🐪 » Viagem de grupo 7 dias em Marrocos por 430 Euros » Marrakech até Deserto do Saara » Mais info em MARROCOS.COM « 🐪

🌍 Visitar Reykjavík, Guia de Viagem – Dicas, Roteiros, Mapas, Fotos

Actualizado em 16 Agosto, 2017

Quer visitar Reykjavík?

VISITAR REYKJAVIK

VISITAR REYKJAVIK

Guia de Viagem a Reykjavík

Com 123 mil habitantes, Reykjavík, a capital da Islândia é uma pequena cidade, mas contudo é a única do país. Congrega alguns elementos clássicos, o que na universo escandinavo se resume a casas de madeira pintada em cores vivas, com modernas estruturas que nasceram especialmente antes do crash da economia islandesa (2008-2011). Visitar a Islândia e não passar por Reykjavík, é deixar para trás um destino importante que vale a pena conhecer.

Nesta página você encontra:

  • Visitar Reykjavík – o mais importante a saber
  • Dicas rápidas para Reykjavík
  • Vídeo com imagens aéreas de Reykjavík
  • Os 13 Melhores Locais de Reykjavík
  • O que visitar em Reykjavík
  • Mapa de Monumentos em Reykjavik
  • Fotos de Reykjavík
  • Alojamento em Reykjavík
  • Alugar carro em Reykjavík
  • Celebrações e Feriados em Reykjavík
  • Roteiros em Reykjavík: 1 dia, 2 dias, 3 dias
  • Youth Hostel International em Reykjavik, Islândia

Visitar Reykjavík – O importante a saber

REYKJAVIK, ISLÂNDIA

REYKJAVIK, ISLÂNDIA

Reykjavík como cidade, tem um ambiente dinâmico, com muita cultura e restaurantes e cafés interessantes, mas o custo de vida é elevado e por vezes insustentável para o visitantes. A cidade formou-se no século XVIII mas manteve-se sempre uma cidade pequena, quase uma aldeia. A Segunda Guerra Mundial e o afluxo de militares norte-americanos e britânicos trouxe uma nova vida à economia islandesa e até 2008 a cidade continuou a crescer. A urbe é dispersa, mas o seu núcleo histórico é compacto e os principais pontos de interesse podem-se visitar a pé.

Dicas rápidas para Reykjavík:

  • Acorde cedo e seja o primeiro a entrar nos monumentos, museus ou outros locais de interesse
  • Faça uma free walking tour
  • Apesar de ser muito cliché e turístico, faça uma excursão de barco para avistar baleias

Para saber quando ir a Reykjavík você precisa de se informar um pouco melhor acerca das suas estações e clima. A melhor altura para visitar Reykjavík é entre os meses de Maio e Agosto, pois durante estes meses temos cerca de 20 horas de luz por dia, enquanto que no Inverno são reduzidas a cerca de 5 horas diárias.

Vídeo com imagens aéreas de Reykjavík

Vídeo muito bom para podermos ver as diferentes partes turísticas desta cidade.

Os 13 Melhores Locais de Reykjavík
  1. Igreja Hallgrímskirkja
  2. Museu Falológico Islândes
  3. Escultura Sólfar – O Viajante do Sol
  4. Galeria Nacional da Islândia
  5. Praia Nauthólsvík
  6. Museu Arbaer
  7. Spa Blue Lagoon
  8. Praça Ingólfur
  9. Praça Lækjartorg
  10. Basílica do Cristo Rei
  11. Docas
  12. Museu Maritímo Vikin
  13. Auditório Harpa e Centro de Conferências

O que visitar em Reykjavík

REYKJAVIK

REYKJAVIK

Reykjavík na Islândia tem imenso para ver, por isso é conveniente organizar um pouco a sua visita para conseguir ver o máximo possível, de forma mais organizada, contribuindo assim para usufruir de umas férias mais proveitosas.

1- Igreja Hallgrímskirkja

Esta igreja luterana é a maior da Islândia e, com 74,5 metros, uma das estruturas mais altas do país. O templo foi desenhado por Guðjón Samúelsson em 1937, um projecto incrivelmente arrojado para a sua época, inspirado nas formas naturais criadas pela lava transformada em rocha basáltica e nos glaciares islandeses. A construção iniciou-se em 1945 mas terminou apenas em 1986. Em 2008 foi sujeita a extensos trabalhos de manutenção. Diz-se que o plano inicial não contemplava uma altura tão elevada, mas que os líderes da Igreja Luterana da Islândia fizeram questão em ultrapassar a altura da Landakotskirkja, a maior igreja católica da ilha. Encontra-se aberta ao público e a torre, onde se acede por elevador, pode ser visitada mediante a aquisição de um bilhete (ISK 900). De lá avista-se toda a cidade e uma boa extensão dos seus arredores.

2- Galeria Nacional da Islândia

A Galeria Nacional da Islândia foi fundada em 1884, em Copenhaga, na Dinamarca, país que por essa altura administrava a Islândia. O museu manteve-se independente até 1916, quando o Parlamento Islandês decidiu integrá-lo no Museu do Património Nacional. A Galeria teve duas moradas antes de ser movido para a actual localização: até 1950 manteve-se na Casa do Parlamento; nesse ano a colecção foi movida para o edifício principal do Museu Nacional, onde abriu formalmente ao público. Finalmente, em 1987, a Galeria Nacional da Islândia foi transferida para a actual localização, um edifício de 1916. A colecção concentra-se na arte islandesa dos séculos XIX e XX mas há também artistas internacionais expostos, como Pablo Picasso e Edward Munch. Note-se que não existe uma exibição permanente. O que se pode ver nas suas salas é uma rotação da sua valiosa colecção.

3- Museu Arbaer

Este é um daqueles museus ao ar livre, que se pode chamar de museu etnográfico, onde se encontram habitações e edifícios funcionais transportados de outras partes do país ou construídos enquanto réplicas para mostrar aos visitantes como se vivia ou ainda se vive nas zonas mais remotas. Existem no Museu Arbaer vinte edifícios, que recriam uma praça tradicional, uma aldeia e um quinta. O Museu foi criado em 1957, quando se começou a sentir que a Reykjavík tradicional estava a desaparecer, procurando-se manter para as gerações vindouras um retrato real do que tinha sido a capital islandesa. No local onde surgiu o museu tinha existido uma quinta, que era popular junto dos habitantes da cidade como espaço social e de lazer e que entretanto tinha sido abandonada. O museu pode ser visitado apenas durante os meses de Junho a Agosto. Nos restantes dias do ano existem visitas guiadas a uma hora fixa.

4- Spa Blue Lagoon

A Lagoa Azul é um spa geotermal localizado próximo de Reykjavik e um dos locais mais emblemáticos da Islândia. A água da lagoa é rica em diversos minerais e tem fama de ser benéfica para problemas de pele. É uma lagoa artificial, cuja água é canalizada de uma nascente na proximidade e mudada completamente a cada dois dias. As pessoas banham-se naquelas águas desde 1976 mas foi a partir de 1992 que o local se tornou verdadeiramente popular. O acesso à lagoa é pago e de preço elevado, mas quem quiser dar apenas uma vista de olhos, pode caminhar pelas imediações e terá uma ideia geral do local, observando a água de aspecto leitoso que circula nos canais envolventes.

5- Basílica do Cristo Rei

Esta basílica, conhecida localmente como Landakotskirkja, é a principal igreja católica no país. Foi construída num local desde sempre ligado à presença da fé católica na Islândia, numa terra comprada pelos primeiros padres católicos que chegaram à ilha, no início do século XIX. Inicialmente construíram ali uma capela de madeira, mas depois da Primeira Guerra Mundial os católicos quiseram erigir uma estrutura mais sólida. O plano para uma igreja em estilo Neogótico foi da autoria do arquitecto Guðjón Samúelsson e em 1929 o novo templo estava pronto, sendo na altura a maior igreja da Islândia. A igreja pode ser visitada, estando aberta todos os dias e com missa dada em diversas línguas.

6- Museu Marítimo Vikin

Perto do porto da cidade encontra-se o Museu Marítimo de Reykjavík, também conhecido como Museu Marítimo Vikin, encontra-se hospedado numa antiga fábrica de processamento de peixe, convertida para o efeito, e construída em 1947. Em 1985 a actividade fabril foi suspensa e a estrutura esteve ao abandono durante 20 anos. O edifício foi depois renovado, adoptado como museu pelo município e aberto ao público em 2005 como um dos cinco núcleos do Museu da Cidade de Reykjavik. Entre 2007 e 2008 foi ampliado, com a construção do primeiro andar. A exposição do museu está dividida em três partes: A História da Pesca, Da Pobreza à Abundância (uma narrativa da evolução da situação dos pescadores no país) e o navio da Guarda Costeira Óðinn, a grande estrela do museu. Existem também exposições temporárias organizadas com regularidade.

7- Escultura Sólfar – O Viajante do Sol

Esta escultura será provavelmente a imagem mais conhecida de Reykjavik. Localiza-se junto ao mar, tendo sido colocada no local em 1990. É uma criação em aço inoxidável de Jón Gunnar Árnason, que faleceu um ano antes da inauguração. Apesar da sua clara parecença com um drakkar viking, essa semelhança não foi desejada pelo artista, que criou o que considerava ser um barco dos sonhos e uma ode ao Sol. É um local que proporciona excelentes fotografias ao visitante da cidade, especialmente ao pôr-do-sol, com o Monte Ejsa por detrás, sendo facilmente alcançável a pé desde o centro.

8- Auditório Harpa e Centro de Conferências

O complexo Harpa é uma edificação moderna, inaugurada em 2011, depois de quatro anos de construção, sendo um espaço dedicado aos espectáculos e à cultura e também um centro de conferências. O projecto original era bem mais ambicioso, incluindo um hotel com quatrocentos quartos, apartamentos de luxo, lojas, parque de estacionamento e a sede de um banco, mas a crise forçou a uma simplificação do conceito que resultou no que hoje podemos ver ali no centro de Reykjavik. O Harpa foi concebido pela empresa de arquitectura Henning Larsen e a sua fachada foi da autoria de Ólafur Elíasson. Existem quatro salas de espectáculo, com a principal a oferecer 1.800 lugares sentados. Uma boa parte do complexo, localizado junto à água, pode ser visitada livremente durante o dia.

9- Praia Nauthólsvík

Esta praia é uma alternativa à famosa Lagoa Azul, mas abre apenas durante os meses do Verão. Localiza-se em Reykjavik, junto à costa atlântica, com a água a manter uma temperatura entre os 15 e os 18 graus, mas há variações consoante a época do ano e as marés, porque a temperatura da água resulta da mistura entre o oceano e as fontes geotermais. Existe também uma área a 38 graus constantes que está aberta ao público durante todo o ano. Localiza-se junto à Ægissíða, uma via pedonal e para bicicletas muito popular junto dos habitantes da capital islandesa, e apesar de só ter sido aberta em 2001, atinge hoje números impressionantes de visitas, que chegam ao meio milhão por ano, ou seja, quase o dobro da população do país. A praia é um dos elementos que formam a área de lazer da baía de Nauthólsvík, um nome proveniente de uma antiga quinta que ali existia.

10- Museu Falológico Islandês

O Museu Falológico Islandês exibe uma colecção exactamente daquilo que parece: de falos, ou seja, pénis, de vários animais. Existem na sua colecção 280 falos, pertencentes a 93 espécies animais, com especial destaque para as baleias, que estão representadas com 55 falos. O museu abriu em 1997, fundado por um privado, Sigurður Hjartarson, e é hoje administrado pelo seu filho. Em 2011 recebeu o seu primeiro pénis humano, uma doação que não correu bem, do ponto de vista físico. Existem três doadores neste momento, cujos pénis reverterão para a colecção do museu após o seu falecimento, sendo um deles o actor norte-americano Jonah Falcon cujo volume do pénis é mítico. Como tantos outros locais na Islândia, o museu abre apenas nos meses de Verão, entre o início de Maio e o final de Agosto.

Mapa de Monumentos em Reykjavik

Nesta página você tem um mapa de monumentos de Reykjavik na Islândia. Mapa com melhores destinos em Reykjavik, a capital da Islândia. Clique no mapa para aumentar e explorar melhor.

Mapa Monumentos Reykjavik Islândia

Roteiros em Reykjavík

ROTEIRO REYKJAVIK

ROTEIRO REYKJAVIK

Algumas ideias de roteiros para você preparar as suas férias em Reykjavík de maneira independente. Itinerários de turismo em Reykjavík na Islândia.

1 Dia em Reykjavík: passo-a-passo
Manhã: Brevemente…
Tarde: Brevemente…
2 Dias em Reykjavík: passo-a-passo
Dia 1 Manhã: Brevemente…
Dia 1 Tarde: Brevemente…

Dia 2 Manhã: Brevemente…
Dia 2 Tarde: Brevemente…

Youth Hostel International em Reykjavik, Islândia

Reykjavik Youth Hostel International

Reykjavik Youth Hostel International

Fiquei aqui neste hostel em Reykjavik durante 1 semana. Experimentei 2 tipos de quartos, o com 6 camas e o de 4 camas com casa de banho privada. Engraçado que em 2 das noites fiquei sozinho no quarto apesar da pousada estar sempre a abarrotar de pessoas.

Os empregados da pousada quando estive lá no Verão de 2008 era muito internacional (pois pelo que percebi muda sempre todos os anos pois são trabalhos de Verão), ou melhor, as empregadas da pousada são todas de países como a Eslovénia, Suécia, Lituânia, Polónia, Holanda e Eslováquia.

O hostel é super limpo, super organizado e com um atendimento super simpático. Há de tudo ali, cozinha que se pode utilizar, por cenas no frigorífico, cacifos, mesa de ping-pong, zona de lavandaria lavagem e secagem.

Há ainda um gigante parque de campismo que muitos islandeses utilizam quando viajam de jipe, normalmente têm tendas.

A pousada tem ainda alguns computadores a pagar, e, acesso grátis WI-FI à Internet na zona de sala de estar que tem a TV.

Como o edifício é muito grande, há várias cozinhas espalhadas por isso há sempre uma certa privacidade. Para pôr cenas no frigorífico há umas canetas e umas placas que se metem nos cestos com o nosso nome e data de saída do hostel.

Há também várias caixas e cestos cheios de coisas grátis de outras pessoas que foram embora e não consumiram. Muito bom pode-se poupar muito dinheiro até.

Transportes para o centro da cidade

Há autocarros 3 vezes por hora que levam até ao centro da cidade, custa 280 ISK, leve trocado. Se por acaso não tiver, o motorista normalmente não diz nada e deixa-o entrar.

Serviço Aeroporto

Quando quiser ir para o aeroporto basta escrever o seu nome na lista no balcão da recepção e no dia seguinte tem um autocarro para o ir buscar.

Como pagar menos nas Pousadas Youth Hostel International?

Basta fazer um cartão que se paga um tanto, e, têm-se assim direito a grandes descontos noutras pousadas do mesmo grupo em quase todos os países do mundo. Por exemplo, aqui em Reykjavik o preço sem cartão é de 2450 Iceland kronur = 16.4 Euros por uma cama num quarto com 4 cama e casa-de-banho privativa, mas, o preço com cartão de sócio da YHI é de 2050 Iceland kronur = 13.7 Euros. Eu comprei o cartão na recepção, custou 1500 Iceland kronur = 10 Euros e acabei por utilizar também na pousada em Copenhaga na Dinamarca.

Muito importante!! RESERVE ANTES DE IR!!

Eu cheguei tarde pois o avião de Barcelona chegou por volta das 3:30 da manhã. No mesmo avião vinham mais algumas pessoas que decidiram ficar no hostel. Eu era o único que tinha reserva ou seja, os outros 6 ficaram a apanhar do ar, às 4:30 da manhã quando chegamos lá. Por isso reserve que é melhor. Há um autocarro que o leva desde o aeroporto até ao hotel ou pousada que tem reservado, a viagem custa 1500 ISK e há uma só companhia a fazer o trajecto, ou é isso ou vai de táxi que é bem longe cerca de 40km.

Preços Youth Hostel International Reykjavik

Os preços são para 2009, mas podem mudar visite o site para mais informações actualizadas.

  • Quarto com 4 e 6 camas com casa-de-banho privativa: 3500 Iceland kronur = 23 Euros
  • Membros cartão YHI: 3000 Iceland kronur = 20 Euros
  • Quarto duplo com casa-de-banho privativa: 5100 Iceland kronur = 34 Euros
  • Membros cartão YHI: 4300 Iceland kronur = 27.8 Euros
  • Quarto com 6 camas com casa-de-banho partilhada: 2600 Iceland kronur = 17.4 Euros
  • Membros cartão YHI: 2100 Iceland kronur = 14 Euros

Outros serviços em Reykjavík City Hostel

  • Lençóis: 700 Iceland kronur = 4.7 Euros
  • Pequeno-almoço buffet all you can eat: 900 Iceland kronur = 6 Euros
  • Shampô + sabonete: 200 Iceland kronur = 1.4 Euros

Contactos Reykjavík City Hostel

  • Hostelling International Iceland
  • Endereço: Sundlaugarvegur 34, 105 Reykjavik, Iceland – Islandia
  • Telefone: 553 8110
  • Fax: 588 9201
  • Email: info@hostel.is
  • Página Internet: Reykjavík City Hostel

Procura um Hotel em Reykjavík? Hotéis em Reykjavík

Siga no Twitter, Facebook, Instagram e Pinterest. Partilhe esta página e deixe o seu comentário.


Deixe o seu comentário aqui:

João Leitão - O autor do blog:

VIVA! Sou o João - blogger de viagens. Com 20 anos de experiência como viajante independente, explorei mais de 128 países em África, Antártica, Ásia, Europa, América do Norte e Central, América do Sul e Oceânia. Bem-vindos ao meu blog de viagens, onde partilho informação prática de viagem para o motivar a sair de casa! Siga nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram, Pinterest e YouTube.

Kit de Viagem:

  • Onde eu reservo alojamento? Encontre os melhores hotéis e promoções através do Booking.com
  • Eu reservo sempre o meu carro online através do Rentalcars.com
  • Quer estar prevenido? Faça o seu seguro de viagem através do Worldnomads.com
  • 7 dias em Marrocos 430 euros desde Marrakech até ao Deserto do Saara através do Marrocos.com
  • Quer viajar e ter sempre Internet? Faça como eu e compre o aparelho da SkyRoam.com
* Esta página tem links de afiliados. Quando você reserva algo através deste blog, eu retenho uma pequena comissão que não altera o preço final. Obrigado!

Blog de viagens mencionado em:

Blog de viagens nos Media

« Seguir @joaoleitaoviagens no Instagram »