🐪 Venha conhecer Marrocos « Viagem de grupo 7 dias por 430 Euros » Marrakech até Deserto do Saara 🐪

Visitar o Caracalpaquistão, 13 Locais Incríveis para Visitar no Norte do Uzbequistão

João Leitão
Actualizado em 14 Maio, 2018

Está a pensar visitar o Caracalpaquistão?

VISITAR O CARACALPAQUISTÃO

VISITAR O CARACALPAQUISTÃO

Visitar o Caracalpaquistão

Já alguma vez ouviu falar da República do Caracalpaquistão?

Não?

Bem, é normal, a maioria das pessoas não faz ideia da existência desta república autónoma no noroeste do Uzbequistão.

Sim, o Caracalpaquistão é no Uzbequistão.

Na verdade, a maioria das pessoas também não sabe muito sobre o Uzbequistão.

CASTELOS DO DESERTO DO CARACALPAQUISTAO

CASTELOS DO DESERTO DO CARACALPAQUISTAO (foto: Ayaz Kala Qala)

Já visitei o Uzbequistão por cinco vezes, mas nesta página vou-me focar nesta região desértica repleta de maravilhosos lugares para visitar. Aqueles que me conhecem sabem que tenho uma ligação especial com o deserto.

Gosto de areia, de poeira, de amplos espaços.

NOTA: Veja ainda a página sobre 20 Lugares Incríveis para Visitar no Uzbequistão.

Curiosidades sobre o Caracalpaquistão:

  • A sua capital e cidade de maiores dimensões é Nukus
  • As línguas oficiais são o Karakalpak e o Uzbeque
  • A área total do seu território é 164,900 km2 (63,700 sqmi)
  • O povo do Caracalpaquistão dedica-se tradicionalmente ao pastoreio e à pesca
  • O Khanato de Khiva cedeu o Caracalpaquistão à Rússia em 1873
  • Depois do Mar de Aral ter secado a maioria do Caracalpaquistão transformou-se num deserto
  • O deserto de Kyzyl Kum localiza-se a Leste
  • O deserto de Kara Kum fica a Sul
  • A economia do Caracalpaquistão dependia da pesca no Mar de Aral
  • O Mar do Aral era um dos quatro maiores lagos do mundo

As minhas três visitas ao Caracalpaquistão:

  • Julho de 2012
  • Dezembro de 2017
  • Janeiro de 2018
KARAKALPAKSTAN

KARAKALPAKSTAN

Não podemos falar do Caracalpaquistão sem referir dois dos lugares mais interessantes para os visitantes da região: os Castelos do Deserto do Antigo Khorezm e o cemitério de navios no leito seco do Mar de Aral em Muynak. Se planeia visitar o Caracalpaquistão deverá ter em conta que a região é vasta e as distâncias a ultrapassar são enormes.

Durante a minha primeira visita ao Caracalpaquistão não tive oportunidade de visitar os castelos do deserto porque a minha prioridade foi Muynak. Na minha segunda e terceira passagem pela área visitei de novo Muynak, mas os fabulosos castelos do deserto foram a principal prioridade da minha deslocação ao norte do Uzbequistão. Não fiquei nada decepcionado e estas fortalezas do deserto tornaram-se no ponto alto da minha quinta visita ao país.

Castelos do Deserto do Antigo Khorezm

Castelos do Deserto do Antigo Khorezm (foto: Janbas Kala)

Há dois mil anos atrás existiam mais de quatrocentos castelos no deserto. Hoje em dia sobrevivem cerca de setenta, mas destes não mais do que uma dúzia merece uma visita, já que os restantes se encontram bastante deteriorados.

Os Castelos do Deserto do Antigo Khorezm encontram-se na Lista de Candidaturas à classificação de Sítios de Património Mundial da UNESCO e as principais destas fortalezas são: Toprak Qala, Ayaz Qala, Koy-Kirilgan Qala, Grande Fortaleza de Guldurun, Pil Qala, Anka Qala, Kurgashin Qala e Janbas Qala.

A Visitar no Caracalpaquistão

1- Nukus

NUKUS

NUKUS

Nukus é a capital da República do Caracalpaquistão. Trata-se de uma grande cidade, localizada no meio do deserto, com amplas avenidas, edifícios modernos e um interessante museu de arte com uma colecção impressionante. Nukus localiza-se a 200 km da famosa Khiva, na Região de Xorazm.

A Visitar em Nukus:

  • Museu Estatal de Arte do Caracalpaquistão
  • Museu de Artes Aplicadas
  • Museu do Estado de Caracalpaquistão
  • Jardins de Istiqlol
  • Mercado Central
  • Praça do Governo
  • Museu Berdakh

2- Guldursun Kala

GULDURSUN KALA

GULDURSUN KALA

Guldursun Kala foi o primeiro dos castelos do deserto que visitei. Esta imensa estrutura localiza-se junto a uma aldeia e do topo das torres da fortaleza pode-se observar as actividades da comunidade local. O castelo de Guldursun Kala foi construído no século XII mas pouco depois, em 1221, foi destruído pelos Mongóis.

A Fazer em Guldursun Kala:

  • Dê a volta ao perímetro do castelo, pelo lado de fora
  • Suba às torres
  • Explore o interior da fortaleza, que está basicamente vazio

Coordenadas GPS: Gu’ldu’rsin qala 41º 41.590 60º 58.890

3- Koi Krylgan Kala

KOI KRYLGAN KALA

KOI KRYLGAN KALA

Nas proximidades da aldeia de Taza-Kel’timinar podemos visitar um peculiar lugar: Koi Krylgan Kala foi construído por volta de 400 a.C. e na realidade não é um castelo mas sim um templo Zoroastriano. O Zoroastrianismo foi criado na Pérsia (antigo Irão) e é uma das mais antigas religiões monoteístas.

NOTA: Veja a página sobre Lugares Sagrados e Religiosos a Visitar no Irão.

Koi Krylgan Kala impressiona sobretudo pela sua planta circular.

Não pense que se trata de um pequeno templo.

A maioria da sua estrutura era subterrânea, enterrada no solo por razões defensivas, e apenas quando o complexo foi escavado é que as suas verdadeiras dimensões se tornaram evidentes. Procure no Google informação visual sobre Koi Krylgan Kala e certamente ficará impressionado com o aspecto destas ruínas.

A Fazer em Guldursun Kala:

  • Dê a volta ao perímetro do castelo, pelo lado de fora
  • Suba às muralhas
  • Explore o interior, especialmente a zona sob os arcos do templo principal

Coordenadas GPS: Qoy Qrilg’an qala 41º 45.317 61º 7.020

4- Janbas Kala

JANBAS KALA

JANBAS KALA

Janba Kala está num estado de conservação muito aceitável e tem uma uma cintura de muralhas ornamentadas com uns 20 metros de altura.

Janba Kala é um dos meus castelos do deserto favoritos.

Na realidade Janbas Kala é um dos primeiros castelos do deserto, tendo sido originalmente construído no século IV a.C.. Passei aqui uma noite e ao amanhecer deliciei-me com o nascer do sol enquanto explorava o complexo.

Coordenadas GPS: Janbas qala 41º 51.480 61º 18.245

5- Qirq Qiz Kalas

QIRQ QIZ KALA

QIRQ QIZ KALA

Qirq Qiz é na realidade o nome dado ao conjunto de dois castelos, o Pequeno Qirq Qiz kala e o Grande Qirq Qiz kala. Ambos se localizam próximo de Kizil kala, bem no meio do deserto Kyzyl Kum. Estão bastante degradados mas ainda se podem observar alguns elementos decorativos nas suas paredes e de forma geral podem-se obter belas fotografias ao longo das suas muralhas. Estes castelos datam dos séculos III – IV a.C..

Coordenadas GPS: Grande Qirq Qiz qala: 42º 0.450 61º 9.470 – Pequeno Qirq Qiz qala 42º 1.090 61º 6.075

6- Ayaz Kalas

AYAZ KALA

AYAZ KALA

Os três castelos de Ayaz Kalas são espectaculares e juntamente com Tuprak Kala são os meus castelos do deserto favoritos. Estas estruturas foram erigidas em alturas distintas: Ayaz qala 1, localizado no topo de uma colina, data do século IV a.C.. Ayaz qala 2 é já do sécuo VIII d.C. e Ayaz qala 3 foi construído no século II d.C..

Coordenadas GPS: Ayaz qala 1, 42º 0.854 61º 1.746 – Ayaz qala 2, 42º 0.654 61º 1.630 – Ayaz qala 3, 42º 0.320 61º 1.830

7- Toprak Kala

TOPRAK KALA

TOPRAK KALA

Toprak Kala é um dos mais visitados e dos mais espectaculares do castelo do Antigo Khorezm. Todo o complexo é impressionante, mas as vistas de que usufrui do topo das torres são de cortar a respiração.

Dê tempo à sua visita para explorar o complexo e contemplar a paisagem.

O que fazer em Toprak Kala:

  • Dar a volta ao perímetro, do lado de fora
  • Subir às muralhas
  • Subir às torres
  • Explorar a área interior, junto aos arcos e à estrutura principal
  • Visitar o complexo do Alto Palácio
  • Visitar o complexo do Palácio-Templo
  • Explorar a cidade de Toprak Kala

Coordenadas GPS: Complexo do Alto Palácio de Toprak Kala 41º 55.715 60º 49.250 – complexo do Palácio-Templo de Toprak Kala 41º 55.820 60º 49.170

8- Kizil Kala

KIZIL KALA

KIZIL KALA

O castelo de Kizil Kala tem planta quadrangular e está bastante bem conservado, localizando-se próximo da aldeia de Kartaube. Kizil Kala foi construído inicialmente no século II a.C. e é um dos poucos castelos do deserto a ter sido reconstruído e restaurado pelo Uzbequistão. As paredes são bem altas e podemos visitar as dependências interiores deste antigo castelo.

Coordenadas GPS: Qizil qala 41º 55.807 60º 47.050

9- Mausoléu do Sultão Uvays Bobo

MAUSOLEU DO SULTAO UVAYS BOBO

MAUSOLEU DO SULTAO UVAYS BOBO

Adoro surpresas quando estou a viajar, especialmente se significarem encontrar locais de que não estou à espera e que não constam nos guias turísticos ou nos mapas da região. É nesses momentos que sinto o meu espírito de explorador a vir ao de cima e fico louco enquanto descubro os segredos destes sítios. Quando acabava de visitar Toprak Kala e Kizil Kala, já a caminho de Nukus, apercebi-me da silhueta de uma povoação no horizonte, conseguindo vislumbrar um misterioso arco que guardava o acesso a algo desconhecido.

Segui até ao interior do complexo religioso, estacionei o carro e fui investigar.

Para minha grande surpresa dei comigo no meio de um sítio sagrado para os Sufis, um local de peregrinação para os seguidores deste ramo do Islão. Tratava-se de uma necrópolis ampla, uma autêntica “Cidade dos Mortos” um pouco dentro do género das que se podem encontrar em Najaf, no Iraque, e também no Cairo, no Egito. Ao percorrer a área o visitante apercebe-se da existência de túmulos bem antigos, que se encontram entre outros, mais recentes.

MAUSOLEU DO SULTAO UVAYS BOBO

MAUSOLEU DO SULTAO UVAYS BOBO

O que fazer no Mausoléu do Sultão Uvays Bobo:

  • Percorrer os trilhos do cemitério observando as campas mais antigas
  • Notar como muitas campas têm os objectos pessoais dos falecidos
  • Visitar o mausoléu do sultão Uvays Bobo e sentar um pouco para uma oração ou um momento de reflexão
  • Ir ao local onde se encontram duas relíquias associadas ao sultão: marcas do seu joelho e pegadas
  • Ver os mausoléus do século X

10- Torre do Silêncio de Chilpyk

CHILPYK

CHILPYK

Quem diria que no Uzbequistão podemos visitar uma “torre do silêncio” em excelente estado de conservação? Localizada na margem direita do rio Amu Darya, Chilpyk é uma impressionante dakhma ou “torre do silêncio”, um lugar sagrado para da religião Zoroastriana. Este lugar data do século I a.C., sendo um dos mais relevantes desta república autónoma, e o símbolo do Caracalpaquistão é o nascer do sol em Chilpyk. Que interessante!

O que fazer em Chilpyk:

  • Dar a volta completa ao perímetro da dakhma
  • Subir até lá acima
  • Ver o pôr-do-sol sobre as margens férteis do rio Amu Darya
  • Do topo, observar os nomes escritos com pedras nos campos em redor

11- Gyaur Kala

GYAUR KALA

GYAUR KALA

Gyaur Kala localiza-se próximo da fronteira com o Turquemenistão. Deste castelo usufrui-se de uma excelente vista sobre o país vizinho e no seu interior podem-se observar detalhes arquitectónicos, como compartimentos e arcos. Passei uma noite aqui, no Gyaur Kala, que não fica muito longe da necrópole de Mizdahkan.

12- Necrópole de Mizdahkan

MIZDAHKAN

MIZDAHKAN

Mizdahkan é um cemitério impressionante, contendo imensas campas antigas e edifícios de natureza religiosa. O mais fascinante neste local é a mistura de campas, de diversas épocas, numa linha de tempo que abrange dois mil anos.

Note-se que alguns destes túmulos datam do século II a.C.!

A entrada principal está sempre aberta aos visitantes e pode-se explorar calmamente o cemitério. Duas coisas a não perder: o mausoléu subterrâneo de Mazlum Sulu Khan e a antiga madraça, em muito mau estado, no interior da qual se avistam centenas de pequenas pilhas de pedras.

O que ver em Mizdahkan:

  • Túmulos do século II a.C.
  • Necrópole Zoroastriana do século V
  • Pedras tumulares do século VII com cruzes cristãs ao estilo sírio
  • Túmulos muçulmanos do século IX
  • Mausoléu do Califa Erezhep, datado do século IX
  • Mausoléu subterrâneo de Mazlum Sulu Khan, do século XII
  • Estrutura funerária de Djumarat Khassab
  • A madraça muçulmana
  • Mazar de Shamun Nabi, com 25 metros de comprimento
  • Ruínas da antiga cidade de Mizdahkan, a oeste da necrópole

13- Muynak

MUYNAK

MUYNAK

Muynak é um daqueles sítios que uma pessoa tem de visitar pelo menos uma vez na vida.

E porquê, perguntará o leitor…

Porque é o testemunho de um dos maiores desastres ecológicos da História. O Mar do Aral foi em tempos o quarto maior lago do Planeta, com vinte e quatro espécies principais de peixes e rodeado por comunidades que se dedicavam à pesca. O lago em si era de água salgada, mas os rios que para ele corriam levavam água doce. Na década de 50 do século XX as autoridades da União Soviética decidiram começar a usar a água destes rios para irrigar os campos de algodão da região. Sessenta anos depois a água tinha desaparecido da maior parte do mar do lado do Uzbequistão, deixando o seu leito a seco. Nasceu assim um novo deserto, o Arak Kum – o deserto do Aral. Já visitei Muynak por duas vezes, uma no Verão de 2012, e outra no Inverno de 2018.

O que ver em Muynak:

  • Monumento ao Mar do Aral
  • Museu de História Regional e do Mar do Aral
  • Cemitério de barcos junto ao Monumento
  • Um segundo cemitério de barcos

Kit de Viagem

« Onde reservo alojamento? Encontre os melhores hotéis e promoções através do Booking.com »
« Rent-a-car? Eu reservo sempre o meu carro online através do Rentalcars.com »
« Quer estar prevenido? Faça o seu seguro de viagem através do Worldnomads.com »
« Junte-se a um grupo! 7 dias em Marrocos 430 euros desde Marraquexe até ao Deserto do Saara através do Marrocos.com »
« Comprar bilhetes de monumentos e saltar as filas? Organize a sua viagem com antecedência através do Ticketbar.eu »
« Quer viajar e ter sempre Internet? Faça como eu e compre o aparelho da SkyRoam.com »

O autor do blog

VIVA! Sou o João Leitão. Viajante independente desde 1999, explorei mais de 130 países em África, Antártica, Ásia, Europa, América do Norte e Central, América do Sul e Oceânia. Bem-vindo ao meu blog de viagens, onde partilho dicas práticas de viagem para o motivar a sair de casa! Siga nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram, Pinterest e YouTube.

« Seguir no Instagram »