resistiu à década de 60 do século XX, quando os outros dois mercados existentes na área central de Melbourne encerraram e foram revelados planos para transformar a sua área num imenso parque para automóveis. Mas a oposição pública foi enérgica e o mercado sobreviveu, tornando-se um marco incontornável na cidade. É um dos maiores mercados ao ar livre do mundo, com sete hectares. Encerra às Segundas e Quartas-feiras (neste dia, durante o Verão, existe um mercado nocturno). Aos Domingos o local torna-se um local de festa pública, com muitos artistas de rua a animarem os visitantes. Existem tours guiadas.

4- Galeria Nacional de Victoria

Este museu de arte foi fundado em 1861, sendo o maior e mais visitado do seu género na Austrália. Está dividido entre duas localizações: o NGV Internacional onde estão expostas as peças de autores internacionais, na estrada de St. Kilda, e o Ian Potter Centre, dedicado à colecção de artistas australianos, localizado na Praça Federação. O primeiro abriu na sua actual localização em 2003, num complexo desenhado pelo arquitecto italiano Mario Bellini, tendo expostas telas de autores tão famosos como Cézanne, El Greco, Modigliani, Monet, Picasso, Pissarro, Rembrandt, Renoir, entre outros. O Ian Potter Centre abriu aquando da inauguração da Praça Federação, em 2002. A entrada para as galerias é livre, excepto em situações extraordinárias.

5- Estação da Flinders Street

Se estiver em Melbourne e alguém combinar consigo um encontro “sob os relógios”, é aqui que deve vir ter. Esta é a estação ferroviária mais activa do Hemisfério Sul, com 1500 comboios a movimentarem-se diariamente. A sua origem remonta a 1854, quando aqui se encontravam uma série de barracões que davam apoio a uma plataforma com 30 metros. Em 1882 foi decidido dotar Melbourne com uma estação ferroviária monumental e em 1899 foi escolhido um plano de que propunha um edifício em estilo Renascentista Francês, com uma cúpula e uma torre de relógio. Os trabalhos iniciaram-se em 1900 e em 1909 a nova estação estava concluída. Nos anos 60 e 70 o edifício começou a mostrar sinais de decadência e surgiram ideias para a sua demolição ou alteração completa. Vários projectos surgiram e foram colocados de lado e a situação manteve-se até agora. Em 2017 iniciaram-se profundas obras de renovação que respeitarão a estrutura.

6- Catedral de São Paulo

No local onde se ergue hoje a Catedral de São Paulo existia um mercado de milho em 1836. Foi aí que o Dr. Alexander Thomson ofereceu os primeiros serviços cristãos para a população crescente da localidade. No mesmo sitio construiu-se entre 1848 e 1852 uma primeira igreja Anglicana, que contudo não teve uma vida longa: três anos depois foi demolida para dar lugar à catedral, desenhada por William Butterfield num estilo Gótico de Transição. Esta foi terminada em 1891, mas sem as três torres que hoje lhe são características, Estas foram adicionadas em 1926, fugindo ao plano inicial de uma só torre octogonal. A sua torre central é a segunda mais alta em igrejas Anglicanas em redor do mundo, a seguir à de Salisbúria. Desde a sua construção a catedral sofreu obras de manutenção nos anos 60 e em 2009, e o seu magnífico órgão foi restaurado em 1989.

7- Torre Eureka

Esta torre é o edifício mais alto de Melbourne, com quase 300 metros. Foi construído entre 2002 e 2006, segundo os planos da firma Fender Katsalidis Architects e com a execução a cargo da Grocon. O seu nome advém da Eureka Stockade, uma revolta que ocorreu na região em 1854, no pico da corrida ao ouro. O evento está simbolizado no design da torre, com a coroa dourada e o traço a vermelho, que representam a corrida a esta minério e o sangue derramado. O vidro azul e o branco são uma alusão à bandeira da “Stockade”. Trata-se de um edifício residencial mas existe um miradouro público, o Eureka Skydeck 88, localizado no 88º piso. Aqui são providenciais binóculos aos visitantes e se as condições climatéricas forem favoráveis, é aberto um terraço exterior. Existe também um cubo de vidro suspenso para lá da estrutura da torre, que oferece uma sensação radical.

8- Câmara Municipal – Town Hall

A sede da Câmara Municipal de Melbourne é um dos edifícios mais antigos da cidade, situado no seu centro histórico. Os trabalhos de construção iniciaram-se em 1867, no local onde tinha existido uma primeira Câmara Municipal, de 1854, demolida para dar lugar ao novo edifício. O projecto ficou a cargo de Joseph Read, que criou um plano em estilo Segundo Império. A inauguração deu-se em 1870 mas a torre do relógio foi adicionada quatro anos depois. Em 1925 um incêndio destruiu uma boa parte da Câmara, que foi reconstruída e alargada. Em 1964 os Beatles visitaram Melbourne e foram aqui recebidos em apoteose por uma multidão de vinte mil fãs. Hoje em dia, para além das funções como Câmara Municipal, o edifício recebe espectáculos no seu auditório principal, onde existe um belo órgão de 1929.

9- Praia Saint Kilda Beach

Assim como Sydney tem a famosa Bondi Beach, Melbourne orgulha-se da sua Saint Kilda Beach. A praia tem uma extensão de cerca de 700 metros e localiza-se a 6 km do centro da cidade, podendo-se ali chegar facilmente de transportes públicos. Para além da óbvia ida à praia, uma ida a Saint Kilda Beach proporcionará ao visitante algumas surpresas: no molhe da praia existe uma pequena comunidade residente de… pinguins! E nas suas imediações encontra-se o edifício histórico St Kilda Sea Baths. Hoje em dia ir à praia é simples. Mas em finais do século XIX para além de ser considerado indecente tomar banho em público, havia o perigo dos tubarões, e foi assim que em 1860 abriram os Banhos de Mar de St Kilda. Há também o Pavilhão de St Kilda, um clássico de arquitectura Eduardiana construído em 1904 e muito querido dos habitantes de Melbourne.

10- Casa de Campo de Captain Cook

Esta casa de 1755 é considerado o mais antigo edifício da Austrália. Contudo, não se encontra na sua posição original, o que pode colocar em causa a pretensão: foi construída pelos pais do famoso Captain Cook em Yorkshire, Inglaterra, e trazida para a Austrália por Sir Russell Grimwade em 1934. Em 1978 foram levados a cabo trabalhos de renovação. Hoje em dia é um pequeno museu que recria o universo das aventuras do Captain Cook. Em redor da casa foi criado um pequeno jardim tipicamente inglês que acentua a atmosfera.

11- China Town

O bairro chinês de Melbourne localiza-se no centro da cidade, especialmente ao longo da rua Little Bourke, entre as ruas Swanston e Spring, tendo sido criado em meados do século XIX. As suas entradas são marcadas por arcos tradicionais chineses. É considerada a Chinatown mais antiga no mundo ocidental sendo uma atracção turística, pelo ambiente que oferece, pela animação cultural e pelas oportunidades de saborear gastronomia chinesa autêntica. Encontra-se aqui o Museu Chinês, estabelecido em 1985 e renovado em 2010, acumulando funções com Centro do Visitante de Chinatown.

Roteiros em Melbourne

ROTEIRO MELBOURNE

ROTEIRO MELBOURNE

Algumas ideias de roteiros para você preparar as suas férias em Melbourne de maneira independente. Itinerários de turismo em Melbourne na Austrália.

1 Dia em Melbourne: passo-a-passo
Manhã: Brevemente…
Tarde: Brevemente…
2 Dias em Melbourne: passo-a-passo
Dia 1 Manhã: Brevemente…
Dia 1 Tarde: Brevemente…

Dia 2 Manhã: Brevemente…
Dia 2 Tarde: Brevemente…

Procura um Hotel em Melbourne? Hotéis em Melbourne

Kit de Viagem

« Onde reservo alojamento? Encontre os melhores hotéis e promoções através do Booking.com »
« Rent-a-car? Eu reservo sempre o meu carro online através do Rentalcars.com »
« Quer estar prevenido? Faça o seu seguro de viagem através do Worldnomads.com »
« Junte-se a um grupo! 7 dias em Marrocos 430 euros desde Marraquexe até ao Deserto do Saara através do Marrocos.com »
« Comprar bilhetes de monumentos e saltar as filas? Organize a sua viagem com antecedência através do Ticketbar.eu »
« Quer viajar e ter sempre Internet? Faça como eu e compre o aparelho da SkyRoam.com »

O autor do blog

VIVA! Sou o João Leitão. Viajante independente desde 1999, explorei mais de 130 países em África, Antártica, Ásia, Europa, América do Norte e Central, América do Sul e Oceânia. Bem-vindo ao meu blog de viagens, onde partilho dicas práticas de viagem para o motivar a sair de casa! Siga nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram, Pinterest e YouTube.

« Seguir no Instagram »