🐪 » Viagem de grupo 7 dias em Marrocos por 430 Euros » Marrakech até Deserto do Saara » Mais info em MARROCOS.COM « 🐪

🌍 Visitar Varanasi, Guia de Viagem – Dicas, Roteiros, Mapas, Fotos

Actualizado em 10 Setembro, 2017

Quer visitar Varanasi?

VISITAR VARANASI

VISITAR VARANASI

Guia de Viagem a Varanasi

Varanasi é um dos destinos turísticos que mais impressiona e transforma quem escolhe este local para passar as suas férias. Considerado um lugar sagrado, o seu nome significa “Porta do Céu”, a conhecida passagem que dá acesso à vida eterna, segundo a doutrina Hindu. Visitar a Índia e não passar por Varanasi, é deixar para trás um destino importante que vale a pena conhecer.

Nesta página você encontra:

  • Visitar Varanasi – o mais importante a saber
  • Dicas rápidas para Varanasi
  • Vídeo com imagens aéreas de Varanasi
  • Os 9 Melhores Locais de Varanasi
  • O que visitar em Varanasi
  • Os 11 Melhores Ghats de Varanasi
  • Mapa dos Monumentos de Varanasi
  • Fotos de Varanasi
  • Alojamento em Varanasi
  • Celebrações e Feriados em Varanasi
  • Roteiros em Varanasi: 1 dia, 2 dias, 3 dias

Visitar Varanasi – O importante a saber

VARANASI, ÍNDIA

VARANASI, ÍNDIA

Varanasi corresponde ao imaginário da Índia que reside no imaginário de muitos viajantes. Pobre, fascinante, intensa, repleta de costumes estranhos e magia. Nesta cidade passa o rio Ganges, o sagrado Ganges, onde os indianos acorrem para se banhar apesar da elevada poluição das suas águas. «

Os ghats, escadarias monumentais que descem até à água, são talvez o elemento mais emblemático de Varanasi, e a elas se associam os ritos fúnebres e a cremação de cadáveres junto ao rio. Varanasi é um lugar sagrado para os Hindus, mas também os budistas veneram o local onde Buda foi Iluminado e deu os primeiros sermões, localizado a cerca de 13 km da cidade. Não sendo uma urbe gigantesca é muito visitada por peregrinos e o visitante deverá estar preparado para lidar com a concentração humana e os costumes potencialmente chocantes com que conviverá.

VISITAR VARANASI INDIA

VISITAR VARANASI ÍNDIA

Os mantras são entoados a todo o momento em homenagem a Shiva e tudo é simplesmente diferente do que nós conhecemos. Prepare-se para conhecer um lugar sujo e desorganizado que, para nós poderá ser, por vezes, um pouco desconfortável. Os locais que deve visitar são Dasaswamedt Ghat, Asi Ghat, Man Mandir Ghat, Manikarnika Ghat, Templo de Kashi Vishwanath, Templo de Durga, Bharat Mata, Mercado de Varanasi, Bharat Mata, entre outros.

VIAJAR VARANASI

VIAJAR VARANASI

Dicas rápidas para Varanasi:

  • Acorde cedo e seja o primeiro a entrar nos monumentos, museus ou outros locais de interesse
  • Observe as pessoas a banharem-se no rio Ganges
  • Explorar as ruas e becos da cidade antiga
  • No Ghat Manikarnika onde se podem ver os corpos a serem cremados tenha cuidado com esquemas em que guias o levam a visitar a área e depois pedem muito dinheiro, melhor desde o início recusar ser guiado, ou então acordar um preço desde o início. Tirar fotografias é proibido
  • Tenha cuidado com os seus pertences
  • Apesar de ser muito cliché e turístico, terá de andar de barco no rio Ganges
GUIA DE VIAGEM VARANASI

GUIA DE VIAGEM VARANASI

Para saber quando ir a Varanasi você precisa de se informar um pouco melhor acerca das suas estações e clima. A melhor altura para visitar Varanasi é entre os meses de Setembro e Março.

Vídeo com imagens aéreas de Varanasi

Vídeo muito bom para podermos ver as diferentes partes turísticas desta cidade.

Os 8 Melhores Locais de Varanasi
  1. Rio Ganges
  2. Templo Shri Kashi Vishwanath
  3. Templo Sankat Mochan
  4. Forte Ramnagar
  5. Os Ghats
  6. Dhamek Stupa
  7. Mesquita Gyanvapi
  8. Sarnath – 12 km de Varanasi
  9. Museu Arqueológico

O que visitar em Varanasi

VARANASI

VARANASI

Varanasi tem imenso para ver, por isso é conveniente organizar um pouco a sua visita para conseguir ver o máximo possível, de forma mais organizada, contribuindo assim para usufruir de umas férias mais proveitosas.

É das cidades religiosas mais antigas de todo o mundo e quando um comum ocidental aqui chega, depara-se com uma cultura completamente distinta da sua. Este povo está estritamente ligado à religião e todas as suas acções são direccionadas ao culto do divino.

O Rio Ganges é um rio sagrado, acreditando-se que as suas águas provieram directamente do céu, bastante adorado pelo seu povo e onde são realizados todos os seus rituais religiosos. Os indianos banham-se nestas águas a fim de serem purificados e, à sua volta, vê-se sempre pessoas a meditar, a praticar o Yoga e a fazer oferendas aos deuses Hindus.

1- Rio Ganges

O rio Ganges cruza tranquilamente o Bangladesh e a Índia, ao longo de 2500 km, desde a sua nascente nos Himalaias até desaguar no Golfo de Bengala. É um rio sagrado para os Hindus, que veneram a deusa Ganga, sendo fundamental nas vidas práticas de milhões de indianos que vivem ao longo do seu curso. Contudo, a veneração, não impediu a contaminação das águas do Ganges, considerado em 2007 o sétimo rio mais poluído do mundo. E talvez o local onde o Ganges ganha uma dimensão humana mais intensa seja em Varanasi, essa cidade indiana ligada ao imaginário dos ocidentais onde as margens do grande rio são usadas como local de ritos funerários impressionantes.

2- Os Ghats

Ghat é o nome dado às escadarias que conduzem ao rio e que são o elemento mais característico de Varanasi. Encontram-se presentes ao longo dos 7 km do Ganges, entre as confluências dos cursos de água que deram o nome à cidade, o Varuna e o Asi. Existem 84 Ghats em Varanasi, utilizados pelas pessoas que procuram chegar ao rio, quer para se banhar nas suas águas sagradas, quer para efectuar os ritos funerários de um ente falecido. Mas os Ghats não se limitam a facilitar estas funções mais evidente. São locais de actividade social e comercial, de repouso e de inspiração. Os mais famosos são os de Tulsi, de Bhadaini, de Panchkoat, de Dasaswamedh e de Man Gandir. A maioria dos Ghats foi construído ao longo dos últimos 500 anos.

3- Templo Shri Kashi Vishwanath

Trata-se de um dos mais importantes templos hindus, sendo dedicado ao deus Shiva e localizando-se na margem esquerda do Ganges. Foi edificado por Maharani Ahilya Bai Holkar de Indore em 1780, mas já tinham existido outros templos no local, sucessivamente destruídos e reconstruídos. O complexo é composto de diversos altares menores, dispostos ao longo de uma via chamada Vishwanatha Galli. Duas das cúpulas do templo são feitas de ouro maciço, oferecido pelo Punjab Kesari Maharaja Ranjeet Singh em 1839. Num dia normal vêm, até este local cerca de três mil pessoas, mas em ocasiões excepcionais a afluência chega ao milhão de visitantes.

4- Templo Sankat Mochan

Também chamado de O Templo dos Macacos devido à presença de inúmeros desses animais nas suas instalações, o Templo Sankat Mochan é dedicado ao deus hindu Hanuman. O seu nome significa “aquele que ajuda a solucionar todo o sofrimento” e alude directamente a Hanuman. De acordo com a crença, Hanuman protege os humanos da ira do planeta Saturno, e por isso aqueles que têm Saturno no seu horóscopo são especialmente devotos. Terças-feiras e Sábados são os dias em que os crentes acorrem ao templo, enchendo-o totalmente. Segundo a tradição este templo foi construído no local onde Goswami Tulsidas, um filósofo, poeta e homem santo, terá tido uma visão de Hanuman. Isto deu-se no século XVII. O templo está aberto ao longo de todo o dia, podendo ser visitado.

5- Forte Ramnagar

Este interessante forte foi construído em 1750 pelo Raja Balwant Singh, senhor do Estado de Benares. A estrutura foi erguida em pedra, num estilo arquitectónico conhecido como Mughal. O local foi cuidadosamente construído, deixando o forte acima da linha das cheias, mas quando a água sobe, apenas de barco se consegue chegar até ele. O Marajá, descendente do construtor inicial do forte, reside ainda no edifício, ficando a sua presença marcada pela bandeira com as suas cores. Existe um museu no forte, chamado Saraswati Bhawan, e instalado na antiga sala de audiências, o que significa que para além de ver a exposição, um visitante terá acesso ao interior do forte. O espólio do museu é variado, provavelmente uma colecção acumulada pela família. Há também um templo dedicado ao deus Hanuman.

VARANASI

VARANASI

6- Dhamek Stupa

Este Stupa (monumento funerário budista) é um colosso com 44 m de altura e 23 m de diâmetro. Foi construído originalmente por volta de 250 aC pelo rei Ashoka e reconstruído quase como o vemos hoje em 500 dC. A parede apresenta gravuras de figuras humanas e de aves, assim como inscrições em sânscrito. Diz-se que o Dhamek Stupa se encontra no local onde Buda deu o primeiro sermão aos cinco discípulos depois de ter visto a Luz. Existe um testemunho interessante do monge budista chinês Xuanzang, que visitou a área em 640 e que diz que ali viviam mais de mil e quinhentos monges e que a Stupa tinha 91 m de altura.

7- Mesquita Gyanvapi

Esta mesquita foi construída em 1669 pelo imperador dos Mughal, Aurangzeb, que para tal arrasou um templo hindu que existia no local e que tinha o nome de Kasi Viswanath. Na realidade, uma particularidade desta mesquita é que restos do templo foram aproveitados para as actuais paredes e para a estrutura do edifício. Segundo parece este aproveitamento foi intencional, considerado um aviso aos hindus pelo imperador. Os minaretes têm uma altura de 71 metros e a fachada é inspirada no modelo do Taj Mahal. No início dos anos 90 a tensão entre hindus e muçulmanos reacendeu-se aqui. O Vishva Hindu Parishad, um partido nacionalista hindu, defendeu a destruição de todas as mesquitas construídas sobre templos hindus arrasados e depois de isso ter efectivamente sucedido com a mesquita Babri, a tensão subiu e a polícia reforçou a sua presença no local. A situação acalmou quando um partido parceiro do VHP não apoiaram um ataque a esta mesquita por estar a ser activamente utilizada pelo muçulmanos.

8- Museu de Sarnath

Trata-se do museu de arqueologia da Índia, albergando os vestígios de Sarnath e os artefactos encontrados durante as escavações. A decisão de criar este museu surgiu em 1904, devido à pressão de Sir John Marshall, Director Geral da Arqueologia na Índia, e em 1910 nasceu de facto o Museu de Sarnath. Os edifícios, que formam um meio Sangharam (mosteiro) foram construídos especificamente para albergar as colecções. Entre o espólio, composto sobretudo por artefactos budistas, destaca-se o capitel de Leões de Ashoka, datado de 250 aC, que inspirou a actual bandeira da Índia. O museu encontra-se aberto todos os dias excepto Sextas-feiras, encontrando-se a 9 km a norte de Varanasi.

9- Sarnath

Localizado a cerca de 13 km de Varanasi, Sarnath é dos locais sagrados do Budismo, o sítio onde se crê que Buda tenha vindo depois de ser Iluminado. No século III aC o imperador Ashoka mandou aqui construir incríveis stupas e outros edifícios mas com o declínio do Budismo por estas paragens e com a chegada dos muçulmanos, que saquearam a cidade nos finais do século XII, Sarnath desapareceu. Apenas por volta de 1835 regressou para o mundo, devido à acção de arqueólogos ingleses. Hoje em dia, para além das famosas stupas, podem-se visitar em Sarnath as ruínas do templo Mulagandhakuti Vihara, onde Buda terá passado a sua primeira época das chuvas por estas paragens, o Museu Arqueológico de Sarnath e outros templos de menor importância. Sarnath é também uma aldeia, que pode ser uma boa alternativa a Varanasi para uns dias de relativa tranquilidade.

Os Ghats de Varanasi

GHATS VARANASI

GHATS VARANASI

Os 11 Melhores Ghats de Varanasi
  1. Panchganga Ghat
  2. Manikarnika Ghat
  3. Dasaswamedh Ghat
  4. Rana Ghat
  5. Kedar Ghat
  6. Narad Ghat
  7. Harishchandra Ghat
  8. Hanuman Ghat
  9. Shivala Ghat
  10. Tulsi Ghat
  11. Assi Ghat

Os ghats de Varanasi são escadarias construídas junto ao Ganges que conduzem à margem do rio. Existem oitenta e quatro ghats na cidade, um número deles na posse de privados. Cada um com uma história, atmosfera e finalidade própria. Alguns são usados para cremar os mortos, outros têm por detrás de si intensas histórias ou episódios mitológicos. São locais de fé, procurados pelos peregrinos que vêm a Varanasi para se banharem no rio sagrado. Quase todos têm templos, muitos deles dedicados a Shiva. Foram sendo construídos por famílias nobres e abastadas, a maioria deles depois do século XVIII, quando Varanasi se encontrava sob o controle do Império Maratha. Os locais vêm até aos ghats para relaxar, observar e conviver e, claro, a sua visita é essencial para os visitantes da cidade. Sugere-se um passeio de barco entre Dasaswamedh ghat e Harishchandra ghat, para obter uma perspectiva diferente das escadarias. A melhor hora para visitar os ghats será com o nascer do sol, quando a luz é perfeita para a fotografia e se encontram menos pessoas por lá.

1- Manikarnika Ghat

Manikarnika é um local intenso. Aqui são cremados a maioria dos corpos, sendo conhecido simplesmente como “O Ghat Ardente”. Nas margens em seu redor erguem-se pilhas de madeira, usada para alimentar os fogos que ardem sem interrupção. O cheiro a morte é constante, emana dos corpos envolvidos em mortalhas trazidos pelos doms, uma casta de intocáveis que manuseia os cadáveres e faz a gestão deste ghat. Se o visitante desejar ver de perto as cerimónias fúnebres poderá fazê-lo, mediante o pagamento de uma taxa que provavelmente terá que ser negociada. Este é um local envolvido em lendas. Por exemplo, diz-se que os textos antigos mencionam que o proprietário deste ghat comprou o rei Harishchandra como escravo e o fez trabalhar aqui.

2- Dasaswamedh Ghat

Este é o mais famoso ghat de Varanasi, localizado junto ao templo Vishwanath. O seu nome significa o ghat “dos 10 cavalos sacrificados”. Segundo a crença estes dez cavalos teriam sido sacrificados pelo deus Brahma para permitir que Shiva regressasse do desterro. É um dos mais antigos e mais sagrados, local onde tem lugar todos os serões a famosa Ganga aarti, um espectáculo para o turista, uma experiência profundamente espiritual para os hindus. Um excelente ponto para observar a vida local, com o seu constante fluxo de peregrinos, monges, vendedores. Além disso, junto ao Ghat existe um dinâmico mercado.

3- Assi Ghat

É um ghat mais popular na parte sul de Varanasi, sendo muito apreciado pelos estrangeiros residentes, talvez por se encontrar mais afastado e ser mais tranquilo do que os ghats centrais. Estima-se que numa manhã normal seja visitado por 300 pessoas, mas quando há festivais, como o Maha Shivaratri, chegam a reunir-se aqui 25 mil pessoas. Existe no ghat um enorme lingam dedicado a Shiva, um local onde os peregrinos honram esta divindade depois de se banharem no rio sagrado. Recebeu o seu nome do rio Assi, cuja confluência com o Ganges não se encontra longe. Segundo a mitologia Hindu a deusa Durga lançou a sua espada às águas deste rio depois de matar o demónio Shumbha-Nishumbha.

4- Mahal Ganga Ghat

Este ghat encontra-se na parte sul de Varanasi, e foi construído pelos governantes da dinastia Narayan em 1830 como extensão do Assim ghat, do qual se encontra próximo, separado apenas por uma escadaria. Junto a ele encontra-se o palácio Ganga (“mahal” significa “palácio” em hindu), também construído pela família Narayan. Actualmente o palácio aloja o estúdio de Hemang Agrawal e o Centro de Estudos Indo-Sueco.

5- Chet Singh Ghat

Este ghat fortificado foi construído no século XVIII pelo Maharaja Chet Singh. Foi local de uma determinante batalha entre as forças do Maharaja e um exército sob o comando do primeiro Governador Geral da Índia britânico, Warren Hastings. O Maharaja foi capturado mas segundo a lenda escapou, usando uma corda feita de turbantes. Os europeus ganharam o confronto, mas em finais do século XIX a sorte não lhes sorriu quando no mesmo local foram batidos pelo Maharaja Prabhu Narayan Singh. É um ghat pouco adequado a banhos nas águas do Ganges, cujas correntes ali são bastante traiçoeiras.

6- Munshi Ghat e Dharbanga ghat

O Munshi ghat é um dos mais apreciados devido à beleza arquitectónica que o rodeia, é vizinho do Darbhanga ghat, que ganhou o nome devido ao nome do palácio que o rodeia. O Munshi foi construído em 1812 e adquirido em 1915 pela família real de Bihar que o ampliou, com o Dharbanga ghat a fazer parte do projecto. Em 1994 o palácio foi comprado pelo Clarks Hotel Group que instalou em parte do edifício um estabelecimento hoteleiro, o Brijrama Palace, um processo que levantou alguma polémica envolvendo a conservação do património.

7- Harishchandra Ghat

O Harish Chandra Ghat é um dos mais antigos de Varanasi e o seu nome advém do mítico rei Harish Chandra, que terá trabalhado voluntariamente na cremação de corpos neste ghat e, como recompensa, os deuses devolveram-lhe o trono perdido e ressuscitaram o seu filho falecido. A par com o Manikarnika, este é um dos dois ghats usados como local de cremação. Hindus vindos de locais remotos trazem os seus mortos aqui para a derradeira cerimónia fúnebre. Segundo a sua crença, quem for cremado em Harishchandra Ghat obtém a salvação (moksha). Em 1980 foi instalado um crematório eléctrico que trouxe uma nota de modernidade a um local que de outra forma não teria mudado muito nas últimas centenas de anos.

8- Tulsi Ghat

Conhecido no passado como Lolark ghat, deve o seu nome a Tulsidas, um homem santo e poeta do século XVI, que terá passado muito tempo da sua vida precisamente neste ghat. A casa onde o santo-poeta nasceu está supostamente preservada junto ao ghat, contendo relíquias ligadas a ele. Junto ao ghat existe um templo dedicado a Hanuman de onde foi roubada em 2011 uma preciosa cópia da obra principal de Tulsidas, Ramcharitramanas. De acordo com a lenda, um dia Tulsidas deixou aqui cair à água o manuscrito da obra, mas este, em vez de se afundar como seria de esperar, manteve-se à tona. O ghat ganhou a sua actual forma em 1941, quando foi acimentado por Baldeo Das Birla. Alguns actos de fé estão associados com este Ghat, como o banho de Lolarkkunda (ser-se abençoado com os filhos para uma longa vida) e o banho sagrado para a cura da lepra.

9- Bonsale Ghat

Este ghat foi construído em 1780 pelo rei Maratha Bhonsale de Nagpur, estando junto a um imponente edifício de pedra encimado por uma linha de arcos que marcam a varanda superior do palácio. Destaque para as torres que marcam as arestas da fachada. Encontram-se aqui três templos: Lakshminarayan, Yameshwar e Yamaditya. Em 1795 foi submetido a obras de renovação. Em 2013 foi o centro de uma polémica envolvendo alegados desvios de fundos por parte da família real.

10- Schindia Ghat

É também conhecido como Shinde ghat e encontra-se próximo do Manikarnika ghat. Foi construído em 1830 pela dinastia dos Schindias. É famoso pelo templo de Shiva que se encontra parcialmente submergido frente à escadaria, aparentemente devido ao seu peso excessivo. Nas suas imediações encontram-se alguns dos altares mais importantes da cidade e segundo a mitologia hindu, o deus do fogo, Agni, nasceu aqui. Os crentes deslocam-se a este ghat para pedir ao deus Vireshwara o nascimento de um filho varão. Este ghat é também usado para cremações e para ir a banhos no Ganges.

Alojamento em Varanasi

Há muitos hotéis em Varanasi. Como cheguei cedo à cidade, vindo de comboio desde Calcutá, resolvi entrar na parte antiga da cidade, aquela junto ao rio, e procurar um hotel que achasse bom para mim. Eu queria particularmente, um quarto com vista bonita para o rio e para a cidade.

É muito difícil caminhar as ruas de Varanasi sem ter vários homens a oferecerem alojamento. Estes são guias que recebem comissão dos hotéis pelos clientes. Consegui chegar a um que achei que era bom, depois de ter negociado o preço de 1000 rupias (cerca de 13 euros) por um quarto privado, com WC privado, ar condicionado, e pequeno-almoço (café da manhã).

Puja Guest House

PUJA GUEST HOUSE, HOTEL VARANASI

PUJA GUEST HOUSE, HOTEL VARANASI

O hotel onde pernoitei durante várias noites chama-se Puja Guest House, e fica no Lalita Ghat, bem perto do Nepali Temple. A vista da janela do quarto não podia ser melhor, a equipa super simpática, e a vista panorâmica do terraço superior por cima do restaurante, foi uma das melhores que tive na Índia.

Celebrações e Feriados em Varanasi
  • 26 de Janeiro: Dia da república, adopção da Constituição da Índia (1950)
  • 01 de Maio: Dia dos trabalhos Dia Internacional dos Trabalhadores
  • 15 de Agosto: Dia da Independência do Império Britânico (1947)
  • 2 de Outubro: Aniversário de nascimento de Mahatma Gandhi

Roteiros em Varanasi

ROTEIRO VARANASI

ROTEIRO VARANASI

Algumas ideias de roteiros para você preparar as suas férias em Varanasi de maneira independente. Itinerários de turismo em Varanasi na Índia.

1 Dia em Varanasi: passo-a-passo
Manhã: Caminhar ao longo dos ghats para ver Varanasi a acordar, Templo Shri Kashi Vishwanath
Tarde: Forte Ramnagar, Cerimónia Ganga Aarti no ghat Dashashwamedh à noite
2 Dias em Varanasi: passo-a-passo
Dia 1 Manhã: Caminhar ao longo dos ghats para ver Varanasi a acordar, Templo Shri Kashi Vishwanath
Dia 1 Tarde: Forte Ramnagar, Cerimónia Ganga Aarti no ghat Dashashwamedh à noite

Dia 2 Manhã: Sarnath – 12 km de Varanasi, eu paguei 600 rupias de rickshaw desde Varanasi até Sarnath ida e volta
Dia 3 Tarde: Explorar as ruas de Varanasi, Manikarnika Ghat, Passeio de barco durante o por do sol

Procura um Hotel em Varanasi? Hotéis em Varanasi


Deixe o seu comentário aqui:

João Leitão - O autor do blog:

VIVA! Sou o João - blogger de viagens. Com 20 anos de experiência como viajante independente, explorei mais de 128 países em África, Antártica, Ásia, Europa, América do Norte e Central, América do Sul e Oceânia. Bem-vindos ao meu blog de viagens, onde partilho informação prática de viagem para o motivar a sair de casa! Siga nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram, Pinterest e YouTube.

Kit de Viagem:

  • Onde eu reservo alojamento? Encontre os melhores hotéis e promoções através do Booking.com
  • Eu reservo sempre o meu carro online através do Rentalcars.com
  • Quer estar prevenido? Faça o seu seguro de viagem através do Worldnomads.com
  • 7 dias em Marrocos 430 euros desde Marrakech até ao Deserto do Saara através do Marrocos.com
  • Quer viajar e ter sempre Internet? Faça como eu e compre o aparelho da SkyRoam.com
* Esta página tem links de afiliados. Quando você reserva algo através deste blog, eu retenho uma pequena comissão que não altera o preço final. Obrigado!

Blog de viagens mencionado em:

Blog de viagens nos Media

« Seguir @joaoleitaoviagens no Instagram »