🐪 » Viagem de grupo 7 dias em Marrocos por 430 Euros » Marrakech até Deserto do Saara » Mais info em MARROCOS.COM « 🐪

🌍 Visitar Índia – Roteiros e Dicas de Viagem

Actualizado em 7 Agosto, 2017
Visitar Índia – Roteiros e Dicas de Viagem

Visitar Índia – Roteiros e Dicas de Viagem

Guia de Viagem da Índia

Viajar na Índia – informação de viagem.

Tudo sobre visitar os melhores locais e destinos da Índia. Ideias de roteiros e itinerários com informação de alojamento, transporte, muitas galerias de fotografias, restaurantes, vídeos e mapas.

Organize as suas férias na Índia. Alguma pergunta ou opinião deixe um comentário no fim da página.

Nesta página você encontra:

  1. República da Índia – Informação prática
  2. Turismo na Índia – Apresentação
  3. História, Geografia e Cultura
  4. Clima e Quando ir
  5. Vídeo da Índia
  6. Resumo de viagem à Índia
  7. Guia de Viagem: artigos para consultar
  8. Roteiros na Índia
  9. Locais UNESCO na Índia
  10. Kit de Viagem

Links rápidos para melhores artigos:

República da Índia

    Bandeira India

    Bandeira da Índia

  • Capital: Nova Deli.
  • Língua oficial: Hindi, inglês e mais 21 línguas nacionais.
  • Presidente: Pranab Mukherjee.
  • População 2010: 1.210.193.422 habitantes.
  • Moeda: Rupia indiana.
  • Área Total: 3.287.590 km².
  • Fuso horário: UTC +5:30.
  • Código telefónico internacional: +91.
  • Clima: desértico, montanhoso, tropical húmido, tropical semihúmido e o subtropical húmido.
  • Visto: É preciso visto para visitar a Índia. Pode-se fazer o e-visa online – processo muito simples.
  • Fronteiras: Paquistão, República Popular da China, Nepal, Butão, Myanmar e Bangladesh.
  • Locais a não perder: Varanasi, Agra, Jaipur, Ladakah, Srinagar, Caxemira, Amritsar, Goa.
  • Quando visitei a Índia: Maio 2016.
  • Mapa India

    Mapa da localização geográfica da Índia no Mundo

Turismo na Índia, Roteiros de Viagem

Taj Mahal em Agra, Visitar Índia

Taj Mahal em Agra, Visitar Índia

A Índia é um país fascinante para passar férias.

Tive a oportunidade de viajar na Índia durante três semanas, explorando um pouco alguns dos lugares mais conhecidos do norte do país.

Numa primeira abordagem, posso dizer que a Índia em si é um país cheio de contrastes, onde cada região tem as suas particularidades a nível de paisagens, arquitectura, idiomas, música e mesmo religião.

Locais especiais na Índia:

  • Taj Mahal
  • Varanasi
  • Grutas de Ajanta
  • Lago Dal em Srinagar
  • Jaisalmer
  • Jaipur

  • Amritsar
  • Parque Nacional Kanha
  • Praia Palolem em Goa
  • Templo Virupakhsa em Hampi
  • Udaipur
  • Leh

A Índia é um ataque visceral a todos os nossos sentidos. Além de ter muita população, há sempre algo que nos toca diariamente a nível sentimental.

Atravessei desde Calcutá até Nova Deli, sem perder as montanhas na zona de Caxemira e Ladakh.

Posso dizer que da minha viagem, não consegui ver tudo o que sempre desejei da Índia, mas durante as três semanas que fiquei vi imenso e acabei por ter vários momentos de puro contentamento em viagem.

Espero num futuro próximo poder visitar a Índia mais uma vez para conhecer outros lugares.

Coisas que gostei na Índia:

  1. A simpatia do povo indiano
  2. Viajar em classe normal num autêntico comboio indiano (trem)
  3. Atravessar os Himalaias à boleia (carona) de camião desde Sonamargh até Leh
  4. Visitar a cidade de Jaipur no Rajastão
  5. Subir ao Forte de Srinagar
  6. Visitar o mercado matinal de legumes no Lago Dal em Srinagar
  7. Explorar a cidade santa de Varanasi
  8. Comer no refeitório comunitário do complexo do Templo de Ouro em Amritsar

Apresentação da História, Geografia e Cultura:

Viajar IndiaA história da Índia é já bastante longa e antiga. A primeira ocupação neste território foi iniciada pelo povo Drávida até ao ano 2000 a.C., aquando foram atacados pelas tribos arianas, provenientes do Noroeste. Os Muçulmanos chegaram no século XII, mas foram substituídos pelos Mongóis, três séculos mais tarde. Vasco da Gama chegou à Índia em 1498, momento em que foi criada a Companhia Britânica da Índia Oriental, conjuntura que enfraqueceu o poder mongol. A influência e interesse por parte da Coroa Britânica eram cada vez mais evidentes, acabando por dominar a Índia a partir de 1757 até à década de 1950. A independência foi levada a cabo pelo Gandhi, que dedicou 50 anos da sua vida na ajuda aos desfavorecidos. A Índia é uma república composta por 50 estados e 7 territórios, com uma Constituição muito influenciada no modelo britânico de governo parlamentar, sendo que actualmente é regido por um Parlamento, o qual é composto por partidos políticos multipartidários.

A geografia da Índia conta com a área territorial de 3 287 590 Km2, é o sétimo maior país do mundo, e encontra-se localizado no Sul da Ásia. Este país faz fronteira a Noroeste com o Paquistão, a Norte com a China, com o Nepal e com o Butão, a Nordeste com o Bangladesh e com o Myanmar, sendo que é também banhado a Oeste pelo Mar Arábico, a Sul pelo Oceano Índico e a Leste pelo Golfo de Bengala. O cenário paisagístico aqui presente é composto por três zonas de relevo distintas, nomeadamente, os Himalaias, os quais ficam localizados no Norte e no Nordeste da Índia, o Planalto do Decão, na zona central do país, o qual se divide em duas cordilheiras (Gates Ocidentais e Gates Orientais) e as Planícies do Sul. A hidrografia é constituída por enormes rios, nomeadamente o Rio Ganges, o Rio Bramaputra, o Rio Yamuna, o Rio Godavari, Keveri, Narmada e Khrishna.

Rio Ganges em Varanasi

Rio Ganges em Varanasi

A cultura da Índia mantém-se intacta no que toca às suas tradições e costumes ancestrais, embora a tecnologia actual esteja bastante presente nas grandes cidades. A sua cultura também vive de uma grande mistura cultural dos países vizinhos, assim como das raízes provenientes dos povos emigrantes. A sociedade indiana é composta por uma hierarquia social, ou seja, por um sistema de castas que define a estratificação das classes sociais. Existe muito respeito pelos valores familiares, seguindo o modelo patriarcal. Os casamentos são arranjados pelos pais, mas com o consentimento dos noivos, os quais devem ser para toda a vida. Na Índia são permitidos casamentos na infância, uma vez que grande parte das mulheres se casam antes dos 18 anos de idade. A gastronomia indiana é confeccionada por uma grande variedade de ervas e especiarias, tornando-se única no mundo. Os principais ingredientes são o arroz, o trigo, a pimenta preta e o pimentão, tal como o caril ou o açafrão.

Clima e Quando ir:

Para saber quando ir à Índia você precisa de se informar um pouco melhor acerca das suas estações e clima. A melhor altura para visitar a Índia é entre os meses de Janeiro e Março, pois, nesta época, as temperaturas são mais frescas e secas, embora se estiver a contar visitar os Himalaias Noroeste, marque a sua viagem entre Junho e Setembro.

O clima da Índia é muito diversificado, uma vez que é um dos maiores países do mundo. Na costa do Malabar, Ilhas de Laquedivas, Andaman e Nicobar, o clima é tropical e húmido, enquanto que ao longo da Baía de Bengala e Maharashtra, o clima apresenta-se tropical húmido-seco. O seu clima é de monção, uma vez que os ventos sopram em direcções oposta durante o ano, provocando a diferenciação entre as estações.

Vídeo da vista do meu hotel em Varanasi

Vista espantosa do terraço do hotel onde fiquei na cidade santa de Varanasi.

O que visitei / Resumo de viagem à Índia

Por ordem de visita.

Calcutá, Índia
Calcuta IndiaCalcutá é a cidade localizada a Leste da Índia e é a capital da região de Bengala Ocidental. Esta cidade fica situada às margens do Rio Hooghly, bastante próxima do Bangladesh e é a terceira maior cidade deste país, sendo considerada uma das cidades com mais população da Índia. Foi no século XVII que a Companhia Inglesa das Índias Orientais fundou a cidade de Calcutá e, desde sempre que viveu grandes problemas sociais, nomeadamente extrema pobreza e problemas ambientais no que toca à poluição. Tem dos portos marítimos e um centro industrial mais importantes da zona Oriental do país, uma vez que produz imensas manufacturas têxteis, de papel e de produtos metálicos. Um ponto interessante de referir é a presença de uma arquitectura ocidental (europeia), mais propriamente no centro antigo da cidade. Esta cidade é bastante caótica, não é muito interessante e é difícil para um comum ocidental ver com os seus próprios olhos a miséria aqui existente, tal como o trânsito é sem lei e os hotéis são pouco convidativos. No entanto, é uma verdadeira aventura e, se estiver disposto a isto tudo, não deixe de visitar Calcutá. Visite o Palácio dos Vice-Reis, que hoje é um museu, o Jardim Botânico e fique a conhecer a floresta encantada Sundara Vana, onde passa o Rio Ganges e poderá avistar um Tigre de Bengala ou um Crocodilo.

Varanasi, Índia
VaranasiVaranasi é um dos destinos turísticos que mais impressiona e transforma quem escolhe este local para passar as suas férias. Considerado um lugar sagrado, o seu nome significa “Porta do Céu”, a conhecida passagem que dá acesso à vida eterna, segundo a doutrina Hindu. É das cidades religiosas mais antigas de todo o mundo e quando um comum ocidental aqui chega, depara-se com uma cultura completamente distinta da sua. Este povo está estritamente ligado à religião e todas as suas acções são direccionadas ao culto do divino. O Rio Ganges é um rio sagrado, acreditando-se que as suas águas provieram directamente do céu, bastante adorado pelo seu povo e onde são realizados todos os seus rituais religiosos. Os indianos banham-se nestas águas a fim de serem purificados e, à sua volta, vê-se sempre pessoas a meditar, a praticar o Yoga e a fazer oferendas aos deuses Hindus. Os mantras são entoados a todo o momento em homenagem a Shiva e tudo é simplesmente diferente do que nós conhecemos. Prepare-se para conhecer um lugar sujo e desorganizado que, para nós poderá ser, por vezes, um pouco desconfortável. Os locais que deve visitar são Dasaswamedt Ghat, Asi Ghat, Man Mandir Ghat, Manikarnika Ghat, Templo de Kashi Vishwanath, Templo de Durga, Bharat Mata, Mercado de Varanasi, Bharat Mata, entre outros.

Sarnath, Índia
SarnathSarnath fica bastante próxima a Varanasi, uma vez que está erigida perto dos rios Ganges e Gomati. A história conta que Buda veio a Sarnath para espalhar a sua palavra religiosa e também foi aqui que proferiu o seu primeiro sermão. Actualmente, é um dos locais mais importantes do circuito budista, em conjunto com Bodhgaya, Kushinagar e Lumbini (Nepal). Um dos locais que deve visitar é o Deer Park, construído pelo Imperador Ashoka, no ano 249 a.C., e onde foram sendo acrescentadas, ao longo dos tempos, outras estruturas budistas (edifícios, grandes estátuas). Esta cidade é, ao contrário dos grandes centros urbanos indianos, bastante pacífica e repleta de vegetação verde, sendo aconselhável ficar a dormir em Varanasi, a 13 quilómetros daqui. Visite Dhamekh Stupa, Chaukhandi Stupa, Mulagandhakuti Vihara, Pilar Ashoka, Museu Arqueológico de Sarnath, Templo Sri Digamber Jain e o Templo Budista Jambu dvip srilanka.

Agra, Índia
AgraAgra situa-se na região Norte da Índia, Uttar Pradesh. É uma cidade bastante conhecida pelo seu imponente e belíssimo monumento Taj Mahal, o qual faz parte da lista de Património Mundial da UNESCO, tal como o Forte de Agra e Fatehpur Sikri. O Taj Mahal é um dos principais monumentos da Índia, fazendo desta visita um ponto chave da sua viagem a este país. Por outro lado, é um lugar (situação presente em quase toda a Índia) onde a poluição chega a pontos exagerados, seja ao nível atmosférico ou através do lixo deixado e espalhado pelas ruas. Está sempre cheio de turistas por toda a parte, tal como de “touts”, pessoas que tentam convencer os turistas a comprarem os seus produtos ou a entrarem nos seus restaurantes. Outrora, esta cidade foi a capital do Império Mughal nos séculos XVI e XVII, tal como foi a capital dos mongóis, o que reflecte a importância deste lugar durante muitos séculos.

Jaipur, Índia
JaipurJaipur é uma cidade que exerce a qualidade de capital do maior estado indiano, o Rajastão. A cerca de três horas de carro de Nova Deli, Jaipur é uma cidade bastante conhecida pelo seu exotismo e pelos edifícios pintados em tons de rosa, o que denominou esta cidade como a Cidade Cor-de-Rosa da Índia. Esta cor remete ao significado de hospitalidade. Reza a lenda que, no século XIX, um marajá mandou pintar todos os edifícios da cidade de cor-de-rosa, a fim de agradar o Príncipe de Gales, aquando da sua visita a este país. Nesta cidade é comum ver-se os homens a usarem turbante na cabeça e as mulheres um véu, pois como é uma cidade muito quente, estes adereços servem para ajudar as pessoas a não sofrerem com as temperaturas altíssimas (40º C). Imagine-se nas ruas de Jaipur e estar no meio de mil cores, de muito movimento de pessoas, de vacas, macacos, bicicletas e tuk-tuks em completa harmonia. Não perca a oportunidade de andar pelas ruas onde o cor-de-rosa predomina o cenário, cheias de lojas; visite também o Hawa Mahal, também conhecido como o Palácio dos Ventos. Obrigatório é conhecer também o imponente Forte Amber, tal como o Palácio das Águas ou Jal Mahal. Um local curioso é o crematório de mulheres da família real, o Royal Gaitor, que não deve deixar de visitar.

Amritsar, Índia
AmritsarAmritsar é uma cidade, considerada como o centro espiritual e cultural da religião Sikh, onde o local mais importante do seu culto é o Templo Gurdwara. O nome da cidade provém da analogia feita com a “santa piscina do néctar” do Templo Dourado, significando o lago sagrado. Perto deste templo, encontrará um belo jardim, o Jallianwala Bagh, palco do massacre de 1919 aqui existente, o qual conta que os soldados do exército britânico abriram fogo contra civis desarmados (1600 mortos). Foi construído um memorial nos anos 60, local onde ainda poderá ver os buracos das balas, que marca o acontecimento de uma forma bastante intensa. Visite também o Templo Durgiana, onde se pratica a religião Hindu, embora a sua arquitectura respeite muito as linhas arquitectónicas do Templo de Ouro. Visite o Palácio de Verão, de Magaraja Ranjit Singh, no Parque Bagh, que hoje funciona como um museu cheio de pinturas a óleo, moedas e armas de outrora.

Srinagar, Índia
SrinagarSrinagar é uma cidade localizada e considerada a maior cidade na região de Caxemira. Não é uma cidade muito segura, situação que ainda é visível uma vez que as ruas têm alguns soldados armados, a fim de manter a situação mais controlada. Sempre foi uma cidade muito procurada durante o Verão, pois oferece imensas condições para passar momentos muito agradáveis durante a época balnear. Repare nas casas enormes, de estilo de férias e de estilo ocidental. Visite os Jardins Mughal, locais onde as pessoas adoram fazer piqueniques, desporto ou simplesmente param para descansar um pouco do calor e confraternizar. Visite o Nishat Bagh, um jardim construído ao lado do Lago Dal, onde as Montanhas Zabarwan são o cenário de fundo, ilustrando uma vista inacreditável. A Mesquita Hazratbal é uma mesquita construída toda em branco, muito bonita, no entanto se for uma mulher, tenha em atenção que só poderá entrar até certa parte do edifício. Visite também a Mesquita Jamia Masjid, de madeira e tijolo, que remonta ao século XIV, bastante interessante.

Sonamarg, Índia
SonamargSonamarg é uma estância de montanha localizada na região de Gandebal, mais propriamente no estado de Jammu e Caxemira. Encontra-se bastante próxima dos glaciares do Himalaia do Vale de Caxemira, os quais são denominados por Glaciar Kolhoi e o Glaciar Machoi, com altitudes até aos 5000 metros (especialmente os picos Sirbal, Kolhoi, Amarnath e Machoi). Nallah Sindh e o Rio Sindh são das principais atracções turísticas em Sonamarg, onde vão milhares de visitantes por ano. A paisagem é incrível – imagine uma planície com tons dourados, com montanhas cobertas de neve como cenário de fundo, e em contraste com um céu azul. Aqui também poderá fazer caminhadas desfrutando da paisagem com vários lagos existentes entre as montanhas, nomeadamente os lagos Vishansar, Kishansar, Gadsar, Satsar e Gangabal, todos eles lugares de tirar o fôlego.

Kargil, Índia
KargilKargil é uma cidade localizada na região de Kargil de Ladakh, mais propriamente no estado de Jammu e Caxemira. Esta cidade faz a ligação rodoviária entre muitas cidades, nomeadamente para Leh, Srinagar e Padum. É uma cidade de pequeno porte, permitindo-nos conhecê-la a pé sem quaisquer dificuldades, facto que também atrai muitos turistas de mochila ou de caravanas. Tornou-se, de uma forma menos boa, conhecida através do conflito de Kargil, aquando este território foi atacado e bombardeado pelos militares paquistaneses. Aqui é possível praticar actividades como o trekking e rafting, ou o montanhismo. Visite o Museu Munshi Aziz, onde poderá conhecer alguma história através de objectos de outrora, assim como poderá fazer uma visita ao Gongma, no topo da cidade, a fim de deleitar-se com uma vista inesquecível. Conheça a Mesquita Jameh, de orientação xiita, local onde qualquer pessoa poderá entrar e conhecer. A sociedade de Kargil é um pouco conservadora, motivo pelo qual deve ter algum cuidado (especialmente as mulheres) com o vestuário, a fim de não chocar os habitantes e as suas crenças com roupas justas ou curtas demais.

Leh, Índia
LehLeh é uma cidade localizada no Vale do Rio Indua, que foi bastante importante durante as antigas rotas comerciais de Kashgar, Tibete e Caxemira. Esta situação alterou-se quando a Índia foi colonizada pela Coroa Britânica. A partir dos anos 70 Leh tornou-se numa cidade turística muito procurada pelos estrangeiros, atraindo milhares de visitantes por ano, apesar de ser uma cidade pequena. O cenário desta cidade é composto por casas construídas de barro, erigidas em ruas sinuosas, que nos encaminham para o Bazaar deste centro urbano. Este lugar é bastante histórico e, naturalmente, tem imensos lugares para visitar. Conheça o Palácio de Ladakh, cuja construção remonta ao século XVII, visite os imensos templos budistas como o Namgyal Tsemo Gompa, o Soma Gompa e o Karma Dupgyud Choeling, não podendo também perder a mesquita budista Shanti Stupa. Não deixe de vislumbrar a beleza do Lago Pangong Tso, com águas azuis e cristalinas, com montanhas altíssimas como cenário de fundo.
Shey, Índia
SheyShey é uma pequena vila do distrito de Jammu e Caxemira, bastante próxima da cidade de Leh, situada mais propriamente no Vale do Indo (zona superior), com uma altitude de quase 4000 metros. Era uma localidade de passagem integrada nas rotas comerciais, muito usada, particularmente pelos Chineses. É de visita obrigatória o Palácio de Verão dos Reis de Ladakh, construído há cerca de 600 anos, o qual tem uma das maiores estátuas douradas de Buda. Se tiver oportunidade, participe no Festival Sindhu Darshan, celebrado às margens do Rio Sindhu.
Nova Deli, Índia
Nova DeliNova Deli é a capital do imenso país, a Índia. É uma cidade com um encanto especial, bastante urbanizada, embora se sinta o lado tradicional bastante presente, provocando um grande contraste. É um lugar repleto de mil cores, mil cheiros e mil sabores diferentes e quem visita esta cidade, se for ocidental, deve preparar-se para um choque de culturas imenso. Aqui, e em quase toda a Índia, existe um grande índice de pobreza, de poluição, sendo que o trânsito é sem lei e caótico. Ao habituar-se, irá viver a experiência da sua vida, cheia de momentos ímpares, ligados a uma história e a uma cultura únicas no mundo. Esta cidade, imensamente cultural, divide-se em duas zonas, a cidade antiga e a cidade nova, onde é aconselhável que se “perca” pelas ruas sinuosas que de repente vão dar a grandes praças, repletas de palácios e monumentos lindíssimos, dignos de contos-de-fada que ouvíamos em crianças. Aqui os animais andam nas ruas como se fossem pessoas – vacas, elefantes, camelos, no meio de carros e motas e pessoas – um caos completo, mas que é bastante cultural. A pior parte é o lixo espalhado ao longo das ruas; no entanto, facilmente somos distraídos pelos mantras entoados em todas as esquinas e por toda a riqueza aqui existente.

Locais UNESCO na Índia
Estes são alguns dos melhores destinos para visitar na Índia. Os locais UNESCO Património Mundial na Índia são locais protegidos pela sua importância cultural ou natural.

Locais inscritos na Lista do Património Mundial na Índia:

  • Forte de Agra
  • Grutas de Ajanta
  • Monumentos Budistas de Sanchi
  • Parque Arqueológico de Champaner-Pavagadh
  • Estação Chhatrapati Shivaji
  • Igrejas e Conventos de Goa
  • Grutas de Elephanta
  • Grutas de Ellora
  • Fatehpur Sikri
  • Grandes Templos Vivos de Chola
  • Conjunto de Monumentos de Hampi
  • Conjunto de Monumentos de Mahabalipuram
  • Conjunto de Monumentos de Pattadakal
  • Fortes nas Colinas do Rajastão
  • Túmulo de Humaium
  • Conjunto de Templos de Khajuraho
  • Conjunto do Templo de Mahabodhi em Bodhgaya
  • Caminhos de Ferro de Montanha na Índia
  • Qutb Minar e seus Monumentos, Déli
  • Rani ki kav em Patan, Gujarat
  • Conjunto do Forte Vermelho
  • Abrigos na Rocha de Bhimbetka
  • Templo do Sol
  • Taj Mahal de Agrda
  • Jantar Mantar de Jaipur
  • Parque Nacional do Grande Himalaia
  • Parque Nacional de Kaziranga
  • Parque Nacional de Keoladeo
  • Santuário de Fauna de Manas
  • Parques Nacionais de Nanda Devi e do Vale das Flores
  • Parque Nacional de Sundarbans
  • Gates Ocidentais

Deixe o seu comentário aqui:

João Leitão - O autor do blog:

VIVA! Sou o João - blogger de viagens. Com 20 anos de experiência como viajante independente, explorei mais de 128 países em África, Antártica, Ásia, Europa, América do Norte e Central, América do Sul e Oceânia. Bem-vindos ao meu blog de viagens, onde partilho informação prática de viagem para o motivar a sair de casa! Siga nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram, Pinterest e YouTube.

Kit de Viagem:

  • Onde eu reservo alojamento? Encontre os melhores hotéis e promoções através do Booking.com
  • Eu reservo sempre o meu carro online através do Rentalcars.com
  • Quer estar prevenido? Faça o seu seguro de viagem através do Worldnomads.com
  • 7 dias em Marrocos 430 euros desde Marrakech até ao Deserto do Saara através do Marrocos.com
  • Quer viajar e ter sempre Internet? Faça como eu e compre o aparelho da SkyRoam.com
* Esta página tem links de afiliados. Quando você reserva algo através deste blog, eu retenho uma pequena comissão que não altera o preço final. Obrigado!

Blog de viagens mencionado em:

Blog de viagens nos Media

« Seguir @joaoleitaoviagens no Instagram »