🐪 » Viagem de grupo 7 dias em Marrocos por 430 Euros » Marrakech até Deserto do Saara » Mais info em MARROCOS.COM « 🐪

🌍 Visitar Omã – Roteiros e Dicas de Viagem

Actualizado em 28 Julho, 2017
Visitar Omã – Roteiros e Dicas de Viagem

Visitar Omã – Roteiros e Dicas de Viagem

Guia de Viagem de Omã

Viajar em Omã – informação de viagem.

Tudo sobre visitar os melhores locais e destinos de Omã. Ideias de roteiros e itinerários com informação de alojamento, transporte, muitas galerias de fotografias, restaurantes, vídeos e mapas.

Organize as suas férias em Omã. Alguma pergunta ou opinião deixe um comentário no fim da página.

Nesta página você encontra:

  1. Sultanato de Omã – Informação prática
  2. Turismo em Omã – Apresentação
  3. História, Geografia e Cultura
  4. Clima e Quando ir
  5. Vídeo de Omã
  6. Resumo de viagem em Omã
  7. Guia de Viagem: artigos para consultar
  8. Roteiros em Omã – 6, 7 e 9 dias
  9. Locais UNESCO em Omã
  10. Kit de Viagem

Obrigado.

Sultanato de Omã

Bandeira Oma

Bandeira de Omã

  • Capital: Mascate
  • Língua oficial: Árabe
  • Sultão: Qaboos bin Said Al Said
  • População 2009: 2.845.198 habitantes
  • Moeda: Rial
  • Área Total: 309.500 km²
  • Fuso horário: UTC+4
  • Código telefónico internacional: +968
  • Clima: Deserto
  • Visto: Para nacionais portugueses é só preciso passaporte. Compra-se o visto na fronteira.
  • Fronteiras: Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita e Iémen
  • Locais a não perder: Muscat, Nizwa, Salalah, Masirah, as inúmeras fortalezas espalhadas pelo país, Samail, Monte Djebel Akhdar
  • Quando visitei a Omã: Setembro 2011
Mapa Oma

Mapa da localização geográfica de Omã no Mundo

Turismo em Omã, Roteiros de Viagem

Castelo Hosn em Samail, Visitar Omã

Castelo Hosn em Samail, Visitar Omã

Omã é um país fascinante para passar férias.

Visitei Omã durante 18 dias espectaculares.

Adorei o país e as pessoas. Aluguei um carro em Muscat e explorei um pouco por todos os recantos de Omã e também a Ilha de Massira e Ras Musandam.

Este é sem dúvida um dos meus países favoritos, o qual quero visitar novamente no futuro. Omã é uma mistura de cultura árabe, africana, golfo, com arquitectura muito exótica e paisagens de montanha e oásis deslumbrantes.

Apresentação da História, Geografia e Cultura:

dunas do deserto de de Ramlat as Sahmah
A história de Omã tem início na Antiguidade, quando este sítio já era considerado um local imprescindível na actividade comercial. Em sumério, a região de Omã é denominada como “Magan”, a qual foi governada pelo Império Aquemênida em 563 a.C.. As tribos árabes chegaram à região no século I, dominando os persas, que perderam o seu poder na região. Os muçulmanos Ibadi conseguiram estabelecer-se em Omã, criando um imanato, o qual subsistiu até ao século XX. Mascate, foi visitado e conquistado pelos portugueses no século XVI, onde ficaram até à investida militar e com sucesso por parte dos otomanos no final do século XVII. Quando os sultões, formados por Ahmed Ibn Said, se organizaram, expulsaram os otomanos no século seguinte. No século XIX, Omã tornou-se numa potência económica, com a protecção da Grã-Bertanha. O sultão Qabook bin Said Al Said deu a indicação que Omã e Mascate, iriam chamar-se somente Omã.

A geografia de Omã conta com a área territorial de 212 460 Km2, localizado no Sudoeste Asiático, mais propriamente no Sudeste da Península Arábica, no pequeno enclave entre a Península de Musandam e o Estreito de Ormuz. Inclui-se neste território também as ilhas Masirah e al-Hallaniyah. Este país é banhado a Nordeste pelo Golfo de Omã, tal como pelo Mar da Arábia a Sudeste, e faz fronteira com o Iémen a Sudoeste, com a Arábia Saudita a Oeste e com os Emirados Árabes Unidos a Noroeste. O cenário paisagístico aqui presente é composto principalmente por uma planície no Norte, mais conhecida por Batinah, assim como pelas montanhas de Hagar e pequenos portos piscatórios que se formam num planalto, situado ao Sul. A Cordilheira de Hajar, situada paralelamente à Costa do Golfo de Omã, atinge altitudes de 3 000 metros, sendo o ponto mais alto com 3 107 metros, no Monte Djebel Al-Akhdar.

A cultura de Omã tem a sua base no islamismo, embora tenha desenvolvido uma ramificação desta doutrina religiosa denominada por ibadismo, embora o sunismo e o xiismo também sejam praticadas. Têm como tradição a utilização do “dhow”, uma embarcação a vela que foi utilizada durante séculos, inicialmente para servir o comércio. Actualmente é utilizado também para a actividade da pesca e no Turismo, por isso, é bastante comum encontrá-lo por toda a costa. Existe uma grande frota nos portos de Sohar, Salalah e Mascate, tal como em Sur, o maior centro de fabricação deste tipo de embarcação. Os homens têm por hábito usar a dishdasha, um manto sem gola, com mangas compridas e que chega ao tornozelo, por norma de cor branca. O turbante “muzzar” é outro acessório indispensável. As mulheres usam as sirwal (calças) e o lihaf (lenço da cabeça). O evento principal é, sem dúvida, o Ramadão, o mês dedicado ao jejum.

Clima e Quando ir:

Para saber quando ir a Omã você precisa de se informar um pouco melhor acerca das suas estações e clima. A melhor altura para visitar Omã é durante os meses de Inverno (entre Novembro e Março), uma vez que as temperaturas são bastante mais agradáveis.

O clima de Omã é árido e muito quente, sendo também bastante húmido nos meses de Verão. As temperaturas são muito contrastantes entre o dia e a noite, pois durante o dia chegam a atingir os 50º C. A zona mais chuvosa encontra-se no Sul do Dhofar, embora ao longo da costa o clima seja mais ameno.

A Country Full Of History, Wildlife and Traditions ~ Oman

Vídeo oficial do Turismo de Omã.

O que visitei / Resumo de viagem em Omã

Por ordem de visita.

Khasab, Omã
Khasab, OmaKhasab: a capital da região de Musandam situa-se no estreito de Ormuz. Omã, o país onde se situa, faz fronteira com os Emirados Árabes Unidos. Devido às incríveis e imensas enseadas declivadas, é conhecida como a Noruega das Arábias. O portugueses passaram por aqui no século XVII, marcando a sua presença com a construção de um porto que, através do estreito de Ormuz, ligava os navegadores e mercadorias de outros destinos a Khasab. Uma vez que o acesso era praticamente impossível, foi construída uma estrada que permite ir dos Emirados Árabes Unidos até Khasab, proporcionando umas férias sem igual. Pelo caminho é possível conhecer a aldeia Tawi onde poderá vislumbrar pinturas rupestres nas rochas. Através de uma viagem de barco, conheça as comunidades enormes de golfinhos que vivem nas águas límpidas e quentes de Musandam.
Muscat, Omã
Muscat, OmaMuscat: é a capital e a maior cidade do Omã. Como a cidade se divide em três pequenas cidades, torna-se um pouco confuso visitar Muscat devido à distância imensa entre elas. Existem vestígios de presença humana através de sepulturas de pescadores que remontam ao ano 6000 a.C.. Muscat sempre foi uma cidade que suscitou bastante interesse nos europeus, em especial nos portugueses. Afonso Albuquerque e as suas forças portuguesas conquistaram este território no século XVI, perdendo o seu poder um século mais tarde. No entanto, a influência portuguesa está bastante presente ainda hoje em dia. É uma cidade que se auto-sustenta a partir do petróleo, das tâmaras e da madre pérola. A Mesquita Sultan Al-Qaboos situa-se na rua principal de Muscat, situada ao lado da rodoviária de onde saem autocarros para todo o país e também para o Dubai. Visite o famoso bazar de Muttrah, bastante movimentado e cheio de coisas maravilhosas para comprar. Na antiga Muscat encontramos uma pequena cidade que parou no tempo, quase como era originalmente. Aqui poderá encontrar o Palácio do Sultão Al Qaboos, construído nos anos 70, onde é possível ver o Oceano Índico e as variadas fortalezas que protegeram este território. Visite também o Museu do Património Omani-Francês onde poderá conhecer a história e relação entre estes dois países.
Samail, Omã
Samail, OmaSamail: Informação brevemente…
Salalah, Omã
Salalah, OmaSalalah: é a maior cidade na província de Dhofar e a sua capital. Foi aqui que nasceu o Sultão Qaboos bin Said. Graças ao comércio do incenso e de algumas frutas, como o côco, foi uma cidade muito bem sucedida, comercialmente falando, no século XIII. Mas esta bonança não foi eterna e no século XIX foi substituída pelo sultanato de Muscat, tornando-se esta cidade a capital. Khareef é um grande motivo de atracção de turistas, que dura entre Junho e Setembro. É uma boa maneira de se refrescar do calor imenso do deserto e para além disso é a forma que cidades como Salalah têm para o seu abastecimento de água. Se tiver oportunidade, aproveite a temporada de Khareed para visitar as Caves Al Marnif e a Praia Mughsail, em Shatti Al Mughsail (a 40 quilómetros de Salalah), que com o cenário de nevoeiro com uma leve chuva, torna-se num momento mágico. A praia, de areia grossa e um mar forte, é lindíssima.
Ilha Masirah, Omã
Ilha Masirah, OmaIlha Masirah: é uma das onze províncias do Omã e tem cerca de 95 quilómetros de comprimento e 14 quilómetros de largura. Outrora a construção naval era uma das grandes fontes de receita, mas foi substituída pela pesca e pela indústria têxtil. Um dos cenários interessantes que podemos encontrar nesta ilha são os veleiros naufragados devido a um terreno acidentado (sendo o fundo do mar repleto de rocha dura) e às correntes inconstantes, impossibilitando os barcos de navegarem normalmente. É um local ideal para a prática de Windsurf ou Kitesurf devido aos ventos fortes que aqui se fazem sentir, tal como de um mar ideal para a visita de muitos surfistas. Para além destas condições marítimas que a Ilha Masirah oferece, encontramos também aqui um cenário montanhoso na parte Este da mesma, dividindo-se por várias colinas: Jabal Madrub (256 metros de altura, com 13 quilómetros de extensão), Ras Abu Rasas (baixa e rochosa), Jabal Suwayr (com 153 metros e formato cónico), Ras Kaydah (com 20 metros e formato cónico). Entre Ras Kaydah e Ras Zafaranat (muitas colinas), encontramos praias rochosas e uma pequena aldeia nos bosques – Hakkan. Aqui, temos a sensação de estarmos no meio do nada. Esta ilha, na costa do Mar Índico, é um sítio solitário, mas de uma beleza e uma paz única. Visite as praias desérticas e veja ao vivo, tartarugas a desovarem.
Túmulo de Jó, Omã
Túmulo de Jó, OmaTúmulo de Jó: situa-se na montanha, perto de Salalah, em Omã meridional. Jó é a personagem central do livro do profeta Jó na Bíblia – do Antigo Testamento. Esta personagem passa por muitas dificuldades na vida e por tal, tenta compreender o porquê e devido à sua devoção a Deus, é por si recompensado. Podemos encontrar perto do túmulo do profeta Jó, ou em árabe Ayoub, a marca da sua pegada, razão que atrai muitos peregrinos ao seu encontro.
Forte de Al Hazm, Omã
Al Hazm, OmaAl Hazm: o cenário aqui é incrível. O verde das muitas palmeiras misturado com a paisagem desértica é de uma beleza indescritível. O Forte de Al Hazm vem acrescentar harmonia paisagística, fazendo a composição perfeita com as montanhas recortadas ao fundo, quando o olhamos de longe. É um edifício de dois andares com um pátio interior e conta com duas torres redondas nas pontas Sul e Leste. Hoje serve alguns organismos estatais, nomeadamente o Ministério da Cultura e do Património Nacional, no entanto podemos visitar o seu interior. Um verdadeiro arquétipo da arquitectura aqui projectada, este enorme monumento foi restaurado no ano 1996. A história que se sente aqui é imensa.
Cidade Perdida de Ubar, Omã
Cidade Perdida de Ubar, OmaCidade Perdida de Ubar: o nome mais comum para esta cidade é Ubar, no entanto é conhecida também como Atlantis of the Sands. Destruída por um desastre natural, esta cidade é cenário de muitas histórias da Literatura (“Atlantis of the Sands” de Ranulph Fiennes) e do Cinema (“Lawrence das Arábias” de David Lean). Esta lendária cidade foi outrora, há cerca de 5000 anos a.C., imensamente rica devido ao comércio do incenso, proveniente das Montanhas Qara. O incenso, tão valioso como o ouro, era utilizado tanto para fins terapêuticos como em celebrações religiosas. Um grupo de arqueólogos descobriram, via satélite, Ubar – a cidade fortaleza, soterrada em areias movediças. Diz-se que os governadores foram tão luxuriosos que Deus castigou-os destruindo a cidade, engolindo-a com areia. Descobriu-se que o Rei Shaddad ibn construiu um bunker em pedra calcária para o caso de alguma catástrofe, no entanto, não existe conhecimento de restos mortais no mesmo. Mas antes de este acontecimento surgir, Ubar era como uma representação do paraíso. As pessoas viviam em tendas, por isso não existem muitos vestígios de assentamento. Existe, no entanto, uma fortaleza enorme com várias torres, por isso Ubar é descrita no Alcorão como a cidade de muitas torres.
Sítio Arqueológico de Al Baleed, Omã
Sítio Arqueológico de Al Baleed, Omã, OmaSítio Arqueológico de Al Baleed, Omã: Informação brevemente…
Forte de Bahla, Omã
Bahla, OmaBahla: foi erguido nos séculos XIII e XIV a mando de Banu Nebhan. Este forte, em conjunto com os Fortes de Izki, Nizwa e Rustaq serviam como uma verdadeira fortaleza aos ataques aqui investidos. É de uma construção incrível e imponente no cimo de muitas planícies, contém 132 torres de vigia e 15 portões. Classificado como Património da Humanidade pela UNESCO, tem sofrido algumas obras de restauração ao longo dos tempos. Vale a pena a viagem até este forte e se por azar, estiver fechado para visita, só o seu exterior é impressionante pois estamos perante um monumento cheio de mística e história.
Telegraph Island, Omã
Telegraph Island, OmaTelegraph Island: situa-se na Península de Musandam de Omã. Também conhecida como Jazirat al Maqlab, é uma pequena ilha rochosa com fiordes magnânimos à qual é dada a alcunha de Noruega das Arábias. No século XIX a Grã-Bertanha e a Índia tinham a maior necessidade em comunicar entre as duas nações ao que foi acordado interligar um sistema de rede fixa, levando à instalação de um cabo submarino no Golfo Pérsico (de Gwadar a Karachi). Este mesmo cabo desembarcou na Telegraph Island, onde existe uma estação na ilha. Nesta altura, as mensagens enviadas por correio levavam no mínimo um mês a chegar ao destino (entre Grã-Bertanha e Índia), ao que através dos cabos submarinos a mensagem chegava ao destino entre duas horas a cinco dias, o que facilitava a comunicação e defesa dos territórios. A Península de Musandam é um local bastante atractivo, onde os turistas podem usufruir de uma boa oferta turística em Khasab e passeios de barco na Telegraph Island, a fim de desfrutarem desta paisagem incrível e de conhecerem as ruínas da estação, tal como mergulhar nas suas águas e nadar com os golfinhos.
Taqah, Omã
Taqah, OmaTaqah: é uma cidade localizada no litoral, na região de Dhofar, em Omã. Situa-se a cerca de 40 quilómetros de Salalah. A população tem como principais recursos económicos a pesca e a agricultura, o que significa que aqui come-se bem. Aqui podemos encontrar o castelo mais conhecido ao Sul de Omã – o Castelo Taqah. Este belíssimo edifício foi construído no século XIX, bastante recente comparativamente aos castelos do norte de Omã. Era a residência do Xeque Ali bin Al Taman Ma’shani, o bisavô de Sultan Qaboos. Nos anos 60 foram acrescentadas ao projecto mais quatro torres e hoje em dia funciona como um museu. Vale a pena visitar, é deslumbrante pela sua grandiosidade. Ao lado do Castelo de Taqah, encontramos o cemitério onde descansa os restos mortais da mãe de Sultan Qaboos. Visite também o Parque Arqueológico de Sumhuram (o mais antigo assentamento pré-islamico) com vista para a Reserva Natural Khor Rori, que abriga muitas aves, inclusivamente flamingos.
Nizwa, Omã
Nizwa, OmaNizwa: outrora capital do Omã, é neste momento a maior cidade da região Ad Dakhiliyah. É das mais antigas cidades e um importante ponto comercial, religioso e artístico. Era também um centro bastante conceituado no que toca à formação académica. É uma cidade bastante dinâmica ao nível histórico, com uma óptima auto-sustentabilidade agrícola, tal como promove muitas actividades recreativas que estão constantemente a acontecer. Desde os anos 70, Nizwa modernizou-se. Existem melhores infra-estruturas e serviços, existem melhores estradas, melhores serviços de saúde e de educação. Tudo isto contribuiu para o Turismo, atraindo muitos turistas a esta cidade bastante interessante. Visite o belo Forte de Nizwa, construído no século XVII pelo Iman Sultan Bin Saif Al Ya’rubi, o monumento mais visitado a nível nacional. Repare na torre do antigo forte com 400 anos. Não deixe de conhecer também o maravilhoso Souk ou o mercado, bastante enérgico e repleto de produtos, considerado o melhor do país.
Fortaleza de Jabreen, Omã
Nizwa, OmaFortaleza de Jabreen: é considerada a mais encantadora fortaleza de Omã, foi erigida no século XVII em Bahla, na região de Al Dakhiliyah. Após o seu pai ter afastado os portugueses deste território, Imam Bel Arab bin Sultan Al Yarubi mandou construir esta fortaleza. Nessa altura viveu-se uma época de paz e prosperidade, nunca antes vivida. Esta fortaleza foi construída com o intuito de impôr a riqueza e ostentação destes tempos e fora de momentos de guerra. Este governante era dedicado às artes e às ciências e por tal, encontramos um edifício lindíssimo e com bastante brio. De forma rectangular, tem cinco andares, duas torres, 55 quartos, uma biblioteca, salas de exposições e de aula. A decoração deste espaço é incrível, bastante pormenorizado e imensamente bem decorado. Os frescos e pinturas nos tectos são de nos tirar o fôlego. Visite a Sala “O Sol e a Lua”, onde nos sentimos fascinados pela dimensão da sala com 14 grandes janelas e um lindíssimo olho pintado no tecto. Considerado uma construção à primeira vista militar, foi uma homenagem à paz, pois foi construída meramente pelo amor às artes por parte de Imam Bel Arab bin Sultan Al Yarubi.

Roteiros em Omã

Algumas ideias de roteiros para você preparar as suas férias em Omã de maneira independente. Itinerários de turismo em Omã seja de 6, 7 ou 9 dias.

6 Dias em Omã
Dia 1 Mascate
Dia 2 Mina Qabus
Dia 3 Jabal Shams
Dia 4 Jabal Shams
Dia 5 Mina Qabus
Dia 6 Mascate

9 Dias em Omã

Dia 1 Mascate
Dia 2 Nizwa
Dia 3 Nizwa
Dia 4 Bahlah
Dia 5 Ibri
Dia 6 Ibri
Dia 7 Salalah
Dia 8 Salalah
Dia 9 Mascate

1 semana em Omã

Dia 1 Mascate
Dia 2 Sur
Dia 3 Sur
Dia 4 Masira
Dia 5 Masira
Dia 6 Masira
Dia 7 Mascate

Locais UNESCO em Omã
Estes são alguns dos melhores destinos para visitar em Omã. Os locais UNESCO Património Mundial em Omã são locais protegidos pela sua importância cultural e natural.
Locais inscritos na Lista do Património Mundial em Omã:

  • Forte de Bahla
  • Sítios arqueológicos de Bat, Al-Khutm e Al-Ayn
  • Rota do Incenso
  • Sistemas de Irrigação Aflaj

Deixe o seu comentário aqui:

João Leitão - O autor do blog:

VIVA! Sou o João - blogger de viagens. Com 20 anos de experiência como viajante independente, explorei mais de 128 países em África, Antártica, Ásia, Europa, América do Norte e Central, América do Sul e Oceânia. Bem-vindos ao meu blog de viagens, onde partilho informação prática de viagem para o motivar a sair de casa! Siga nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram, Pinterest e YouTube.

Kit de Viagem:

  • Onde eu reservo alojamento? Encontre os melhores hotéis e promoções através do Booking.com
  • Eu reservo sempre o meu carro online através do Rentalcars.com
  • Quer estar prevenido? Faça o seu seguro de viagem através do Worldnomads.com
  • 7 dias em Marrocos 430 euros desde Marrakech até ao Deserto do Saara através do Marrocos.com
  • Quer viajar e ter sempre Internet? Faça como eu e compre o aparelho da SkyRoam.com
* Esta página tem links de afiliados. Quando você reserva algo através deste blog, eu retenho uma pequena comissão que não altera o preço final. Obrigado!

Blog de viagens mencionado em:

Blog de viagens nos Media

« Seguir @joaoleitaoviagens no Instagram »