Senegal, República do Senegal

    Bandeira Senegal

    Bandeira do Senegal

  • Capital: Dakar
  • Língua oficial: Francês
  • Presidente: Abdoulaye Wade
  • População 2008: 13.343.424 habitantes
  • Moeda: Franco CFA
  • Área Total: 196.722 km²
  • Fuso horário: UTC+0
  • Código telefónico internacional: +221
  • Clima: Tropical
  • Visto: Não é preciso visto para cidadãos portugueses. É necessário passaporte
  • Fronteiras: Norte pela Mauritânia, a leste pelo Mali, a sul pela Guiné e pela Guiné-Bissau e a oeste pelo Oceano Atlântico e pela Gâmbia
  • Locais a não perder: Dakar, Ilha de Goré, Saint Louis, Parque Nacional de Tambacounda
  • Quando visitei o Senegal: Abril 2004
  • Mapa Senegal

    Mapa Senegal

Diário de Viagem do Senegal, República do Senegal

Fotografia de uma enorme árvore embondeiro no Senegal
Fotografia de uma enorme árvore embondeiro no Senegal

Barco senegales em Saint Louis no Senegal

Barco senegales em Saint Louis no Senegal

A minha história com o Senegal tem algo interessante.

Em Dezembro de 2003, enquanto descia a África Ocidental à boleia (carona), fiquei na fronteira do Senegal impedido de entrar, porque o jipe onde eu ia tinha mais de 4 anos de idade.

Voltei então mais tarde, em Março de 2004 com o meu carro e entrei então para visitar vários locais muito bonitos do país.

No âmbito de um projecto chamado “Évora Tambacounda 2004″, levei várias medalhas UNESCO Património Mundial da Humanidade da cidade de Évora (e muito material turístico da cidade), e fui entregando pelos presidentes da câmara (prefeitura) de várias cidades da Mauritânia, Senegal e Gâmbia.

Entrei então duas vezes no Senegal, uma vindo do Norte da Mauritânia, e outra depois de ter entrado e atravessado a Gâmbia.

O Senegal é um país muito interessante, com muita história e muita Natureza principalmente no Parque Niokolo Koba.

O que visitei / Resumo de viagem ao Senegal / Visitar o Senegal

Por ordem de visita.

Saint Louis Saint Louis: Cidade UNESCO Património Mundial situada numa ilha chamada também de Saint-Louis. Além de alguns edifícios grandes feitos pelos franceses, há imensos bairros da cidade com casas tradicionais baixas, e ainda o centro da cidade com casas coloniais muito bonitas. Saint-Louis como está numa ilha está toda rodeada por água, e na zona oeste tem bonitas praias.
Ndioum Ndioum: Esta é uma pequena aldeia localizada no rio Senegal. Fui aqui com um amigo meu senegalês para visitar sua família. Para se chegar aqui há uma estrada de terra e é preciso apanhar um barco para atravessar o rio. A aldeia é super isolada e toda feita em palhota.
Kaedi Kaedi: Esta é a cidade fronteiriça com o Mali. A cidade em si não é muito interessante, e tem muito lixo. O melhor nesta cidade é a hipótese de se ir à ponte do rio Senegal, e que é a fronteira Senegal / Mali – tem uma placa e tudo. Se pedir aos polícias de fronteira eles deixam ir.
Tambacounda Tambacounda: Esta é a maior cidade na região. Tambacounda é a entrada para Niokolo-Koba. Como vim aqui num projecto de contacto entre culturas, trouxe a medalha UNESCO Património Mundial da Câmara Municipal (prefeitura) de Évora para entregar ao presidente da cidade, fui então uma recepção oficial com jornalistas e tudo.
Parque Nacional de Niokolo-Koba Parque Nacional de Niokolo-Koba: Local UNESCO Património Mundial atravessado pelo Rio Gâmbia, este local de selva, mato e animais selvagens é muito bonita. Visitei vários locais do parque e avistei vários javalis, muitos hipopótamos, crocodilos, gazelas e milhares de macacos.
Dakar Dakar: Capital do país, confusa e cheia de gente. Os seus mercados cobertos são fascinantes. Dakar tem um charme caótico típico de qualquer grande cidade africana.
Ilha Goree Ilha Gorée: UNESCO Património Mundial, este é possivelmente o local mais bonito do Senegal. A Ilha de Goré fica a 40 minutos de barco a partir de Dakar. A viagem é muito bonita. A Ilha de Gorée foi dos maiores centros de comércio de escravos de África entre os séculos XV e XIX. Além das casas e arquitectura muito interessante, há ainda vários locais para visitar tais como a Fortaleza da Ilha de Goreia, o local do antigo canhão inglês. O navegador português Dinis Dias descobriu a Ilha de Gorée em 1444.
Joao Leitao in Sahara Desert Acerca do João Leitão - o autor deste blogue
Sou uma espécie de viciado em viagens, maníaco pela fotografia e cidadão do mundo. Habituado a viajar desde pequeno, morei em muitos lugares e viajei por mais de 100 países e territórios em todos os continentes. Este site é um arquivo das minhas dicas de viagem e crónicas de aventuras para o inspirar a explorar o mundo por conta própria. Artista plástico de formação, rendi-me ao mundo e a partilhar experiências de viagem CONSIGO.
★ Siga-me no Google+, Facebook e no Twitter. Espreite as minhas melhores experiências de viagem.

Deixe o seu comentário aqui:

Os comentários do blogue são via facebook. Para comentar você tem que estar logado lá!