🐪 » Viagem de grupo 7 dias em Marrocos por 430 Euros » Marrakech até Deserto do Saara » Mais info em MARROCOS.COM « 🐪

🌍 Visitar África do Sul – Roteiros e Dicas de Viagem

Actualizado em 28 Julho, 2017
Visitar África do Sul – Roteiros e Dicas de Viagem

Visitar África do Sul – Roteiros e Dicas de Viagem

Guia de Viagem

Viajar na África do Sul – informação de viagem.

Tudo sobre visitar os melhores locais e destinos da África do Sul. Ideias de roteiros e itinerários com informação de alojamento, transporte, muitas galerias de fotografias, restaurantes, vídeos e mapas.

Organize as suas férias na África do Sul. Alguma pergunta ou opinião deixe um comentário no fim da página.

Nesta página você encontra:

  1. República da África do Sul – Informação prática
  2. Turismo na África do Sul – Apresentação
  3. História, Geografia e Cultura
  4. Clima e Quando ir
  5. Vídeo da África do Sul
  6. Resumo de viagem à África do Sul
  7. Guia de Viagem: artigos para consultar
  8. Roteiros na África do Sul – 12 dias
  9. Locais UNESCO na África do Sul
  10. Kit de Viagem

Obrigado.

República da África do Sul

Bandeira Africa do Sul

Bandeira da África do Sul

  • Capital: Pretória (executiva), Cidade do Cabo (legislativa).
  • Língua oficial: Inglês, Africâner, Ndebele, SeSotho do norte, SeSotho do sul, Suazi, XiTsonga, seTswana, Venda, Xhosa, Zulu.
  • Presidente: Jacob Zuma.
  • População 2010: 49.991.300 habitantes.
  • Moeda: Rand.
  • Área Total: 1.221.037 km².
  • Fuso horário: UTC +2.
  • Código telefónico internacional: +27.
  • Clima: Temperado.
  • Visto: Não é preciso visto para a África do Sul.
  • Fronteiras: Namíbia, Botswana, Zimbábue, Moçambique, Suazilândia, Lesoto.
  • Locais a não perder: Cidade do Cabo, Vredefort Dome, Clarens, Golden Gate Highlands National Park, Maloti-Drakensberg Park, St. Lucia, iSimangaliso Wetland Park, Hluhluwe–iMfolozi Park, Blyde River Canyon Nature Reserve, Mapungubwe National Park, Pilanesberg Game Reserve.
  • Quando visitei a África do Sul: Junho 2015, Julho 2015.
Mapa Africa do Sul

Mapa da localização geográfica da África do Sul no Mundo

Turismo na África do Sul, Roteiros de Viagem

Fabrico de artesanato tradicional, Visitar a África do Sul

Fabrico de artesanato tradicional, Visitar a África do Sul

A África do Sul é um país fascinante para passar férias.

Dei uma volta pela África do Sul, tentando explorar vários locais bonitos.

Como não organizei nada da viagem antes de ir, foquei o meu itinerário em visitar os sítios UNESCO Património Mundial da Humanidade, na zona Este do país – nas províncias Gauteng, Free State, Eastern Cape, Kwa-Zulu Natal, Mpuma-langa, Northern Province e North West.

Ou seja, num mapa de estradas apontei os locais UNESCO e fui viajando assim. Visitei outros lugares que o mapa dizia serem interessantes e que estavam “no caminho” do meu roteiro.

Apresentação da História, Geografia e Cultura:

A história da África do Sul tem início na época Pré-Histórica, quando o povo caçador e recolector Khoisan aqui se estabeleceu. Entre os séculos I ao XIV, mais propriamente na Época Pré-Colonial, este povo pioneiro foi confrontado pelo povo Bantu, que acabou por conquistar este território e onde desenvolveram na região, o Império Mapungubwe. É no ano de 1448 que Bartolomeu Dias, ao passar no Cabo da Boa Esperança, descobre a África do Sul, de forma estratégica, pois utilizou a Ilha Robben como uma espécie de entreposto que serviu as embarcações, aquando feitas as travessias para as Índias. Os holandeses e ingleses disputaram esta terra durante quase quatro séculos e só no século XX é fundada, pelos Ingleses, a União da África do Sul como domínio da Coroa Inglesa. A língua inglesa torna-se oficial e os povos nativos perderam quaisquer direitos político-sociais, surgindo o Apartheid. Só em 1994, no momento que Nelson Mandela foi eleito como presidente da África do Sul, se pôs fim ao Apartheid.

A geografia da África do Sul conta com uma área territorial de 1 219 090 Km2, considerado o país meridional da África, ocupando quase a totalidade da extremidade Sul do continente africano, tal como é banhado a Oeste pelo Oceano Atlântico e a Leste, pelo Oceano Índico. A África do Sul faz fronteira com a Namíbia, Botswana, Zimbabwe, Moçambique e Swazilândia. O cenário paisagístico é bastante variado, onde na zona Ocidental encontramos um grande planalto caracterizado por deserto, savanas e pastagens, e onde atravessa o Rio Orange; encontramos a Sul a Cordilheira Karoo e a Leste a Cordilheira Drakenberg (a maior cadeia montanhosa da África Meridional). Esta nação conta com nove Estados, nomeadamente o Cabo Ocidental, o Cabo Oriental, o Cabo Setentrional, o Free State, o Gauteng, o KwaZulu-Natal, o Limpopo, o Mpumalanga e o Noroeste.

A cultura da África do Sul é composta por um conjunto de influências de vários grupos étnicos nativos nesta região, tal como da população dos países colonizadores, o que resulta naquilo que hoje conhecemos como o povo sul-africano. O Apartheid traz muitas memórias angustiantes e ainda hoje se sentem os efeitos da discriminação vivida até aos anos 90, pois existem grupos raciais que ainda pouco se contactam, dando continuidade a esta situação, embora já não seja “oficial”. As tradições e língua de cada povo aqui representado são mantidas e estimuladas, trazendo uma multi-culturalidade imensa ao país. O estilo musical mais importante, é o Zulu Isicathamiya, popularizado pelo grupo famoso Ladysmith Black Mambazo, aquando gravaram um disco com o Paul Simon. A gastronomia é bastante variada, pois existe uma miscelânea de cozinhas africana, asiática, inglesa, holandesa, sendo possível evidenciar a reunião do Braai, um churrasco com vários tipos de carne.

Clima e Quando ir:

Para saber quando ir à África do Sul você precisa de se informar um pouco melhor acerca das suas estações e melhor clima. A melhor altura para visitar a África do Sul é entre os meses de Outubro e Novembro, quando ocorre a Primavera.

O clima da África do Sul é temperado, embora tenha algumas alterações devido a factores como a altitude, e das influências de ventos quentes do Oceano Índico e de correntes frias do Oceano Atlântico. O interior do país é principalmente constituído por planaltos, com altitudes entre os 800 e os 1200 metros, sendo que no Verão as temperaturas são altas e no Inverno, são baixas. Na zona Ocidental, o clima é essencialmente mediterrâneo, onde os Verões são quentes e secos e o Invernos, frios com chuvas abundantes.

Meet South Africa

Vídeo promocional do Turismo da África do Sul.

O que visitei / Resumo de viagem na África do Sul

Por ordem de visita.

Cratera de Vredefort, África do Sul
Cratera de Vredefort, Africa do SulCratera de Vredefort: fica a cerca de 120 km Sudoeste de Joanesburgo, no Estado Livre, na África do Sul. É a maior cratera de impacto do mundo, causada pelo impacto de um meteorito com cerca de 10 km de diâmetro que terá provocado uma cratera de quase 300 km de diâmetro. Este fenómeno ocorreu há mais de 2 biliões de anos. Com o tempo e devido aos efeitos da erosão, o rebordo da cratera tem sido desgastado pelo que hoje em dia é visível uma cratera com cerca 180 km. A localidade de Vredefort localiza-se dentro da cratera e é uma povoação predominantemente rural. O local é muito procurado por turistas devido à sua importância enquanto fenómeno geológico, por ser Património Mundial da Humanidade, pelas lindas paisagens e para a prática de actividades ao ar livre. As diferentes formações rochosas e o vale do rio Vaal criam uma paisagem surpreendente que tornam este local ainda mais único.
Clarens, África do Sul
Clarens, Africa do SulClarens: é uma pequena vila que fica na Província do Estado Livre a 336 km de Joanesburgo e perto do Parque nacional Golden Gate e do Lesoto. A cidade foi fundada em 1912 e resultou da junção de duas fazendas. O nome Clarens é uma homenagem ao Presidente Paul Kruger que passou os seus últimos anos em Clarens na Suiça, após ter vencido nesta região a importante Batalha de Naauwpoortnek, frente aos Basothos (1865/6). É uma povoação rodeada de montanhas e bonitas paisagens naturais. É um destino turístico muito conhecido por vários artistas se terem aqui fixado ou porque aqui vêm passar férias. Há por isso várias galerias de arte na praça central da vila. A vila conserva um ar muito tradicional com casas em pedra que se enquadram perfeitamente na paisagem envolvente de montanhas e extensas áreas verdes.
Parque Nacional Golden Gate Highlands, África do Sul
Parque Nacional Golden Gate Highlands, Africa do SulParque Nacional Golden Gate Highlands: ocupa uma área de 365km2 e fica no Nordeste da província do Estado Livre, perto da fronteira com o Lesoto. Fica próximo da vila de Clarens, a cerca de 17 km. É uma zona com grandes formações rochosas de arenito de cor amarelada, ocre, avermelhada e por vezes até púrpura ao pôr-do-sol. É desses tons dourados a reflectirem no penhasco mais conhecido da região – Brandwag Rock – que advém o seu nome “Passagem Dourada”. A paisagem natural é o grande atractivo e por isso o melhor é desfrutar das paisagens deslumbrantes a partir de um dos miradouros existentes: Zuluhoek, Generaalskop, Oribi ou Drakensberg. Há também várias grutas e abrigos nas rochas, alguns deles com pinturas da tribo San, um dos 14 povos ancestrais ainda existentes, a partir dos quais todos os homens descendem. É um parque de grande riqueza antropológica mas também paleontológica, pois aqui foram encontrados ossadas e ovos de dinossauros. A não perder a vila Cultural de Basotho, um museu ao ar-livre que recria o modo de vida do povo Basotho. Podemos ver as suas casas típicas com fachadas com motivos coloridos e ver recriações das actividades quotidianas do povo. Esta é uma representação muito boa se não tiver hipótese de visitar o Lesoto, onde pode ver aldeias reais.
Outro lugar imperdível é a igreja na gruta – Rose Chapel ou Modderpoort – originalmente um abrigo da tribo de caçadores-colectores San, onde mais tarde, por volta de 1867 foi construída uma igreja que serviu de abrigo aos primeiros missionários. Foi neste parque que vi zebras pela primeira vez.
Parque Nacional de uKhahlamba Drakensberg, África do Sul
Parque Nacional de uKhahlamba Drakensberg, Africa do SulParque Nacional de uKhahlamba Drakensberg: fica na fronteira Este do Lesoto com a África do Sul e estende-se por 150 km na província de KwaZulu-Natal. A Cordilheira é conhecida por uKhahlamba, nome em zulu que significa “Barreira de Lanças” ou Drakensberg em Africanês “Montanhas do dragão”. É a cordilheira mais alta da África do Sul e tem diversos picos que constituem o objectivo de escalada de muitos turistas:  Pico da Catedral, o Capuz do Monge, o Castelo de Champanhe, o Castelo do Gigante e o fenómeno geológico do Anfiteatro de Drakensberg. A paisagem do parque é muito diversificada, com grandes formações rochosas, rios e quedas de água, grutas com pinturas rupestres e campos verdes a perder de vista. Esta variedade faz deste parque um local riquíssimo em termos de fauna e flora, que aliadas à beleza natural lhe valeram a inclusão na lista de Património Mundial da UNESCO. Um dos pontos mais procurados é o planalto designado de “Anfiteatro” onde os mais corajosos podem chegar subindo umas escadas penduradas de 18 metros na parede da rocha. Quando chegar lá a cima e avistar a deslumbrante paisagem e a maior queda de água de Africa – Tugela – vai pensar que valeu a pena o desafio.
Howick, África do Sul
Howick, Africa do SulHowick: é uma pequena cidade na província de KwaZulu-Natal entre o Parque Nacional de Dragensberg e Durban. A cidade é conhecida pelas quedas de água, tendo a maior uma altura impressionante de 95 metros (Howick Fall). Para além desta grande queda de água há várias nas imediações da cidade, embora mais pequenas. Mais recentemente a cidade conheceu outro ex-libris: o monumento a Nelson Mandela que fica nos arredores de Howick. O monumento que celebra os 50 anos da detenção de Nelson Mandela foi feito pelo artista Marco Cianfanelli e consiste em 50 colunas de aço dispostas ao alto com intervalo numa alegoria às grades da prisão, mas que a uma certa distancia e posição desenham a face de Nelson Mandela. É de facto uma obra impressionante e de notável originalidade. Visitar este monumento é também fazer um tributo a esta grande personalidade da história contemporânea.
Túmulo do Rei Cetshwayo, África do Sul
Túmulo do Rei Cetshwayo, Africa do SulTúmulo do Rei Cetshwayo: o Túmulo do Rei Cetshwayo fica na localidade de Nkandla. Este local é sagrado para a tribo Zulu pois o Rei Cetshwayo é considerado o último rei do Reino Zulu. A tribo Zulu ocupa a Costa Sudeste da África Austral entre as Montanhas de Dragensberg e o Oceano Índico. Aquando da ocupação colonial o Rei Cetshwayo teve um papel muito importante, derrotando os colonos ingleses. Desta forma, o túmulo do Rei Cetshwayo é visto como um monumento a um herói da tripo Zulu.
Reserva Natural da Floresta Dlinza, África do Sul
Reserva Natural da Floresta Dlinza, Africa do SulReserva Natural da Floresta Dlinza: fica perto da costa Nordeste da África do Sul, na localidade de Eshowe. Esta região pertencia originalmente ao Reino Zulu e aqui nesta floresta foram enterradas as muitas vítimas do conflito anglo-zulu do século XIX. É uma floresta subtropical indígena com vegetação muito densa e árvores altas. É habitat de muitas espécies de flora e fauna e é considerada um lugar de eleição para a observação de aves. Esta reserva oferece uma estrutura em madeira (um passadiço) que percorre 125 metros da zona densa da floresta a 10 metros de altura, proporcionando um belíssimo passeio ao nível da copa das árvores, desembocando numa plataforma de observação mais elevada, a 20 metros de altura, que permite ter uma vista de cortar a respiração, por cima da copa das árvores e da natureza envolvente. Aqui não vai precisar de hienas como o Tarzan para andar no meio das árvores.
Shakaland, África do Sul
Shakaland, Africa do SulShakaland: é um parque temático que recria uma aldeia Zulu, com os seus usos e costumes, arquitectura típica e muitas manifestações culturais. Este parque fica a 160 km de Durban na província de Kwazulu-natal. O nome do parque é como que uma homenagem ao grande líder da tribo Zulu o Rei Shaka. Apesar de ser uma recriação de uma aldeia Zulu, existe mesmo residentes nativos num sector do parque e poderá tomar contacto com as suas tradições de perto. As habitações, os trajes típicos, as manifestações culturais fazem da vista ao parque uma experiência incrível. Poderá ver as danças tradicionais, os rituais, o artesanato e participar na cerimónia de beber cerveja por exemplo. Este local onde agora é o Parque Shakaland foi construído originalmente para cenário dos filmes dos anos 80 Shaka Zulu e John Ross.
St Lucia, África do Sul
St Lucia, Africa do SulSt Lucia: é uma pequena vila no Nordeste da África do Sul, na província de Kwazulu-Natal. Fica a 240 km Norte de Durban e 80 km de Richards Bay. Situa-se em pleno estuário e o seu terreno pantanoso é habitat de muitos hipopótamos e crocodilos. Em Santa Lúcia há uma enorme concentração de hipopótamos. A fauna é ainda riquíssima com outras espécies como antílopes, zebras e muitas aves. É possível ver hipopótamos a circular pelas ruas, sobretudo de manhã e ao anoitecer quando está mais fresco. O Parque Natural da Zona Húmida de Santa Lúcia (iSimangaliso Wetland Park) é o terceiro maior da África do Sul e faz parte da lista de Património Mundial da UNESCO. Nos arredores da vila podemos visitar o Centro de Crocodilos ou sair para safaris e explorar o habitat de animais selvagens. Se preferir ficar pela praia Santa Lúcia também é um destino ideal, é uma zona balnear muito procurada e oferece várias actividades ligadas ao mar: passeios de barco para ver baleias, pesca no mar alto, mergulho, etc. Santa Lúcia é um paraíso onde pode relaxar na praia e desfrutar de actividades no mar ou virar-se para o parque natural e percorrer trilhos pelo meio da natureza e observar animais selvagens.
Parque da zona húmida de iSimangaliso
Parque da zona humida de iSimangalisoParque da zona húmida de iSimangaliso: também conhecido pelo seu antigo nome – Grande Parque de Santa Lúcia – ocupa uma extensão de 220 km desde a fronteira de Moçambique a Norte, até ao extremo Sul do estuário de Santa Lúcia. De um lado é banhado pelo Oceano Índico e do outro lado por inúmeros lagos, sendo o Lago de Santa Lúcia o maior. Com esta variedade natural o Parque iSimangaliso comporta cinco ecossistemas distintos: recifes, praia, lagos, pântanos e floresta. Estes ecossistemas traduzem-se em habitats de espécies tão variadas como tartarugas marinhas, baleias, hipopótamos, crocodilos, antílopes e zebras, por exemplo. Este parque está inserido na lista de Património Mundial da UNESCO. O novo nome do parque – iSimangaliso – significa “Milagre” ou “Maravilha” e é de facto um lugar quase que um milagre ter tanta diversidade e riqueza numa só região.  
Parque Hluhluwe-uMmfolozi, África do Sul
Parque Hluhluwe-uMmfolozi, Africa do SulParque Hluhluwe-uMmfolozi: chamava-se anteriormente Hluhluwe–Umfolozi Game Reserve (Reserva de caça de Hluhluwe–Umfolozi) e foi a primeira área a ser proclamada reserva natural na África do Sul em 1895. O Parque fica na província de KwaZulu-Natal na Costa Este do país e abrande a região desde Hluhluwe a Norte até Umfolozi, a Sul. Era uma zona de caça do povo Zulu e há vestígios de civilizações mais antigas da idade da Pedra. O principal objectivo quando se instituiu o Parque como reserva natural era a preservação de espécies em risco, mais especificamente o Rinoceronte Branco. O objectivo foi superado e é actualmente o local com a maior concentração de Rinocerontes Brancos. O Parque é ainda casa dos “Cinco Grandes” (Big Five Game): elefante, rinoceronte, búfalo, leão e leopardo. O Parque é um santuário da vida animal onde para além dos Cinco Grandes se podem ver crocodilos do Nilo, hipopótamos, chitas, hienas, girafas, impalas, nialas e muitos outros. Se gosta de animais este é um dos destinos que não poderá perder.
Lisbon Falls, África do Sul
Lisbon Falls, Africa do SulLisbon Falls: é uma das maiores quedas de água na região de Mpumalanga, uma região de relevo acidentado onde existem várias quedas de água. As águas do Rio Lisboa caem de uma altura de 94 metros formando esta incrível queda de água, uma das maiores de muitas outras que se podem avistar percorrendo a famosa Rota Panorâmica na África do Sul. O nome de cidades estrangeiras em vários locais por esta região deve-se ao facto de, no final do século XIX, muitos estrangeiros terem vindo para esta região à procura de Ouro. Lisboa é o nome de uma fazenda nas proximidades.
Reserva Natural Blyde River Canyon, África do Sul
Reserva Natural Blyde River Canyon, Africa do SulReserva Natural Blyde River Canyon: fica na região de Mpumalanga, perto da pequena cidade de Graskop. O Parque engloba o desfiladeiro que lhe dá nome – Blyde River Canyon – e é o terceiro mais profundo do mundo e o maior da África do Sul. Estende-se ao longo de 50 km com paisagens distintas e alguns pontos imperdíveis como é o caso da God’s Window (Janela de Deus) que como o próprio nome indica proporciona uma vista de cortar a respiração, o Pinnacle Rock (um rochedo alto e estreito que se evidência na paisagem), o Caldeirão Bourkel’s Luck, que são buracos enormes causados pela erosão da água ao longo dos séculos e que formam agora piscinas naturais e, os Três Rondáveis (três formações rochosas que se assemelham aos telhados das casas desta região de África). Para além das maravilhosas paisagens que o parque oferece, pode-se praticar várias actividades como rapel, rafting, pesca com mosca ou simplesmente caminhadas.
Gravelotte, África do Sul
Gravelotte, Africa do SulGravelotte: é uma pequena vila na região de Limpopo, perto do famoso Kruger Park, uma das principais atracções turísticas da África do Sul. A vila foi fundada em 1916 e o seu nome provem de um importante fazendeiro na região, que tinha combatido na batalha de Gravelotte (Batalha franco-prussiana de 1870). A vila tinha uma importante exploração mineira de ouro, esmeraldas, mica e sílica. A principal atracção desta localidade é uma enorme árvore – embondeiro (ou baobá) – que fica a poucos metros da estrada entre Leydsdorp e Gravelotte e que costumava ser um bar “The Muchison Club” onde os garimpeiros (caçadores de ouro) paravam para matar a sede.
Parque Nacional Mapungubwe, África do Sul
Parque Nacional Mapungubwe, Africa do SulParque Nacional Mapungubwe: este Parque Nacional fica na região de Limpopo, na confluência dos rios Shashe e Limpopo, a 60 km da cidade de Musina. O Parque fica perto da fronteira com o  Botswana e o Zimbabué, e abrange áreas dentro dos limites desses países (Grande Área de Conservação Transfronteiriça de Mapungubwe). É uma vasta área de savana rodeada de enormes embondeiros e grande variedade de espécies animais. Podemos observar vida selvagem no seu habitat natural, desde leões, elefantes, girafas, rinocerontes brancos, entre muitos outros. Para além da sua riqueza natural o parque engloba uma importante herança cultural: um sítio arqueológico na colina de Mapungubwe com vestígios bem conservados daquela que foi a capital de um dos mais importantes Reinos de África entre 1200 e 1270 d.C. Existem ainda vestígios de povos mais antigos que teriam uma próspera civilização a avaliar pelos vestígios encontrados, como o famoso rinoceronte dourado. O edifício onde está exposto o famoso Rinoceronte Dourado (Centro de Interpretação de Mapungubwe) recebeu o prémio de Edifício do ano em 2009 pela sua arquitectura. Devido à sua paisagem e legado histórico de vários povos que aqui habitaram entre os séculos IX e XIV, este parque foi incluído na lista de Património Mundial da UNESCO como a Paisagem Cultural de Mapungubwe.
Reserva Natural Manavhela Ben Lavin, África do Sul
Reserva Natural Manavhela Ben Lavin, Africa do SulReserva Natural Manavhela Ben Lavin: esta reserva natural fica na província de Limpopo, 12 km a Sul de Louis Trichardt (Makhado). A região onde fica a reserva chamava-se Ha- Manavhela e depois da 1ª Guerra Mundial um veterano de guerra chamado Ben Lavin adquiriu estas terras e assim se explica o nome da reserva. Os habitantes de Manavhela que já habitavam estas terras foram obrigados a partir ou a ficar mas sujeitos a trabalhos forçados. Quando Ben Lavin morreu a propriedade foi doada à WESSA (Wildlife and Environment Society of South Africa – Sociedade para o Ambiente e Vida Selvagem da África do Sul). A reserva não é tão grande em área como outras reservas naturais no país (ocupa cerca de 25km2) mas é rica em vida selvagem com várias espécies que habitam a savana africana: zebras, girafas, topis, gnus, impalas, entre outros.
Parque Nacional Pilanesberg, África do Sul
Parque Nacional Pilanesberg, Africa do SulParque Nacional Pilanesberg: este parque natural é um dos quatro maiores da África do Sul e fica numa zona bastante acessível, a 160 km Noroeste de Pretória. O parque ocupa 550 km2 e está numa transição entre savana e floresta, apresentando uma paisagem diversificada e consequentemente várias espécies animais dos dois habitats. No parque pode-se observar os tão procurados “Big Five” (os cinco grandes de África – elefante, rinoceronte, búfalo, leão e leopardo) quer num safari 4×4 organizado quer a conduzir o seu próprio carro pelos mais de 200km de estradas do parque. O Parque Nacional de Pilanesberg fica na cratera de um vulcão que entrou em erupção há mais de 1,2 biliões de anos e que deu origem a uma formação rochosa em anéis concêntricos de montanhas. Chama-se cinturão alcalino de Pilanesberg e é um dos 3 exemplos do género no mundo, sendo os outros dois na Gronelândia e Rússia.
O lago artificial no centro do parque – Lago Mankwe – é o local ideal para ver animais como hipopótamos e muitas espécies de aves. Para além das belezas naturais e da vida selvagem que fazem as delícias de fotógrafos (amadores ou profissionais), o parque oferece locais de interesse cultural com vestígios dos antigos povos que habitaram esta região desde a Idade da Pedra e do Ferro. O complexo turístico Sun City é também uma das grandes atracções do parque, com hotéis que parecem saídos dos contos da Disney, actividades turísticas como parque aquático, golf, casino e a Cabana Zulu, uma recriação do modo de vida da tribo zulu. Estas infra-estruturas podem oferecer o conforto e todas as comodidades aos turistas que não dispensam um pouco de luxo no meio da savana Africana.
Sítios com fósseis de hominídeos de Sterkfontein, África do Sul
Sítios com fósseis de hominídeos de Sterkfontein, Africa do SulSterkfontein: as Grutas de Sterkfontein, no chamado “Berço da Humanidade” ficam um pouco a Noroeste das cidades de Joanesburgo e Pretória. Estas grutas calcárias são famosas pelos fósseis aqui encontrados, sendo os mais conhecidos a Mrs. Ples, o crânio de um Australopithecus com 2,1 milhões de anos e o “Little Foot”, um esqueleto quase completo de um Australopithecus com mais de 3 milhões de anos (estão em exposição no Centro de Visitantes de Maropeng). Para além destes achados paleontológicos foram ainda encontrados outros fosseis ainda mais antigos. Este local é Património Mundial da UNESCO.
Centro de Visitantes de Maropeng, África do Sul
Maropeng, Africa do SulMaropeng: os vestígios ancestrais de antepassados do Homem nesta região, fazem com que seja conhecida por “Berço da Humanidade”. Em Maropeng há um sítio arqueológico (Centro de Visitantes de Maropeng) onde estão expostos importantes fosseis hominídeos encontrados na região, como a Mrs. Ples e o “Little Foot” encontrados nas Grutas de Sterkfontein. Este centro fica perto das grutas, a cerca de 80 km de Pretória e 60 km de Joanesburgo. Para além da importância histórica da exposição, também a forma como é apresentada torna este centro visita obrigatória. É uma exposição muito interactiva e proporciona experiências enriquecedoras como a viagem sensorial de barco que recria uma viagem ao passado até à formação da Terra. A visita ao Centro de visitantes de Maropeng é, sem dúvida, uma aula de história que aborda toda a evolução do Homem.

Roteiros na África do Sul

Algumas ideias de roteiros para você preparar as suas férias na África do Sul de maneira independente. Itinerários de turismo na África do Sul para 12 dias.

12 Dias na África do Sul
Dia 1 Durban
Dia 2 Drakensberg
Dia 3 Drakensberg
Dia 4 Cintsa
Dia 5 Cintsa
Dia 6 Parque Nacional Addo Elephant
Dia 7 Garden Route – Parque Nacional Tsitsikamma
Dia 8 Garden Route – Parque Nacional Tsitsikamma
Dia 9 Oudtshoorn
Dia 10 Swellendam
Dia 11 Cabo Agulhas – Hermanus
Dia 12 Cidade do Cabo
Locais UNESCO na África do Sul
Estes são alguns dos melhores destinos para visitar na África do Sul. Os locais UNESCO Património Mundial na África do Sul são locais protegidos pela sua importância cultural ou natural.

Locais inscritos na Lista do Património Mundial na África do Sul:

  • Sítios com fósseis de hominídeos de Sterkfontein, Swartkrans, Kromdraai
  • Parque da zona húmida de Santa Lúcia
  • Ilha Robben
  • Parque uKhahlamba Drakensberg
  • Paisagem cultural de Mapungubwe
  • Áreas protegidas da Região floral do Cabo
  • Cratera de Vredefort
  • Paisagem cultural e botânica de Richtersveld
  • Zona protegida da região floral do Cabo

Kit Útil para organizar a sua viagem na África do Sul:


Deixe o seu comentário aqui:

João Leitão - O autor do blog:

VIVA! Sou o João - blogger de viagens. Com 20 anos de experiência como viajante independente, explorei mais de 128 países em África, Antártica, Ásia, Europa, América do Norte e Central, América do Sul e Oceânia. Bem-vindos ao meu blog de viagens, onde partilho informação prática de viagem para o motivar a sair de casa! Siga nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram, Pinterest e YouTube.

Kit de Viagem:

  • Onde eu reservo alojamento? Encontre os melhores hotéis e promoções através do Booking.com
  • Eu reservo sempre o meu carro online através do Rentalcars.com
  • Quer estar prevenido? Faça o seu seguro de viagem através do Worldnomads.com
  • 7 dias em Marrocos 430 euros desde Marrakech até ao Deserto do Saara através do Marrocos.com
  • Quer viajar e ter sempre Internet? Faça como eu e compre o aparelho da SkyRoam.com
* Esta página tem links de afiliados. Quando você reserva algo através deste blog, eu retenho uma pequena comissão que não altera o preço final. Obrigado!

Blog de viagens mencionado em:

Blog de viagens nos Media

« Seguir @joaoleitaoviagens no Instagram »