🐪 Venha conhecer Marrocos « Viagem de grupo 7 dias por 430 Euros » Marrakech até Deserto do Saara 🐪

Visitar Zimbabué – Roteiros e Dicas de Viagem

João Leitão
Actualizado em 2 Setembro, 2018
Visitar Zimbabué – Roteiros e Dicas de Viagem

Visitar Zimbabué – Roteiros e Dicas de Viagem

Guia de Viagem do Zimbabué

Viajar no Zimbabué – informação de viagem.

Tudo sobre visitar os melhores locais e destinos do Zimbabué. Ideias de roteiros e itinerários com informação de alojamento, transporte, muitas galerias de fotografias, restaurantes, vídeos e mapas.

Organize as suas férias no Zimbabué. Alguma pergunta ou opinião deixe um comentário no fim da página.

Nesta página você encontra:

  1. Turismo no Zimbabué – Apresentação
  2. História, Geografia e Cultura
  3. Vídeo do Zimbabué
  4. Resumo de viagem ao Zimbabué
  5. Guia de Viagem: artigos para consultar
  6. Roteiros no Zimbabué – 6, 12 e 13 dias
  7. Locais UNESCO no Zimbabué
  8. Kit de Viagem

Obrigado.

Turismo no Zimbabué, Roteiros de Viagem

Vista no Parque Nacional Matobo, Visitar o Zimbabué

Vista no Parque Nacional Matobo, Visitar o Zimbabué

O Zimbabué é um país fascinante para passar férias.

Explorei o Zimbabué entrando vindo da África do Sul e saindo a norte pela Zâmbia. Gostei muito e foi uma boa surpresa na região.

Eu como gosto de história, o Zimbabué tem muito para oferecer para os amantes de ruínas e sítios ancestrais.

Depois de atravessar várias fronteiras da África Austral de carro, devo dizer que a pior de todas foi sem dúvida a fronteira de Beitbridge (Mzingwane) – na verdade está no top de piores fronteiras que alguma vez atravessei de carro.

Apresentação da História, Geografia e Cultura:

A história do Zimbabué tem uma forte ligação com o ouro, recurso minério que se tornou o foco principal entre os períodos da colonização britânica e depois da independência. Cecil Rhodes, chegou a este território e previu que este país poderia ser das mais poderosas colónias para a exploração do ouro, níquel, crómio, entre outros minerais, baptizando-a no século XIX, com o nome de Rodésia. Deu-se uma violenta guerra, com um fim severo no que toca ao número de vítimas mortais, pois existiu uma imensa resistência por parte do território subjugado. No entanto, quase cem anos depois, os povos nativos, revoltaram-se e conseguiram reaver o seu país, rebaptizando-o como Zimbabué. Ainda assim, os ingleses conseguiram ficar com os direitos de exploração das minas e as guerras foram infinitas. Só no ano 1980, após muitos conflitos, Zimbabuéou ex-Rodésia do Sul, se tornou independente, momento que após realizadas eleições, o único candidato – Rubert Mugabe, subiu ao poder.

A geografia do Zimbabué conta com uma área territorial de 390 580 Km2 e fica localizado na África Austral. Este país estabelece fronteira a Norte com a Zâmbia, a Nordeste com Moçambique, a Sul com a África do Sul, a Sudoeste e a Oeste com o Botswana e a Oeste com a Namíbia. O ponto mais alto do Zimbabué é o Monte Nyangani, cuja altitude marca os 2 592 metros, situado perto da província Manicaland. O Zimbabué está dividido em oito províncias e em duas cidades. O Lago Kariba, é um lago artificial que se situa entre a Zâmbia e o Zimbabué, criado devido à construção da Barragem de Kariba, e conta com um comprimento de 220 Km, uma largura de 40 Km e ocupa uma área de 5 400 Km2. No norte, encontramos uma das maiores atracções turísticas, as Cataratas de Victoria, a maior queda de água do continente africano.

A cultura do Zimbabué é representada pelos povos Shonas, os Ndebeles (Zulu), tal como por uma república com um presidente executivo e duas câmaras. A língua oficial é o Inglês, embora se comunique também nas línguas usadas pelos povos nativos, nomeadamente, o Chichona, Bantu, Shona e Ndebele. A gastronomia é bastante deliciosa, e o tempo das refeições ou (ou Sadza em bantu) é bastante especial para a população. O prato típico é constituído pelo milho ou a sua farinha, acompanhado por vegetais e se existir carne, revela que a família em questão, tem recursos para a comprar. As famílias mais pobres estão muito ligadas à agricultura e existem muitos empresários que criam gado de boa qualidade, com o intuito principal de exportar. Outros produtos aqui produzidos são o tabaco, café, chá, açúcar e o algodão, tal como o ouro e outros minerais.

Zimbabwe: A World of Wonders

Vídeo promocional do turismo do Zimbabué.

O que visitei / Resumo de viagem ao Zimbabué

Por ordem de visita.

Bulawayo, Zimbabué
Bulawayo, ZimbabueBulawayo: é a segunda maior cidade do Zimbabué, logo a seguir à capital Harare. A cidade foi fundada pelos colonizadores britânicos em 1893 e tornou-se um importante polo industrial e um ponto de ligação entre os países á volta: Botsuana, Africa do Sul e Zâmbia.
A maior parte da população de Bulawayo pertence ao grupo étnico Ndebele. É a cidade mais próxima de vários Parques naturais como o Parque Nacional Hwange, Matobo e Cataratas Vitória.
A cidade é por isso um ponto de partida de muitos turistas à procura destes parques, das Cataratas Vitória, das Ruínas Khami ou das Colinas Matobo. Em Bulawayo pode ainda percorrer as ruas da cidade velha, observar o misto entre arquitectura africana e colonial, a Catedral de Santa Maria ou virar-se para a oferta histórica e cultural nos Museus (Museu de História Natural do Zimbabué, Galeria Nacional e o Museu do Caminho-de-ferro).


Top 10 locais a visitar em Bulawayo:


  1. Museu Nacional de Historia do Zimbabué
  2. Galeria Nacional de Arte
  3. Companhia de Teatro Amakhosi
  4. Museu Ferroviário
  5. Parque Centenário
  6. Ruínas Khami
  7. Edifício da Câmara Municipal
  8. Catedral de Santa Maria
  9. Parque Nacional Matobo
  10. Palacio Nesbitt
Ruínas de Khami, Zimbabué
Ruinas de Khami, ZimbabueKhami: as ruínas de Khami são um dos mais importantes sítios arqueológicos no Zimbabué e são Património Mundial da UNESCO. As ruínas ficam 22 km a Oeste da cidade de Bulawayo e estendem-se por 2 km ocupando 108 ha. A antiga cidade de Khami foi a capital do Reino de Butua, governado pela dinastia Torwa entre 1450-1650. A cidade era um importante entreposto comercial e na região existia ouro, que era comercializado pelos Árabes e mais tarde pelos Portugueses. Foram ainda encontrados objectos de outras proveniências da Europa e do mundo, como porcelana de Espanha, porcelana Ming da China e faianças da Renânia, o que mostra como este povo tinha importantes relações comerciais com o resto do mundo. Estes objectos estão expostos no Museu de História Natural de Bulawayo. Também foram encontrados neste local artefactos com 100,000 anos, que estão expostos no museu do sítio arqueológico.
A estrutura da cidade mostra que no topo da cidade ficavam as casas das pessoas ricas e do rei (o “mambo”), formando uma cidadela muralhada e, na parte baixa da cidade, fora das muralhas, vivia o resto da população mais pobre, nas suas cabanas de cânhamo e telhados de colmo. As casas ricas mostram bonitas fachadas trabalhadas com impressionantes efeitos em ziguezague e xadrez.
As principais atracções das ruínas de Khami é a muralha de seis metros de altura e 60 de comprimento com uma fachada rendilhada, as plataformas de terra batida que se pensa terem servido como currais e o “mujejeje” que é uma pedra ressonante que toca como um sino.


Top 10 locais a visitar em Khami:


  1. Complexo arqueológivo de Khami
  2. Muralhas
  3. Recinto real
  4. Mujejeje
  5. Ruína da Cruz
  6. Plataforma do Norte
  7. Ruína de Passagem
  8. Barragem Khami
Parque Nacional Matobo, Zimbabué
Parque Nacional Matobo, ZimbabueParque Nacional Matobo: este Parque Nacional fica 34 km a Sul de Bulawayo e é um parque que engloba natureza e história. O parque está dividido em duas zonas: a parte com os sítios históricos e arqueológicos e a parte de reserva onde se pode observar a vida selvagem. O parque alberga várias espécies selvagens como zebras, girafas, cudos, macacos, entre outros, mas também uma grande comunidade de rinocerontes brancos e pretos, a maior concentração de leopardos do Zimbabué e uma grande variedade de espécies de águias. Entre os pontos altos do parque está a vista do alto da colina chamada de “World’s View” (vista do mundo) onde está a sepultura de Cecil John Rhodes, o monumento à Patrulha de Shangani e as grutas com pinturas rupestres. A paisagem do parque caracteriza-se por rochas graníticas polidas pela erosão dos milénios, onde se sobrepõe rochas mais pequenas que parecem pedregulhos soltos. Algumas formações apresentam rochas empilhadas que parecem periclitantes mas estão assim há séculos. Estas impressionantes formações parecem feitas pelo Homem, mas são simplesmente resultado da erosão.
O parque engloba ainda as Colinas de Matobo um lugar com grande significado espiritual e cultural para os povos locais. O Parque Nacional de Matobo ou somente Matobos é Património Mundial da UNESCO.


Top 10 locais a visitar no Parque Nacional Matobo:


  1. Colinas de Matobo
  2. Sepultura de Cecil John Rhodes
  3. Miradouro World’s View
  4. Rochas equilibradas Mãe e Filho
  5. Caverna Nswatugi
  6. Memorial da patrulha de Shangani
  7. Pinturas rupestres da Gruta Pomongwe
  8. Pinturas rupestres da Gruta Inanke
  9. Barragem de Maleme
  10. Diversos trilhos pedestres
Colinas de Matobo, Zimbabué
Colinas de Matobo, ZimbabueColinas de Matobo: ficam no Parque Nacional Matobo a cerca de 35 km a Sul de Bulawayo. Estas colinas apresentam uma natureza granítica única, as rochas sofreram os efeitos da erosão deixando-as com uma superfície invulgarmente lisa, com algumas rochas mais pequenas e arredondadas dispersas na paisagem. As Colinas de Matobo têm um significado especial para os habitantes locais mas também para outros ilustres visitantes que por aqui passaram, como é o caso do britânico Cecil John Rhodes, um influente homem de negócios do século XIX que aqui escolheu ser sepultado, no alto da colina com uma vista panorâmica espectacular, dai o seu nome “World’s View”. (Uma curiosidade, o antigo nome do Zimbabué – Rodésia – tem origem no nome deste importante colonizador). Mas antes de Rhodes já o grande Rei dos Ndebele – Mzilikazi – estava sepultado nestas colinas sagradas. Dada a importância espiritual das colinas, aqui ocorrem várias cerimónias tradicionais.


Top 10 locais a visitar nas Colinas de Matobo:


  1. Colinas de Matobo
  2. Sepultura de Cecil John Rhodes
  3. Big Cave
  4. Barragem Chitamba
Monumento Nacional do Grande Zimbabwe, Zimbabué
Monumento Nacional do Grande Zimbabwe, ZimbabueMonumento Nacional do Grande Zimbabwe: é um complexo de muralhas que fica no leste do país. Não foi encontrada muita informação sobre este local mas pensa-se que terá sido a capital de um Estado conhecido por “Primeiro Estado do Zimbabué”, que deu origem ao nome do país. Este Estado terá existido por volta de 1250 e 1450 tendo a cidade depois sido abandonada, provavelmente na sequência de ataques de invasores Muenemutapas. As construções de que restam hoje vestígios terão começado a ser construídas ainda no século V pelo povo Shona e na língua Chichona se chamaria “madzimbabawe”. O Grande Zimbabwe é formado por quatro edifícios que poderão ter sido residenciais e que estão rodeadas pela Muralha Elíptica, com cerca de dez metros de altura e que faz uma circunferência de cerca de 240 metros e um diâmetro máximo de 90 metros. As únicas aberturas destes muros eram a entrada e vários canais de drenagem. Os blocos de pedra que formam as paredes são colocados e ajustados uns aos outros sem qualquer material de ligação (tipo cimento). Para além dos edifícios dentro da muralha que deveriam pertencer á residência real, há vestígios á volta da muralha do que terá sido um grande aglomerado populacional. Perto deste monumento foram encontradas oito estátuas de figuras que são uma mistura de ave e de ser humano, que são um símbolo nacional e estão representadas na bandeira do Zimbabué. De facto entende-se porque se chama a este monumento o Monumento Nacional do Zimbabué. Um sítio imperdível para quem gosta de história e naturalmente faz parte da lista de Património Mundial da UNESCO.


Top 10 locais a visitar no Monumento Nacional do Grande Zimbabwe:


  1. Grande Recinto
  2. Complexo do Vale
  3. Complexo Hill
  4. Torre cónica
  5. Conjunto de muralhas
Cataratas Vitória, Zimbabué
Cataratas Vitória, ZimbabueCataratas Vitória: ficam no Rio Zambeze, na fronteira entre a Zâmbia e o Zimbabué. Os dois países partilham esta maravilha da natureza, uma das maiores cataratas do mundo e Património Mundial da UNESCO. As Cataratas Vitória têm 1,5 km de largura e uma altura que chega a ser 128 metros em alguns sítios. Da parte do Zimbabué as Cataratas estão incluídas no Parque Nacional Cataratas Victoria. A colossal quantidade de água que cai das Cataratas percorre depois um desfiladeiro em zigue-zague e para quem tiver a oportunidade de ver a paisagem de cima (de helicóptero), é sem dúvida algo de único e maravilhoso. São muitas as actividades turísticas oferecidas nesta zona das cataratas: passeios a pé, safaris, voos de helicóptero ou, para os mais radicais, um salto de bungee jumping do alto dos 120 metros da ponte por cima do Rio Zambeze.


Top 10 locais a visitar nas Cataratas Vitoria:


  1. Cataratas Vitoria
  2. Rio Zambeze
  3. Parque Nacional das Cataratas Vitoria
  4. Devil’s Cataract
  5. Cataract Island
  6. Devil’s Pool
  7. Victoria Falls Bridge
  8. Cidade de Victoria Falls
Cidade Victoria Falls, Zimbabué
Victoria Falls, ZimbabueVictoria Falls: é a cidade mais próxima das Cataratas Vitória do lado do Zimbabué. A cidade fica portanto perto da fronteira com a Zâmbia, na margem do Rio Zambeze. O desenvolvimento da cidade deu-se sobretudo depois da inauguração da ponte sobre o Rio Zambeze, em 1905, e da ligação ferroviária que permitiu a ligação com a Zâmbia e colocou a cidade num ponto estratégico da rota comercial da África Austral. Hoje em dia é o centro turístico para quem visita a região.


Top 10 locais a visitar em Victoria Falls:


  1. Parque Nacional de Victoria Falls
  2. Cataratas Vitoria (Victoria Falls)
  3. Parque Nacional do Zambeze
  4. Jafuta Heritage Center
  5. Zoológico Snake Pit
  6. Reserva de Vida Selvagem Stanley and Livingstone
  7. Victoria Falls Bridge
  8. Estação Ferroviária
  9. Prime Art Gallery
  10. Rio Zambeze

Roteiros no Zimbabué

Algumas ideias de roteiros para você preparar as suas férias no Zimbabué de maneira independente. Itinerários de turismo no Zimbabué seja de 6, 12 ou 13 dias.

6 Dias no Zimbabué
Dia 1 Harare
Dia 2 Rio Zambezi
Dia 3 Rio Zambezi – Cataratas Victoria
Dia 4 Cataratas Victoria
Dia 5 Cataratas Victoria
Dia 6 Harare

12 Dias no Zimbabué
Dia 1 Harare
Dia 2 Parque Nacional Nyanga
Dia 3 Parque Nacional Nyanga
Dia 4 Chimanimani
Dia 5 Chimanimani
Dia 6 Masvingo
Dia 7 Matopos
Dia 8 Parque Nacional Hwange
Dia 9 Parque Nacional Hwange
Dia 10 Cataratas Victoria
Dia 11 Cataratas Victoria
Dia 12 Harare

13 Dias no Zimbabué
Dia 1 Harare
Dia 2 Parque Nacional Nyanga
Dia 3 Parque Nacional Nyanga
Dia 4 Chimanimani
Dia 5 Chimanimani
Dia 6 Parque Kyle – Masvingo
Dia 7 Parque Nacional Matobo
Dia 8 Parque Nacional Matobo
Dia 9 Parque Nacional Hwange
Dia 10 Parque Nacional Hwange
Dia 11 Cataratas Victoria
Dia 12 Cataratas Victoria
Dia 13 Harare

Locais UNESCO no Zimbabué
Estes são alguns dos melhores destinos para visitar no Zimbabué. Os locais UNESCO Património Mundial no Zimbabué são locais protegidos pela sua importância cultural ou natural.

Locais inscritos na Lista do Património Mundial no Zimbabué:

  • Parque Nacional de Mana Pools e Áreas de Safari de Sapi e Chewore
  • Monumento Nacional do Grande Zimbabwe
  • Ruínas de Khami
  • Mosi-oa-Tunya / Cataratas Vitória
  • Colinas de Matobo

Kit de Viagem

« Onde reservo alojamento? Encontre os melhores hotéis e promoções através do Booking.com »
« Rent-a-car? Eu reservo sempre o meu carro online através do Rentalcars.com »
« Quer estar prevenido? Faça o seu seguro de viagem através do Worldnomads.com »
« Junte-se a um grupo! 7 dias em Marrocos 430 euros desde Marraquexe até ao Deserto do Saara através do Marrocos.com »
« Comprar bilhetes de monumentos e saltar as filas? Organize a sua viagem com antecedência através do Ticketbar.eu »
« Quer viajar e ter sempre Internet? Faça como eu e compre o aparelho da SkyRoam.com »

O autor do blog

VIVA! Sou o João Leitão. Viajante independente desde 1999, explorei mais de 130 países em África, Antártica, Ásia, Europa, América do Norte e Central, América do Sul e Oceânia. Bem-vindo ao meu blog de viagens, onde partilho dicas práticas de viagem para o motivar a sair de casa! Siga nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram, Pinterest e YouTube.

« Seguir no Instagram »