🐪 » Viagem de grupo 7 dias em Marrocos por 430 Euros » Marrakech até Deserto do Saara » Mais info em MARROCOS.COM « 🐪

🌍 Visitar Bahrein – Roteiros e Dicas de Viagem

Actualizado em 28 Julho, 2017
Visitar Bahrein – Roteiros e Dicas de Viagem

Visitar Bahrein – Roteiros e Dicas de Viagem

Guia de Viagem do Bahrein

Viajar no Bahrein – informação de viagem.

Tudo sobre visitar os melhores locais e destinos do Bahrein. Ideias de roteiros e itinerários com informação de alojamento, transporte, muitas galerias de fotografias, restaurantes, vídeos e mapas.

Organize as suas férias no Bahrein. Alguma pergunta ou opinião deixe um comentário no fim da página.

Nesta página você encontra:

  1. Reino do Bahrein – Informação prática
  2. Turismo no Bahrein – Apresentação
  3. História, Geografia e Cultura
  4. Clima e Quando ir
  5. Vídeo do Bahrein
  6. Resumo de viagem ao Bahrein
  7. Guia de Viagem: artigos para consultar
  8. Roteiros no Bahrein
  9. Locais UNESCO no Bahrein
  10. Kit de Viagem

Obrigado.

Reino do Bahrein (Barein, Barém, Bareine)

Bandeira Bahrein

Bandeira do Bahrein

  • Capital: Manama.
  • Língua oficial: Árabe e inglês.
  • Rei: Hamad bin Isa al-Khalifa.
  • População 2009: 791.000 habitantes.
  • Moeda: Dinar bareinita.
  • Área Total: 750 km².
  • Fuso horário: UTC +3.
  • Código telefónico internacional: +973.
  • Clima: Árido, deserto.
  • Visto: É preciso visto para o Bahrein, pode-se comprar no aeroporto à chegada.
  • Fronteiras: O Bahrein é uma ilha, mas está ligado por uma ponta à Arábia Saudita.
  • Locais a não perder: Manama.
  • Quando visitei o Bahrein: Agosto 2015.
Mapa Bahrein

Mapa da localização geográfica do Bahrein no Mundo

Turismo no Bahrein, Roteiros de Viagem

Barcos tradicionais em Doha, Visitar o Bahrein

Barcos tradicionais em Manama, Visitar o Bahrein

O Bahrein é um país fascinante para passar férias.

Eu tenho uma grande atracção pelos países do Golfo Pérsico. Gosto do exotismo, do clima, das paisagens. Mais uma vez aproveitei para explorar outro lugar na região.

O Bahrein surpreendeu-me pela positiva pois é um país tão pequeno mas com uma história milenar, e com imensos monumentos para visitar.

Fiquei um par de dias no Bahrein e, alugando um carro, viajei um pouco por todo o lado para aproveitar ao máximo o que o país tem para oferecer aos viajantes.

Apresentação da História, Geografia e Cultura:

A história do Bahrein começa na Antiguidade, época em que estas ilhas já suscitavam interesse nos mais variados povos, uma vez que estão localizadas numa posição estratégica para a paragem durante as rotas comerciais. O seu nome “Bahrein” provém do árabe, que tem como significado “dois mares”, embora fossem conhecidas como as Ilhas Tylos entre os gregos. Foi no século XVI, que Afonso de Albuquerque e os portugueses se estabeleceram nestas ilhas e que construíram o Forte do Bahrein, actualmente declarado na lista da UNESCO, como Património da Humanidade. No século XVII, estabeleceu-se aqui o Império Safávida com a ajuda dos britânicos, fazendo deste local, uma base militar muito respeitada por outros povos, no entanto, ainda assim, sofreu muitas investidas dos russos e dos otomanos, que fundaram a dinastia que ainda hoje governa. Esta dinastia lutou e conquistou a sua independência, transformando-se em emirado, em 1971. Dois anos mais tarde, promulgou-se uma constituição e estabeleceu-se um regime monárquico.

A geografia do Bahrein conta com a área territorial de 694 Km2 e é um arquipélago de trinta e cinco ilhas e ilhotas, localizado no Golfo Pérsico. Situa-se a Leste da Arábia Saudita e a Noroeste do Qatar. Num grande número existente de ilhas pertencentes a este território, só três se encontram habitadas, nomeadamente Bahrein, Umm Nassam e Al Muharraq. A ilha que conta com maior extensão (16 Km) e que se situa a Leste-Oeste, é a Dhkle Bahrein, e a ilha principal é conectada através de uma estrada às ilhas de Muharraq e Sitra. Os 130 metros ilustrados pelo Monte de Jabal Dukhan é a altitude máxima deste arquipélago, situado na ilha principal, sendo representado também por florestas densas, apesar de rodeadas de áreas desérticas. À volta das ilhas encontramos imensos viveiros para a extração da pérola, tal como de plataformas de petróleo, que fazem parte do cenário.

A cultura do Bahrein apesar de ligada ao islamismo é uma sociedade que vive uma amizade com os ocidentais e não muçulmanos. Como exemplo disso é dos poucos países muçulmanos onde é possível beber álcool. É um país extremamente consumista, pois com a produção de petróleo, à semelhança dos Emirados Árabes Unidos, possuem uma riqueza e uma excentricidade sem igual. Este país cosmopolita envolveu-se com a modernidade e com a tecnologia, embora goste sempre de dar continuidade às tradições e práticas culturais com o máximo de respeito. Apesar de existirem códigos de como se deve vestir, nomeadamente as mulheres, que não devem ter partes do corpo à mostra e os homens devem sempre vestir calças, é possível vestir biquíni ou calções de banho nas piscinas e nas praias. Tenha em atenção que são pouco tolerados gestos carinhosos entre um casal em público, caso contrário, poderá ter problemas com a justiça local.

Clima e Quando ir:

Para saber quando ir ao Bahrein você precisa de se informar um pouco melhor acerca das suas estações e clima. A melhor altura para visitar o Bahrein é entre os meses de Novembro e Março.

O clima do Bahrein é árido com a particularidade de soprar ventos de Noroeste. Uma vez que o clima é bastante quente nos meses de Verão, pois as temperaturas atingem os 40º C entre os meses de Dezembro e Março, os meses de Inverno tornam a estadia no Bahrein muito mais agradável, entre os meses de Dezembro e Março (média de 25º C). A chuva é quase nula neste país, chegando por vezes a chover só cerca de 10 dias durante um ano. A temperatura da água do mar regista a média de 33º C.

Bahrain Promo Tourism Video

Vídeo do Turismo do Bahrein.

O que visitei / Resumo de viagem ao Bahrein

Por ordem de visita.

Arad, Bahrein
Arad, BahreinArad: é uma cidade na Ilha de Muharraq na ponta Nordeste do Bahrein no Golfo Pérsico. A Ilha de Muharraq está ligada à Ilha principal (o Bahrein é uma ilha) por uma ponte. Estando numa posição mais avançada no Golfo Pérsico em relação à Ilha-mãe, Arad teve sempre uma importância estratégica de defesa do território como comprova o Forte de Arad (Qal’at ‘Arad). Este Forte construído no estilo árabe do século XV, foi tomado pelos Portugueses em 1521 e mais tarde pelos Omanis por volta de 1800. O Forte foi é uma estrutura militar rectangular e com torres circulares em cada um dos cantos. Era cercado por um pequeno fosso de água para dificultar investidas. A construção do Forte revela a arquitectura típica desta região: as paredes grossas de pedra revestidas de barro e estruturas reforçadas com troncos de palmeira. Estes materiais originais foram mantidos aquando da restauração do edifício nos anos 80 mantendo assim os seus traços originais. O Forte de Arad é uma das principais estruturas militares do Bahrein e tem um significado ainda mais especial para os Portugueses por este ter sido também um Forte Português a tantos quilómetros de distância.
Qal'at al-Bahrain, Bahrein
Qal'at al-Bahrain, BahreinQal’at al-Bahrain: o Forte do Bahrein (ou Qal’at al-Bahrain em Árabe) é também conhecido como Forte Português da ilha do Bahrein e fica 10 km a Norte da capital Manama. Durante a ocupação portuguesa este foi o principal ponto de defesa da Ilha contra os ataques dos Otomanos. Os Portugueses procederam a algumas ampliações no edifício por volta de 1561 com um projecto do arquiteto português Inofre de Carvalho, que lhe acrescentou baluartes. Os Portugueses foram expulsos do Bahrein em 1602, pelas forças de Shah Abbas. Este foi o primeiro Forte do Bahrein no século XV-XVI mas o local já teria sido habitado pela civilização Dilmun como comprovam os vestígios de acrópoles aqui encontrados. O Forte do Bahrein é Património Mundial da UNESCO.
Templo de Barbar, Bahrein
Templo de Barbar, BahreinTemplo de Barbar: o Templo de Barbar é, na verdade, três templos construídos em épocas diferentes um por cima do anterior. Este sítio arqueológico fica em Barbar na costa Norte do Bahrein, a 15 km Oeste de Manama. O templo mais antigo será do II ou III milénio, o segundo templo terá sido construído uns 500 anos depois, e o terceiro e mais recente será do ano 2100-2000 A.C. Pensa-se que estes templos terão sido locais de adoração da Deusa Enki, Deusa da Sabedoria e da Água Doce, dai os altares e a fonte identificados no complexo. Durante as escavações no local foram ainda encontrados vários artefactos e objectos que estão agora em exposição no Museu Nacional do Bahrein.
Templo de Diraz, Bahrein
Templo de Diraz, BahreinTemplo de Diraz: o Templo de Diraz (ou Ad-Diraz) fica muito próximo do Templo de Babar, a apenas 2 km a Oeste. Fica na aldeia com o mesmo nome, mas o sítio arqueológico está pouco explorado. À vista estão os restos de umas colunas cilíndricas que deixam antever que ali terá sido um templo, provavelmente da mesma época do templo de Barbar, 3000 anos A.C.
Ruínas de Saar, Bahrein
Ruínas de Saar, BahreinRuínas de Saar: as ruínas de uma cidade da era Dilmun ficam nos arredores da cidade de Saar, a poucos quilómetros su-sudeste de Diraz. Este complexo arqueológico deixa vislumbrar o que terá sido as paredes das casas, que mostram a configuração singular da cidade, pois as casas são todas encostadas umas às outras partilhando paredes meias. Um pouco mais afastado da zona residencial podem-se ver os vestígios do que seria o cemitério.
Túmulos de Dilmun, Bahrein
Túmulos de Dilmun, BahreinTúmulos de Dilmun: havia milhares destes túmulos espalhados pelo Bahrein, pois aqui terá sido a capital do antigo reino Dilmun (3000 a.C.). Os túmulos da civilização Dilmun são montes de terra cobertos com pequenas pedras, que podem chegar aos 12 metros de altura. Os maiores deveriam ser os dos reis ou pessoas importantes. O corpo era sepultado em posição fetal com os seus principais pertences aos pés. Depois era coberto de terra formando um monte. Podem-se encontrar estes relevos no meio da cidade como em A’ali, poucos quilómetros a Sul de Saar.
Fazenda de Camelos Real, Bahrein
Fazenda de Camelos Real, BahreinFazenda de Camelos Real: há várias fazendas de camelos no Bahrein mas esta é uma Fazenda Real porque pertence à família real e aqui o objectivo da criação de camelos não é para corridas ou para obtenção de carne. Podemos dizer que aqui os camelos têm uma vida de rei, pois tudo o que têm de fazer é comer, descansar à sombra nas suas belas instalações e pousar para as fotos dos turistas. A Fazenda de Camelos Real fica na localidade de Al Janabiyah no Oeste do país (perto da autoestrada rodovia – King Fahad Causeway que liga Manama à Arábia Saudita). Apesar de se ter tornado numa atracção turista, a quinta não é explorada nesse sentido, a entrada é gratuita e não há actividades organizadas, peça aos tratadores permissão para poder interagir um pouco com os animais, como dar-lhes comida. Uma gorjeta será sempre bem-vinda, como é evidente. A visita a uma fazenda de camelos é uma experiência a não perder numa visita ao Bahrein e nesta terá para cima de 500 animais. Vai poder tirar muitas fotos e, fotos com muitos camelos!
Manama, Bahrein
Manama, BahreinManama: é a capital do Bahrein e concentra um quarto da população total do país. Fica na ponta mais nordeste do Bahrein que liga, através de uma ponte, à Ilha de Al Muharraq no Golfo Pérsico. A cidade foi ocupada pelos portugueses em 1521, depois pelos Safávidas em 1602 e durante o século XIX e foi um protectorado Britânico até à sua independência em 1971. Alguns vestígios destas ocupações são visíveis na cidade de Manama, como é o caso do Forte do Bahrein (Qalat al-Bahrain) com heranças dos sumérios e dos portugueses, a porta da cidade Bab al-Bahrein construída pelos britânicos em 1945 (apesar de depois da independência ter sofrido um re-styling para o aproximar mais do estilo árabe). Para conhecer transversalmente toda a história do país e também aspectos etnográficos e até de história natural, o Museu Nacional do Bahrain é imperdível. Este museu fica num emblemático edifício de arquitectura pós-moderna e numa baía, tornando-o ainda mais bonito com o grande espelho de àgua a marcar a paisagem. Recentemente, em 2012, foi inaugurado o Teatro Nacional do Bahrein que foi anexado ao complexo do museu. Outra atracção da cidade é a grande Mesquita Al-Fatih, construída em 1984 e que pode receber 7000 pessoas. É um edifício de traços simples mas com bonitos pormenores nos rendilhados das janelas e nos painéis em caligrafia cúfica (a mais antiga da escrita árabe). Se gosta da rica caligrafia árabe então no Museu de Beit al-Quran encontrará os mais belos exemplos de caligrafia árabe em manuscritos, no al-corão e outros objectos de arte islâmica. Para mergulhar na cultura deste povo e no seu quotidiano mais tradicional nada melhor do que entrar e percorrer as ruas agitadas do Bab el-Bahrein Souk e ver o antigo e o moderno por vezes lado a lado.
Indústria perlífera tradicional, Bahrein
Indústria perlífera tradicional, BahreinIndústria perlífera tradicional: é o nome dado ao complexo com 3.5 km localizado na ilha de Al Muharraq. Aqui existiu um importante povoado que vivia do cultivo de pérolas (tal como em outras partes do país). A indústria perlífera era uma importante actividade desde os anos 2000 a.C mas o seu apogeu deu-se entre 1850 e 1930 quando as pérolas eram mais valiosas do que os diamantes e joelheiros como Jacques Cartier procuravam estas preciosidades. Com o início em grande escala do cultivo de pérolas no Japão, a indústria decaiu vertiginosamente. O complexo que hoje se pode visitar para testemunhar este importante episódio da história do Bahrein, é constituído por 17 edifícios (casas, lojas, armazéns e uma mesquita), 3 camas de cultivo de ostras e um segmento da costa e mar em frente à fortaleza de Bu Mahir, no Sul de Muharraq. Este sítio é Património Mundial da UNESCO.
Khamis, Bahrein
Khamis, BahreinKhamis: é uma pequena área residencial a 5,5 km a sudoeste de Manama. Aqui fica a mesquita mais antiga do Bahrein – a Mesquita de Khamis. Terá sido construída inicialmente em 692 d.C. mas ao longo dos séculos sofreu ampliações e alterações como seria natural. Os minaretes por exemplo terão sido acrescentados no século XIV ou XV.
Riffa, Bahrein
Riffa, BahreinRiffa: a cidade de Riffa fica no Centro do país a cerca de 20 km de Manama. A cidade está dividida em Riffa oriental, a zona comercial e de negócios, e a parte ocidental uma área residencial nobre com condomínios de luxo e onde vivem membros do governo e a própria família real. Mas a principal atracção da cidade é o Forte Sheikh Salman Bin Ahmad Al Fateh ou simplesmente Forte de Riffa construído no século XVII pelos Safávidas. No século XIX foi residência oficial da família real e sede do governo. O edifício está bem conservado e tem infraestruturas recentes de apoio ao turismo, como um restaurante e esplanada de onde se pode observar a cidade cá em baixo. Outro marco da cidade é a Torre do relógio que fica no centro e é um edifício de referência na paisagem de Riffa.
1º Poço de Petróleo, Bahrein
Poço de Petróleo, Bahrein1º Poço de Petróleo: o primeiro poço de petróleo da Península Arábica foi descoberto no Bahrein. Este local é agora uma atracção turística dada a importância deste recurso natural para a economia do país (e do mundo). A descoberta do petróleo coincidiu com o colapso da indústria das Pérolas salvando o país da miséria. O petróleo foi descoberto em 1931, a cerca de 13 km a Sul de Riffa e, perto das Montanhas de Jebel Dukhan, e começou a ser extraído em 1932. Ao lado do poço existe o Museu do Petróleo onde poderá recolher mais informações sobre a história da exploração petrolífera no Bahrein.
Árvore da Vida, Bahrein
Árvore da Vida, BahreinÁrvore da Vida: esta lendária árvore está localizada no meio de uma extensa zona árida onde a vegetação reduz-se a umas plantas rasteiras aqui e acolá. No meio desse deserto sobressai logo a imagem desta árvore de aspecto verde e saudável. Este local fica a cerca de 10 km de Askar e cerca de 3,5 km a Oeste de Jaww, na costa Este do Bahrein. Chamam-lhe Árvore da vida (Shajarat-al-Hayat) porque se crê ter mais de 400 anos e se manter até aos dias de hoje, num lugar estéril onde há poucas formas de vida. A lenda conta que esta árvore terá sido plantada em 1583 e seria lugar de culto. Nas imediações da árvore foram encontrados vestígios de objectos que terão pertencido à antiga civilização Dilmun. A Árvore da Vida transformou-se numa das mais conhecidas atracções turísticas do Bahrein.
Praia Al Jazair, Bahrein
Praia Al Jazair, BahreinPraia Al Jazair: esta é a única praia pública do país, o que à primeira vista parece estranho pois o Bahrein é uma ilha e de costa com areal. De facto existem muitas praias mas são todas privadas. A praia de Al Jazair fica na costa Ocidental a cerca de 40 km de Manama. É uma praia selvagem, de areia branca e algumas pedras à beira mar. Espalhadas pelo areal podem-se ver algumas árvores tipo prosopis, não as palmeiras a que estamos habituados por isso é uma paisagem peculiar, uma mistura de deserto com mar. Não há infra estruturas turísticas na praia, apenas um clube de vela.
Ponte do Rei Fahd, Bahrein
Ponte do Rei Fahd, BahreinPonte do Rei Fahd: esta ponte liga o Bahrein (que é uma ilha) à Arábia Saudita, no continente. A ponte integra um complexo de cinco pontes e vários viadutos que ligam a capital do Bahrein, Mamana, à cidade mais Oriental da Arábia Saudita, Khobar. São ao todo 25 km de pontes e estradas. A obra demorou quatro anos a concluir e foi inaugurada a 25 de Novembro de 1986. Está entre as 10 maiores pontes do mundo.
Al Jasrah, Bahrein
Al Jasrah, BahreinAl Jasrah: é uma aldeia na costa Este perto da Ponte do Rei Fahd (King Fahd Causeway). A aldeia é conhecida sobretudo por ter uma casa famosa – Bait Al-Jasra – uma casa tradicional construída em 1907 pelo Shaikh Hamad bin Abdullah Al-Khalifa e onde nasceu em 1933 o Emir Isa bin Salman Al Khalifa, o primeiro Emir do Bahrein. A casa é agora um centro de artesanato que pretende dar a conhecer as importantes actividades artesanais da aldeia: tecelagem, trabalhos em madeira e cestaria.
Locais UNESCO no Bahrein
Estes são todos locais que vale a pena visitar no Bahrein. Os locais UNESCO Património Mundial no Bahrein são locais protegidos pela sua importância cultural ou natural.

Locais inscritos na Lista do Património Mundial no Bahrein:

  • Qal’at al-Bahrain
  • Indústria perlífera tradicional, testemunho de uma economia insular

Deixe o seu comentário aqui:

João Leitão - O autor do blog:

VIVA! Sou o João - blogger de viagens. Com 20 anos de experiência como viajante independente, explorei mais de 128 países em África, Antártica, Ásia, Europa, América do Norte e Central, América do Sul e Oceânia. Bem-vindos ao meu blog de viagens, onde partilho informação prática de viagem para o motivar a sair de casa! Siga nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram, Pinterest e YouTube.

Kit de Viagem:

  • Onde eu reservo alojamento? Encontre os melhores hotéis e promoções através do Booking.com
  • Eu reservo sempre o meu carro online através do Rentalcars.com
  • Quer estar prevenido? Faça o seu seguro de viagem através do Worldnomads.com
  • 7 dias em Marrocos 430 euros desde Marrakech até ao Deserto do Saara através do Marrocos.com
  • Quer viajar e ter sempre Internet? Faça como eu e compre o aparelho da SkyRoam.com
* Esta página tem links de afiliados. Quando você reserva algo através deste blog, eu retenho uma pequena comissão que não altera o preço final. Obrigado!

Blog de viagens mencionado em:

Blog de viagens nos Media

« Seguir @joaoleitaoviagens no Instagram »