🐪 » 7 dias em Marrocos 430 euros desde Marrakech até ao Deserto do Saara através do Marrocos.com « 🐪

🌍 Guia de Londres: Tudo o que precisa saber

Actualizado em 6 Maio, 2017
Londres - Guia de Viagem: Tudo o que precisa saber

Londres – Guia de Viagem: Tudo o que precisa saber

GUIA DE LONDRES: Guia de Viagem muito completo para organizar onde ir, o que fazer, onde comer, hotéis e transportes. Tudo o que precisa saber para viajar em Londres na Inglaterra.

Londres é uma das maiores e mais antigas capitais do Velho Continente. Um melting pot de culturas, estilos e arte, onde se fundem e andam de mãos dadas a tradição e o progresso.

O conteúdo desta página - ÍNDICE:
Guia de Viagem de Londres

Guia de Viagem de Londres

  1. Apresentação deste Guia
  2. Curiosidades sobre Londres
  3. Visitar Londres: Primeiros Passos
    • Planear
    • Quando Ir
    • Como Ir
    • Alojamento
    • Bagagem
    • Dinheiro
    • Seguro de Viagem
    • Transportes
    • Arranjar emprego
  4. O que ver e fazer em Londres
    • Top 13 lugares para visitar
  5. Informações úteis
    • Feriados Nacionais
    • Clima e temperatura
    • Contactos úteis
    • Moeda e dinheiro
  6. História, interesses e localização
    • Feriados Nacionais
    • Clima e temperatura
    • Contactos úteis
    • Moeda e dinheiro

1-Como este guia de viagem o ajuda a visitar Londres?

Taxi em Londres

Taxi em Londres

Londres não admira que seja, desde sempre, um dos destinos mais procurados da Europa quer por turistas – atraídos pelos seus séculos de História, museus e atracções – quer por quem procura uma vida melhor, o que nem sempre é fácil nesta cidade que não pára.

Mais à frente vou ajudá-lo a preparar a sua viagem em função do que pretende – visitar como turista ou trabalhar em Londres.

Desde os seus pubs e cafés tradicionais aos seus inúmeros museus e atracções, é muito fácil perder-se no tempo e sentir que necessitava sempre de mais alguns dias para levar o máximo desta cidade magnífica.

Este guia de Londres vai começar pelo início e ajudá-lo a organizar e planear a sua viagem – desde a melhor forma para chegar a Londres à escolha do alojamento em função do que procura, do orçamento disponível e da época do ano ideal ou o que levar na mala. Mais à frente vou também dar-lhe umas dicas se o seu objectivo for mudar-se de armas e bagagens para esta cidade e também para poupar dinheiro.

Veja ainda as sugestões de roteiros que preparei para si.

2-Curiosidades e factos interessantes sobre Londres

Guia de Viagem para Visitar Londres

Guia de Viagem para Visitar Londres

Londres é composta de duas antigas cidades que estão unidas. Elas são a City ou Square Mile of London e a cidade de Westminster.

Mapa da localização da cidade de Londres

Mapa da localização da cidade de Londres

A Cidade de Londres – chamada pelos seus habitantes como “the City”, é o coração empresarial e financeiro do Reino Unido. Esta zona é também conhecida como a Square Mile, por ter aproximadamente uma área de uma milha quadrada.

A City foi originalmente um assentamento romano (antiga Londinium), tornando-se assim a parte mais antiga de Londres, que já contava com 1000 anos de idade quando a Torre de Londres foi construída. A Cidade de Westminster é onde o Parlamento e a maioria dos escritórios do governo estão localizados. Também é aqui que está localizado o Palácio de Buckingham, a residência oficial em Londres da rainha e da família real. Juntas, a cidade de Londres e a cidade de Westminster, compõem uma região conhecida como a Grande Londres – Greater London.

A saber:

  • Londres é a maior cidade da Grã-Bretanha e da Europa
  • Londres ocupa mais de 620 quilómetros quadrados
  • Londres tem uma população de 8.2 milhões de habitantes (2001)
  • Cerca de 12 por cento da população total da Grã-Bretanha vive em Londres
  • Londres tem a maior densidade populacional na Grã-Bretanha, com 5206 pessoas por quilómetro quadrado
  • Londres fica localizada no sudeste da Inglaterra
  • Londres é a sede do governo da Grã-Bretanha
  • O edifício mais alto em Londres é o The Shard, com 309,6 metros de altura
  • Londres foi a primeira cidade do mundo a ter um metro subterrâneo e é conhecido como the tube
  • Os dignatários de todo o mundo em visita a Londres ainda são oficialmente recebidos pela rainha no Palácio de Buckingham
  • Existem mais de 100 teatros em Londres

3-Visitar Londres: Primeiros Passos

Planeie a sua viagem

Guia de Londres

Guia de Londres

Londres é uma cidade muito grande e, sobretudo se tiver poucos dias para visitar, é importante que planeie bem a sua viagem, para aproveitar ao máximo esta cidade. Procure dividir a cidade por áreas e distribuí-las pelos seus dias disponíveis, procurando em cada área visitar e fazer tudo o que pretende numa só viagem. Assim, vai evitar andar de um lado para o outro, poupando tempo e dinheiro.

Visto, documentos e controlo de fronteiras

Documentos e burocracias para brasileiros

Os cidadãos brasileiros que pretendam visitar Londres (ou qualquer outro destino do Reino Unido) têm de se fazer acompanhar de passaporte válido com visto e documento comprovativo de local de alojamento. O visto de turista, que é válido por seis meses, não precisa de ser tirado no Brasil e pode ser obtido à entrada do país. Tome nota que este visto não é válido para trabalhar no Reino Unido.

Visto e comprovativo de alojamento

Para obter o visto de turismo é sempre necessário fazer-se acompanhar de comprovativo de alojamento, que pode ser o comprovativo de reserva de quarto de hotel ou, se ficar em casa de amigos ou familiares, um documento escrito a convidá-lo e comprovar esta visita. Tome nota que a entrada no país é cada vez mais apertada e que as autoridades podem partir do princípio que está a tentar entrar para trabalhar ilegalmente, em particular se se alojar em casa de amigos em vez de um hotel. Vá bem preparado.

Documentos e burocracias para portugueses

Se for português ou se fizer acompanhar de passaporte deste país, ou de qualquer outro estado da EU, a entrada é muito mais simples. Para os cidadãos portugueses basta fazer-se acompanhar pelo Bilhete de Identidade ou Cartão de Cidadão válido, uma vez que o Reino Unido faz parte da União Europeia.

Apesar de não ser necessário para entrar, se for trabalhar ou estudar deve fazer-se acompanhar de uma declaração do seu novo empregador ou instituição de ensino.

Escolha a época certa para viajar

Guia de Londres

Guia de Londres

Provavelmente já ouviu falar do clima característico de Londres – a humidade quase constante, a chuva e a mistura de poluição e nevoeiro que celebrizou o termo “smog” (smoke+fog / fumo+nevoeiro) e que dá a Londres o ambiente cinzento que é tão característico. Isto não quer dizer, de forma alguma, que Londres seja uma cidade cinzenta. Pelo contrário, é uma cidade repleta de jardins, parques, museus, palácios e estruturas seculares que fazem deste um destino certamente inesquecível. Pode ler mais sobre o que fazer em Londres.

O Inverno londrino é longo, húmido e frio. Entre Outubro e Abril são escassos os dias de sol e as temperaturas amenas são quase uma miragem. Para quem está habituado ao clima quente e temperado dos países lusófonos o Inverno pode ser de difícil habituação. Se, ao ar livre, está frio e húmido, dentro de portas está sempre muito quente. Convém ir preparado com muitos agasalhos e optar por se vestir em camadas, para que possa adicionar e retirar agasalhos em função dos espaços onde entra e sai.

Para quem não for fã do frio, o melhor é mesmo optar pelos meses da Primavera e Verão, em que as temperaturas são bem mais amenas e frequentes os dias bem quentes. Isto não quer dizer que não deva procurar saber a previsão meteorológica para o período da sua estadia e, mesmo que a previsão seja de bom tempo, prevenir-se para um ou outro dia mais fresco ou chuvoso. Se há uma certeza em relação ao clima londrino, é que é absolutamente incerto!

Para além das temperaturas mais amenas, é no Verão que os londrinos aproveitam melhor a cidade e, podemos dizer, andam genuinamente mais alegres. Habituados ao frio e humidade do Inverno longo, quando chegam os primeiros dias de sol e calor, enchem os jardins durante a tarde e trocam os pubs pelas esplanadas ao fim do dia.

Por outro lado, o Inverno também tem um apelo especial nesta cidade, em particular durante a época natalícia, em que os dias são muito mais curtos, escurecendo por volta das 17h00, e as ruas se iluminam com os mercados tradicionais e decorações de natal.

No fundo, a época ideal vai depender muito do que procura em Londres e da sua personalidade, mas podemos dizer que, na generalidade, vai aproveitar muito mais esta cidade imensa nos meses de Verão, com o seu clima bem mais confortável e os dias maiores a permitir ver e fazer muito mais num só dia.

Apaixonado pela estrada, comboio ou avião?

Guia de Londres

Guia de Londres

Dependendo do seu ponto de partida, preferência e estilo de viagem, pode optar por três meios principais para chegar a Londres:

  • avião;
  • comboio (trem);
  • automóvel.

De avião

Londres é uma das mais importantes capitais da Europa e do mundo. Tem, diariamente, centenas de ligações aéreas de e para todo o mundo.

No total Londres é servido por seis aeroportos – sendo os principais e mais conhecidos Heathrow a 24km da cidade e Gatwick a 50km, ambos com ligações à cidade por transportes públicos.

O aeroporto de Heathrow, terceiro maior do mundo em volume de passageiros, é o mais utilizado pelas ligações internacionais e, apanhando o comboio Heathrow Express, chega ao centro de Londres em apenas 15 minutos. As ligações de metro ou autocarro são mais baratas, mas mais cansativas para quem acaba de chegar de malas às costas. Se o orçamento não for um problema pode também optar pelo táxi, se quiser ficar mesmo à porta do hotel.

Gatwick não é servido por metro, mas tem ligações por autocarro e por comboio expresso, que parte de 15 em 15 minutos e que demora cerca de meia hora a chegar ao centro da cidade.
Para voos domésticos e low cost, oriundos maioritariamente de outros países europeus, temos ainda Stansted, a 56km do centro da cidade e que tem uma ligação por comboio expresso que o deixa em Liverpool Street em 45 minutos. Há ainda uma ligação de autocarro expresso que demora cerca de 90 minutos (Airbus).

Clique aqui para saber mais sobre estas ligações por estes aeroportos de Londres e ainda sobre os aeroportos de Luton e Southend.

De comboio / trem

Se viajar a partir de outro país europeu pode sempre optar por comboio ou automóvel. Desde a conclusão e abertura do Eurotúnel (ou Túnel da Mancha) em 1994 que é possível fazer a viagem de comboio até Londres, sendo que os preços nem sempre são competitivos em comparação às ligações aéreas low-cost. A título de exemplo, uma viagem de ida Bruxelas-Londres, reservada com um mês de antecedência custa a partir de 50EUR. De qualquer forma é uma óptima solução para quem tem medo ou não gosta de voar ou então prefere o passeio que proporciona uma viagem de comboio.

Com as redes ferroviárias que ligam todas as principais cidades da Europa pode fazer a viagem de comboio organizando o seu percurso para, se tiver tempo, passar uns dias a conhecer muitas outras cidades europeias.

De carro

Se gosta de conduzir e não tem receio de se atrapalhar com a inversão de sentido de marcha das estradas britânicas em relação às do resto da Europa (e de quase todo o mundo), viajar de carro tem tantas vantagens como desvantagens. Se, por um lado, tem muito mais liberdade para ir reprogramando a viagem à medida que vai andando, podendo parar onde quiser, por outro lado a viagem de carro, com o custo de combustível, portagens e desgaste do veículo pode ficar bem mais cara. Além disso, se o objectivo for Londres, recordo que é muito difícil circular e estacionar no centro da cidade, para além de que tem muitas áreas de acesso automóvel restrito. Se sair de Portugal, pode apanhar um ferry em Santander, no Norte de Espanha ou então no Norte da Bélgica ou França. Em alternativa pode seguir de comboio, no Eurotúnel, se bem que é mais caro. Saiba mais sobre as várias opções de como chegar a Londres.

Escolha o hotel ideal

Guia de Londres

Guia de Londres

Há vários factores a ter em conta no momento de escolher o alojamento, desde o objectivo da estadia – se está em turismo ou negócios – ao seu orçamento ou meio de deslocação.

Se for de avião ou de comboio, por exemplo, vai preferir um hotel no centro da cidade, o mais próximo possível dos locais que pretende visitar. Se ficar mais afastado, pode encontrar soluções mais económicas, mas vai perder mais tempo em deslocações e, igualmente, dinheiro em transportes. Já se decidir visitar Londres de carro deve procurar um hotel próximo do qual consiga encontrar estacionamento mais económico ou mesmo gratuito, uma vez que no centro é muito difícil estacionar e, onde é possível, é muito caro. Também há hotéis que incluem estacionamento por um custo diário, que é variável em função do hotel e da localização.

Hoje em dia é muito fácil obter todas estas informações nos sites de reserva de quartos de hotel, como o Booking.com ou o Trivago.pt. Pode saber mais sobre como reservar hotel em Londres online.

Se não gosta de surpresas, pode escolher um hotel de uma cadeia mundial, como o Ibis. São mais ou menos iguais em todo o mundo, com um custo e um serviço bem razoáveis. Em 2009 fiquei num Ibis bem perto de muitas das atracções de Londres. Veja aqui.

Veja ainda a lista de hotéis que preparei para si.

Travel Light – leve só o necessário

Guia de Londres

Guia de Londres

Provavelmente já passou pela experiência de ir viajar por uns dias e, por medo de lhe faltar alguma coisa, levar quase literalmente a casa às costas, carregado de roupas que nem vai chegar a desdobrar e de coisas que nunca vai tirar do saco. Viajar com demasiada “tralha” pode ser um verdadeiro empecilho – desde o início da viagem (seja de avião, carro ou comboio) até à chegada. Não é preciso pensar muito: prefere andar carregado de malas, de um lado para o outro, ou com uma mochila leve às costas? Vai ver que tem uma muito maior liberdade e conforto, sobretudo se usar mais de um hotel ao longo da sua estadia, ou se, por exemplo, decidir poupar numa última noite “de directa”.

Não esqueça que, ao viajar “light”, pode poupar bastante dinheiro, sobretudo se voar através de uma companhia low cost, que pode cobrar mais pelo transporte de uma mala de porão do que pelo bilhete de avião. Estas companhias permitem que leve uma mala ou mochila média consigo, na cabine – as medidas podem variar, mas são geralmente 55cm X 40cm X 20cm. Prepare a mala com tempo e siga os meus conselhos de o que levar na mala para Londres para poupar espaço e dinheiro.

Faça mais por menos

Guia de Londres

Guia de Londres

Um dos factores que (quase) todos ponderamos quando vamos viajar é o custo.

Siga as dicas que preparei para si para aproveitar ao máximo Londres, sem esvaziar completamente a carteira.

Alimentação

Uma das coisas que pode pesar muito no orçamento, sobretudo em cidades caras como Londres, é a alimentação. Já se sabe: se escolher os locais mais turísticos ou “chiques” vai pagar mais. No entanto, Londres tem muitos cafés e restaurantes baratos, de comida chinesa, indiana, pizarias e as tradicionais fish and ships, entre muitos outros. Se optar por refeições mais práticas, há muitas casas de sanduíches grab and go. Pode também comprar nos supermercados de rua ou mercados de frescos e fruta onde, especialmente se optar pelas refeições já prontas de marca branca, vai encontrar refeições bem económicas. Há ainda restaurantes que oferecem desconto a quem tiver bilhete para um espectáculo e cartões de desconto que pode comprar, como o Taste Card, que oferecem reduções até 50%.

Poupar em museus, espectáculos e transportes

Antes de mais, saiba que há muitos locais de interesse que oferecem entrada gratuita, como o famoso British Museum – mas há muitos mais! Pontualmente, também há espectáculos de entrada gratuita e descontos muito generosos para compras de última hora – quando as casas de espectáculos procuram preencher os lugares não-ocupados.

Para poupar nos transportes pode comprar o cartão Oyster Card, um cartão recarregável que fica mais barato do que comprar cada viagem individual. Fora das horas de ponta e ao fim-de-semana as viagens também são mais baratas. Não se esqueça de estudar bem o mapa e de organizar o seus dia em função dos locais que pretende visitar. Quanto menos dispersar mais vai poupar, até porque vai poder fazer muita coisa a pé. Continue a ler como poupar dinheiro em Londres para ficar a conhecer as minhas dicas para poupar dinheiro em Londres ou para saber mais sobre a moeda local – a libra esterlina – e os meios de pagamento mais comuns.

Seguro de Viagem – sim ou não?

Guia de Londres

Guia de Londres

A resposta mais cabal é “sem dúvida”! No entanto, cada caso é um caso e pode mesmo já ter várias coberturas sem saber, não tendo necessidade de fazer um seguro.

Continue a ler para ver qual é o seu caso.

Porquê fazer um seguro de viagem

Como o nome indica, um seguro é uma segurança. Quando viajamos estamos sempre à espera das melhores experiências, mas tudo pode acontecer.

Se adoecer, tiver um acidente, for roubado ou perder os seus documentos, um seguro de viagem pode ser a sua salvação e livrá-lo de gastar pequenas fortunas em caso de imprevisto.

Imagine que está perdido nos seus pensamentos ou com os olhos na sua máquina fotográfica e torce um pé num degrau. Se não tiver seguro e tiver de recorrer aos serviços de saúde, pode ver-se de repente num sarilho e ter de abrir os cordões à bolsa. Imagine que se distrai por uns segundos e alguém mal-intencionado lhe rouba o material fotográfico? Com seguro pode reaver parte ou mesmo a totalidade do valor.
Deve escolher um seguro adaptado às suas necessidades. Por exemplo, se não viajar com nada de valor consigo, um seguro que faça a cobertura de despesas de saúde e repatriamento poderá ser suficiente. Já se for um apaixonado da fotografia, se levar instrumentos musicais caros ou material desportivo deve procurar um seguro que faça a cobertura destas coisas em caso de roubo ou acidente.

Há muitas agências a oferecer um leque muito variado de soluções, pelo que de certeza que vai encontrar algo à sua medida. Uma das mais célebres entre viajantes é a World Nomads – fica a sugestão.

Verifique as suas apólices – pode não precisar de mais um seguro

Se já tiver seguro automóvel ou cartão de crédito, fique a saber que a apólice associada já cobre várias situações, como algumas despesas de saúde em caso de acidente e repatriamento, mesmo que não esteja a viajar de carro. Informe-se bem junto da sua seguradora e instituição bancária, uma vez que pode não precisar de fazer um novo seguro ou fazer um mais simples e mais barato.

Para além do seguro de viagem, deve pedir o Cartão Europeu de Seguro de Doença, que é um cartão gratuito, emitido pelo Instituto da Segurança Social e válido nos países membros da União Europeia e ainda na Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça. Este cartão garante-lhe acesso aos serviços de saúde destes países, quando em viagem, nas mesmas condições dos seus habitantes.

Saiba mais sobre seguros de viagem e o Cartão Europeu de Seguro de Doença na minha página de saúde em Londres.

Como se deslocar em Londres

Guia de Londres

Guia de Londres

Londres é muito grande e, apesar de a maior parte dos locais de interesse se encontrar no centro, numa espécie de anel interno da metrópole, vai acabar por fazer muitos quilómetros. Tem várias opções: alugar automóvel, metro, táxi, autocarro e comboio.

Continue a ler aqui para saber quais as melhores opções de transportes em Londres.

Saiba mais sobre Londres e o que pode fazer nesta cidade magnífica na página visitar Londres.

Quer trabalhar em Londres?

Guia de Londres

Guia de Londres

Londres, como capital de uma das maiores e importantes nações da Europa, pode ser tanto uma cidade de oportunidades como de grandes dissabores.

Siga os conselhos que lhe dou abaixo para que tudo corra pelo melhor!

Averigúe a credibilidade das ofertas!

É muito importante não se precipitar – certamente já ouviu histórias de pessoas que foram aliciadas com “mundos e fundos” e que, ao chegar, descobriram ter sido enganadas. Pesquise muito, procure o máximo de informação, quer na internet, quer junto das embaixadas e consulados do Reino Unido no Brasil e Portugal (ou do seu país) ou mesmo nas câmaras de comércio destes países. Procure sempre saber o máximo possível sobre o seu empregador ou quem lhe oferece trabalho. Se obter respostas negativas sobre a sua credibilidade ou se não conseguir encontrar quaisquer informações, tenha muito cuidado. Lembre-se que nesta Era Digital é muito difícil não ter uma exposição na internet, por menor que seja e, se esta for inexistente, deve desconfiar e ponderar muito bem os riscos.

Muito importante: não pague nada a quem lhe prometa emprego, uma vez que as agências de trabalho sérias e legais só recebem uma percentagem depois de começar a trabalhar.

Considere os custos

Se for trabalhar para Londres o ideal é ter já habitação à sua espera: seja alojamento próprio, oferecido pelo empregador, ou em casa de amigos ou familiares. Lembre-se que o alojamento em Londres é muito caro e deve ter isto em conta se aceitar uma proposta de trabalho nesta cidade. A proximidade do alojamento ao local de trabalho também é importante, uma vez que os transportes são geralmente muito caros.

Procure ajuda no seu país de origem

Se está a pensar trabalhar em Londres mas ainda não tem nada concreto, pode começar por se inscrever em agências de emprego e, no caso de habitar em Portugal ou noutro país da UE, pode mesmo inscrever-se e obter mais informações. Em Portugal, dirija-se ao IEFP, que integra uma rede europeia de ofertas de trabalho.

Sabia que, se for cidadão de um país membro da UE e estiver desempregado, pode continuar a receber subsídio de desemprego por um período mínimo de três e que pode ir até seis meses?

Apesar de não ser absolutamente necessário, pelo menos nos trabalhos mais simples, saber falar inglês ajuda muito – e é essencial se procurar um trabalho em que tenha de lidar com clientes, como no atendimento em hotéis, cafés e restaurantes.

Continue a ler sobre o que deve fazer se trabalhar em Londres.

4-O que ver e fazer em Londres

Render da guarda em Londres

Render da guarda em Londres

Big Ben em Londres

Big Ben em Londres

Já chegou a Londres?

Vamos ao que interessa!

Agora que já abordamos um pouco de tudo o que deve fazer para se preparar para a sua viagem, vamos àquilo que realmente interessa: o que ver, o que fazer, onde comer, onde beber um copo, onde beber vários copos ;), como se deslocar e muito mais.

Continue a ler para conhecer também as minhas sugestões de roteiros em Londres para uma escapadinha de fim-de-semana a dois, para uma visita rápida de 48 horas, para umas férias mais prolongadas de 5 dias e ainda sugestões de excursões de um dia fora de Londres. Quer saltar já para a lista completa de sugestões monumentos em Londres?

Londres atrai um grande número de visitantes e turistas e pode ser um lugar caro para se visitar. Ainda assim, há muito que pode fazer com um orçamento mais apertado.

As principais atracções turísticas estão na sua maioria localizadas no centro de Londres. Planeie bem o seu dia e veja as minhas sugestões.

Londres é uma cidade grande e se você não for organizado pode gastar imenso tempo e grande parte do seu dia em transportes.

Vale a pena reservar e comprar bilhetes com antecedência para os monumentos principais – incluindo a Torre de Londres – assim você vai economizar muito tempo. As filas podem por vezes levar horas! Foi o que me aconteceu da última vez que estive em Londres: não visitei a Torre devido à imensidão de gente na fila à espera para comprar bilhete.

Top 13 lugares para visitar e coisas para fazer em Londres

Há muito – mesmo muito – para ver e fazer em Londres. Deixo-lhe algumas sugestão de coisas e lugares a não perder:

1- London Eye
London Eye em Londres

London Eye em Londres

Perca o medo às vertigens e aventure-se no London Eye, uma roda-gigante que oferece uma visão panorâmica de Londres. É roda de observação mais alta do mundo e oferece aos seus passageiros uma vista espectacular de mais de 55 dos mais famosos monumentos de Londres – tudo em apenas 30 minutos.

2- Render da guarda
Render da Guarda Real em Londres

Render da Guarda Real em Londres

Pode ver o render da guarda (quando trocam os turnos) no Palácio de Buckingham e também em Whitehall. Em Whitehall você pode chegar mais perto dos guardas. São cerimónias muito solenes e coreografadas e uma das atracções mais procuradas por quem visita esta cidade.

3- Musicais
Musicais de Londres

Musicais de Londres

Tem música no coração? Veja um musical em Londres – são incríveis. Reserve o seu bilhete para um musical em Londres com antecedência para garantir o seu lugar. Pode conseguir preços com 50% de desconto ao comprar na internet.

Pode ver os musicais mais famosos tais como o muito aclamado “Cats”; “We Will Rock You”; o “Fantasma da Ópera” – “Phantom of the Opera”; o musical “Thriller – Live”; “O Rei Leão” – “The Lion King” ou ainda o “Mamma Mia!”.

4- Torre de Londres
Torre de Londres

Torre de Londres

Situada nas margens do Tamisa, a Torre de Londres, ou simplesmente The Tower, começou a ser construída em 1078 por Guilherme, o Conquistador. Actualmente guarda a colecção de jóias da coroa britânica, uma colecção de valor incalculável, não só pelo seu valor material mas também histórico e ainda – desconhecido por uma grande parte dos visitantes – uma colónia de seis corvos protegida por decreto real e que, segundo a crença popular, protegem a Torre e a Coroa Britânia. “If the Tower of London ravens are lost or fly away, the Crown will fall and Britain with it” – “Se os corvos da Torre de Londres forem perdidos ou voarem embora, a Coroa cairá e a Bretanha com ela”, diz a superstição popular, tal é a importância destes animais para os britânicos.

5- Tower Bridge
Ponte Tower Bridge em Londres

Ponte Tower Bridge em Londres

A Tower Bridge, uma ponte báscula sobre o rio Tamisa, está localizada junto à Torre de Londres e é um dos edifícios mais emblemáticos da cidade. Tem, ainda hoje, uma grande importância para o trânsito Londrino, integrando uma circular interna de Londres. A sua construção iniciou-se em 1886 e foi aberta ao público em 30 de Junho de 1894. Tem 244 metros de comprimento, uma altura máxima de 42 metros e é atravessada por mais de 100 mil veículos por dia.

6- Palácio de Westminster e o Big Ben
Palácio de Westminster e o Big Ben

Palácio de Westminster e o Big Ben

O Palácio de Westminster, também conhecido como Casas do Parlamento, ou apenas de Westminster, é onde as duas Câmaras do Parlamento do Reino Unido (a Câmara dos Lordes e a Câmara dos Comuns) realizam as suas sessões. É o lugar onde as leis que regem a vida britânica são debatidas e aprovadas. A sua estrutura actual data maioritariamente do século XIX, mas possui alguns remanescentes do seu período medieval. Apesar de muitas pessoas julgarem que o “Big Ben” se refere à Torre do Relógio do Palácio de Westminster, o Big Ben é, na verdade, o sino que está instalado nesta torre e que deve o seu nome a Sir Benjamin Hall, ministro das obras públicas responsável pela instalação do sino em 1859 e que era apelidado de “Big Ben” por ser um homem volumoso. Já a torre em si era, até 2012, conhecida simplesmente como Clock Tower. Em 2012, para celebrar o jubileu de 60 anos de coroação da Rainha Isabel II, passou a ser oficialmente conhecida como Elizabeth Tower.

7- Hamleys
Loja Hamleys em Londres

Loja Hamleys em Londres

É a mais antiga loja de brinquedos do mundo! É uma das lojas mais carismáticas de Londres, localizada na Regent Street. A sua origem data de 1760, quando Wiliam Hamley (ao qual a cadeia de lojas actual deve o seu nome) abriu na rua High Holborn uma loja de brinquedos chamada “Noah’s Ark”, que mudou para o nome actual por altura da terceira geração da família.

8- Piccadilly Circus
Piccadilly Circus em Londres

Piccadilly Circus em Londres

É uma das praças mais movimentadas de Londres, com imenso comércio, cinemas, teatros e lojas famosas, com ruas cheias de painéis publicitários luminosos. É uma das zonas com mais restaurantes de Westminster – e certamente um dos lugares para passar uma tarde numa esplanada em Londres – e aqui vai encontrar também muitos sítios onde comprar bilhetes para os musicais e peças de teatro.

9- Covent Garden
Covent Garden em Londres

Covent Garden em Londres

Um dos centros de cultura e entretenimento de Londres, com mais de 60 pubs e cafés, muitos deles identificados como edifícios de interesse histórico. Aqui pode fugir um pouco ao roteiro turístico de museus e monumentos históricos e sentar-se a beber uma pint, mesmo à moda inglesa. Nas suas ruas vai encontrar, sobretudo nos meses mais quentes, muita animação de rua, sendo esta a única zona em que são autorizadas performances dos artistas de rua. Não deixe de visitar na Rose Street o The Lamb & Flag, que é considerado o mais antigo pub da região.

10- British Museum
British Museum em Londres

British Museum em Londres

Das muitas galerias e museus de arte não deixe de visitar o British Museum, considerado um dos melhores museus do mundo. Aqui pode observar peças históricas como a Pedra de Roseta, coberta com hieróglifos (um tipo de escrita) egípcios e que foi crucial para a compreensão de períodos antigos da cultura deste povo.

11- Palácio de Buckingham
Palácio de Buckingham em Londres

Palácio de Buckingham em Londres

Localizado em Westminster, é a casa oficial da Família Real de Inglaterra e Reino Unido. É palco para muitas cerimónias de Estado e celebrações ligadas à Coroa britânica. É no lado nascente do Palácio de Buckingham que se situa a icónica varanda de onde a Família Real saúda frequentemente os súbditos britânicos. O palácio está aberto ao público no Verão. Se pretender visitar o palácio reserve os seus bilhetes com antecedência, uma vez que tendem a esgotar muito depressa.

12- Catedral de São Paulo
Catedral de São Paulo em Londres

Catedral de São Paulo em Londres

Ao visitar Londres não pode perder a magnífica Catedral de São Paulo. A cúpula da catedral é a segunda maior do mundo, depois da de São Pedro, em Roma. A primeira catedral foi construída em 604 dC mas foi destruída num incêndio em 675. A catedral foi então reconstruída e novamente incendiada no Grande Incêndio de Londres, em 1666.

13- Madame Tussauds
Madame Tussauds em Londres

Madame Tussauds em Londres

Menção honrosa ainda para este museu de cera, o mais famoso do mundo, que conta com réplicas em tamanho real de muitas personalidades do desporto, política, cultura, ciência e sociedade actuais – e mesmo de personagens de ficção. Imprescindível para quem procura sempre mais uma selfie com os famosos, ainda que de cera.

Para uma lista mais alargada de espectáculos em cena e locais a visitar em Londres, para além de muitas sugestões de pubs, tavernas e mercados e ainda uma lista dos eventos anuais que pode aproveitar, visite a página Londres, a não perder: o que fazer em Londres.

Quer visitar outro Guia de Londres? Siga o guia de cidade do meu amigo Luís Seco no site FotoViajar.com – ele tem uma página muito completa com um super Guia Londres. Boa Viagem!
London Pass - Visitar Londres mais barato
Poupe dinheiro nos monumentos de Londres comprando com antecedência o famoso London Pass. Visitar Londres e visitar todos os seus monumentos é caro.

Com o London Pass você poupa imenso dinheiro e tempo de espera nas filas de ingresso.

5-Informações úteis sobre Londres

Feriados Nacionais em Londres

Guia de Londres

Guia de Londres

  • 1 de Janeiro – Dia de Ano Novo
  • Março / abril – Sexta-feira Santa
  • Março / abril – segunda-feira de Páscoa
  • Primeira segunda-feira de maio – Dia do trabalhador
  • Última segunda-feira de Maio – Feriado da Primavera
  • Última segunda-feira de agosto – Summer Bank Holiday
  • 25 de dezembro – Dia de Natal
  • 26 de dezembro – Boxing Day

No Natal, a esmagadora maioria dos monumentos, museus e outras atracções encerram. Noutros feriados, uma boa parte poderá abrir, mas com horário reduzido.

Clima em Londres

Guia de Londres

Guia de Londres

O clima em Londres (e em Inglaterra em geral) é temperado atlântico, com invernos algo frios e muito chuvosos e verões amenos e relativamente curtos, em comparação com o Sul da Europa. O tempo é instável, podendo no mesmo dia fazer frio e muita chuva e tempo mais ameno e sol. Nos meses de inverno as máximas muito raramente ultrapassam 10C° e as mínimas rodam 1 ou 2C°. No Verão, as máximas andam normalmente entre 20 e 25C° e as mínimas rondam os 12 a 14C°.

Contactos úteis em Londres

Guia de Londres

Guia de Londres

  • Emergência: 999
  • Táxis: +44(0)20 7432 1432
  • Embaixada do Brasil: +44(0)20 7499 0877
  • Embaixada de Portugal: +44(0)207 2355331
  • Embaixada de Angola: +44 (0)207 299 9850
  • The Home Office (Departamento de Imigração) – vistos e emigração: +44(0)870 606 7766
  • Aeroporto de Heathrow: +44 (0)870 000 0123
  • Aeroporto de Gatwick: +44 (0) 844 335 1802
  • Aeroporto de Luton: +44 (0)158 240 5100
  • Aeroporto de Stanstead: +44 (0)870 0000 303

Moeda e dinheiro em Londres

Guia de Londres

Guia de Londres

Moeda oficial: Libra Esterlina.Pode fazer o câmbio em muitos bancos e lojas de câmbio, ou levantar dinheiro nas caixas ATM, que estão espalhadas por toda a cidade. Se você tiver dinheiro estrangeiro como reais ou euros, a maioria dos bancos e correios será capaz de lhe trocar dinheiro. Ainda pela cidade você encontrará escritórios Bureau de Change onde poderá facilmente cambiar dinheiro. As taxas de comissão dos bureaus de change variam muito de local para local. Os bancos estão abertos das 9h30 às 15h30, sem interrupção.

Forças de autoridade

Guia de Londres

Guia de Londres

Ao entrar em Inglaterra vai-se logo deparar com os agentes da Polícia Federal e os de Imigração. As forças de segurança fazem-se sentir um pouco por toda a cidade: desde os principais locais de interesse turístico, aos de importância económica ou política, todos têm polícias fardados a guardar o local.

Segurança

Apesar de ser uma cidade muito grande, com pouco mais de 8 milhões de habitantes oriundos de todo o mundo, Londres é geralmente considerada uma cidade muito segura. No entanto, deve usar de bom senso e precaução, nomeadamente em relação aos carteiristas que atacam nas zonas mais frequentadas por turistas.

Tome nota: Não ande com jóias e objectos valiosos à mostra, guarde muito bem o dinheiro e os documentos em bolsos de difícil acesso a carteiristas e evite exibir o telemóvel topo de gama. Aliás, quanto menos usar o telemóvel melhor! Vai estar muito mais atento ao que o rodeia e, assim, aproveitar muito mais a viagem e evitar mais facilmente os perigos.

Saiba mais sobre as forças de segurança em Londres.

Fui assaltado. E agora?

Antes de mais, procure manter-se calmo. Se não vir polícia por perto e tiver algum espaço público nas proximidades (seja um café, um museu, restaurante, etc.) dirija-se lá e pergunte onde é a esquadra de polícia mais próxima. Se ficar nervoso ou abalado, o simples facto de entrar num espaço onde se sinta seguro vai ajudá-lo a acalmar-se para procurar ajuda e explicar o que aconteceu.

Em caso de emergência, ou se não encontrar ajuda, ligue para os números de emergência 999 ou 112 (ambos funcionam) e comece por explicar que é um turista e o que lhe aconteceu. O pior já passou, por isso procure manter-se calmo.

Se estiver ferido, ou se houver alguém em perigo, comece por indicar claramente onde está e o que se passa. Procure o nome da rua e, depois, números de portas ou pontos de referência que possam facilitar a identificação da sua localização.

Saiba mais sobre como se proteger e como actuar em caso de emergência em Londres.

6-História breve, áreas de interesse e localização

História recente

Guia de Londres

Guia de Londres

Londres, com 1579Km² e uma população de oito milhões de habitantes, é a capital e a maior cidade de Inglaterra, uma das quatro nações que compõem o Reino Unido a par com Gales, Escócia e Irlanda do Norte. Já agora, aproveitamos para esclarecer: Reino Unido e Grã-Bretanha não são sinónimos. A primeira, refere-se às quatro nações e, a segunda, às que partilham a ilha maior – Inglaterra, Gales e Escócia.
No século XIX e início do século XX (pelo menos até à Segunda Guerra Mundial) era tal a sua importância que Londres era considerada a maior cidade do mundo. Depois da guerra ficou parcialmente destruída e outras cidades, ainda maiores, acabaram por ficar com esse título.

Se vir o mapa de Inglaterra, a cidade de Londres fica na parte sul da ilha. Mais a sul fica ainda Brighton, virada para o mar. Inglaterra é banhada pelo oceano Atlântico mas também pelo Mar do Norte, a Leste, e o canal da Mancha, a Sul. Saiba mais sobre a História de Londres e a monarquia britânica, mais à frentes nesta página.

Localização e divisão administrativa

Guia de Londres

Guia de Londres

Sabia que o centro da cidade, a antiga City of London é também denominada como The Square Mile ou The City? Londres fica situada a Sudoeste no mapa de Inglaterra, nas margens do rio Tamisa – aliás, fica a 100Km da foz deste rio. O Tamisa banha também Oxford e desagua no mar do Norte. Tem 346km e nasce perto de Kemble.

A área metropolitana é composta por 32 distritos e duas cidades – The City (formalmente The City of London) e Westminster, que possuem cada uma estatuto honorífico de cidade e por isso contam com polícia exclusiva e um “Lord Mayor” à parte. Não é por acaso que se diz que Londres é uma das maiores metrópoles do mundo.

Ao todo, são 12 distritos no centro e 20 fora da região central, para além das já referidas The City of London e Westminster. Os distritos do centro são os seguintes: Camden, Greenwich, Hackney, Hammersmith e Fulham, Islington, Kensigton e Chelsea, Lambth, Lewisham, Southwark, Tower Hamlets, Wandsworth e Westminster (que fica situado na cidade de Westmisnter).

Os restantes 20 distritos fora da região central de Londres são Barking e Dagenham, Barnet, Bexley, Brent, Bromley, Croydon, Ealing, Enfield, Haringey, Harrow, Havering, Hillingdon, Hounslow, Kingston upon Thames, Merton, Newham, Redbridge, Richmond upon Thames, Sutton e ainda Waltham Forest.

Planeamento e áreas de interesse

Guia de Londres

Guia de Londres

Para facilitar o seu plano de viagem, pode dividir a cidade por áreas. Londres é uma cidade muito grande e para melhor planear a sua visita – principalmente se tiver poucos dias para a fazer – pode ver o que quer visitar em cada área e organizar tudo para o mesmo sítio, não perdendo assim tanto tempo (e dinheiro, porque os transportes em Londres são caros) em deslocações.

Existem várias maneiras de dividir a cidade por áreas. Para não deixar escapar nada, numa perspectiva turística, temos: a The City, a área de Westminster, South Bank e Southwark, Convent Garden, Soho e West End, Mayfair e St James’s, Bloomsbury e Fitzrovia, Regent’s Park e Marylebone e Kensigton e Knightsbridge.

A City é o coração da cidade. Foi aqui que Londres começou e é aqui que encontra muita da história ligada à cidade. Em 43 d.C. os romanos decidiram fundar aqui – aproveitando o rio Tamisa – um porto chamado Londinium. Existem ainda pedaços da muralha londrina, remanescentes dessa época, que pode ver. É também aqui que encontra monumentos importantes como a Catedral St Paul. Clique aqui para ler mais sobre o que visitar em Londres.

História de Londres

Guia de Londres

Guia de Londres

São vários os momentos históricos que marcam a evolução desta cidade ao longo dos séculos. Ficou marcada nos livros de História a data da invasão romana do local que é agora Londres. Foi em 43 d.C. e chamaram-lhe de Londinium. Fortificaram a cidade com uma muralha e construíram uma ponte sobre o rio Tamisa em Southwark. No século III, Londres tinham aproximadamente 50 mil habitantes.

Aquando da queda do Império Romano, no século V, a cidade perdeu muitos habitantes e até ao século IX foi ficando despovoada. Com a reconstrução da ponte sobre o rio Tamisa, Londres retomou a sua importância, sendo que no século X tornou-se num importante centro de trocas comerciais, apoiada pelo seu porto no rio.

A proximidade de um rio navegável foi um dos principais factores para que, desde tempos remotos, se fixassem aqui os governantes. Depois de 930, os anglo-saxões reuniam lá o seu conselho e, no ano 1000, o rei Etelredo usa a cidade como capital – a capital anterior era Winchester, que hoje faz parte da metrópole de Londres. Já nos tempos dos vikings Londres assume-se como capital.

Outra data histórica de Londres é a conquista Normandia em 1066. Veio de França esta invasão que tinha como líder Guilherme – o Conquistador – que, no dia de Natal daquele ano, foi coroado rei de Inglaterra, como Guilherme I, na Abadia de Westminster. Os reis ficavam a habitar na Torre de Londres. Surge, em documentos, com a data de 1240 a instalação do primeiro Parlamento em Londres.

Em 1534 dá-se a grande separação entre a coroa inglesa e Roma. O rei da altura, Henrique VIII – que teve seis mulheres – criou uma cisão com a Igreja Católica Romana porque queria instituir o divórcio para benefício próprio. Tornou-se assim o chefe da Igreja em Inglaterra, a Igreja Anglicana.

Em 1603, o Rei Jaime I tentou unir num só país Inglaterra e a Escócia e, como se pode ver agora, não correu bem. Foi este rei que avançou com o primeiro parque verde aberto ao público em Londres, que é o Hyde Park.

Anos mais tarde, a crença de Carlos I (reinado de 1625 a 1649) do direito divino dos reis levou a uma guerra civil. A causa real foi derrotada e o rei foi decapitado em 1649. Seguiram-se 11 anos de Puritanismo e o seu filho, Carlos II, marcou o regresso do poder monárquico com a Restauração de 1660.

Em 1666, um grande incêndio destrói parte da cidade de Londres. A Catedral de St. Paul foi um dos muitos monumentos consumidos num fogo que durante cinco dias foi destruindo tudo o que surgia à frente. Foi Sir Christopher Wren quem replaneou a reconstrução da parte da cidade que foi destruída pelo incêndio. A reconstrução durou cerca de 15 anos.

Em 1700, a população londrina rondava os 700 mil habitantes. E em 1800 era tida como a maior cidade do mundo. Por isso, era também muito escolhida como destino de imigração oriunda de muitas nações. Ainda hoje em dia, Londres é considerada um verdadeiro melting pot mundial pela sua multiculturalidade. No século XVIII foram construídas várias pontes que ligavam as duas margens do rio Tamisa.

Revolução Industrial e Grande Guerra

Guia de Londres

Guia de Londres

A Revolução Industrial trouxe grande protagonismo a Inglaterra e consequentemente Londres manteve-se uma das cidades mais importantes da Europa, no século XVIII. Depois de uma grande evolução nos caminhos de ferro, o metro de Londres foi inaugurado em 1863 e assim nasceu a primeira via-férrea subterrânea. Foi nos seus túneis que muitos se refugiaram durante os bombardeamentos nazis da Segunda Guerra Mundial.

A guerra destruiu parte de Londres nos anos de 1940 e 1941. Os ataques aéreos alemães mataram mais de 30 mil londrinos e os bombardeamentos destruíram parte das Docas, da City e do East End. Monumentos como a Câmara dos Comuns, a Abadia de Westminster e a Torre de Londres também ficaram danificados e posteriormente foram recuperados.

Com essa reconstrução foi dada uma nova vida à cidade de Londres. Surgiram, a par da arquitectura antiga, novos projectos de edifícios modernos. E se, nos anos 60, se tornou um centro de moda e cultura, foi nos anos 80 que a cidade teve um novo impulso económico, iniciado em 1973, quando o Reino Unido se tornou membro da União Europeia.

Independentistas e extremistas

Guia de Londres

Guia de Londres

A relação do governo central com a Irlanda e, mais recentemente, com a Irlanda do Norte foi sempre difícil. Desde 1997 que está em vigor um cessar-fogo com o IRA (Exército Republicano Irlandês) que, sobretudo nos anos 70, levou a cabo vários ataques mortais em Londres. Em 2005, a cidade foi atacada por extremistas islâmicos provocando a morte de mais de 50 pessoas e cerca de 700 feridos.

Família Real

Guia de Londres

Guia de Londres

Muito provavelmente, a monarquia inglesa é a mas rentável do mundo. Rentável porquê? Porque muito do turismo se desenvolve em redor das celebrações e da vida da família real britânica. Os membros da família pertencem à Casa de Windsor, por nascimento ou por casamento.

Começou por haver reis de Inglaterra, entre 829 e 1707, depois seguiram-se os reis da Grã-Bretanha, entre 1707 e 1801 e, por fim, reis do Reino Unido, desde 1801 até aos dias de hoje.
O primeiro rei foi Egbert I. Aliás, foi rei de Wessex, mas é considerado como o primeiro rei de Inglaterra. Daí ter existido a Casa de Wessex até 1013 com Ethelred II, deposto pelo dinamarquês Svend I. Foi com este rei que se impôs a Casa de Harthacnut em 1013, mas o reinado durou pouco menos de um ano. A Casa de Wessex regressou logo nesse ano com Ethelred II de novo, que reinou até 1016.
A ele sucedeu Edmundo II que morreu às mãos dos dinamarqueses que ocupavam parte de Inglaterra. Com isto veio de novo a Casa de Harthacnut que durou por mais três reinados e até 1042. A Casa de Wessex regressa nesse ano com São Eduardo – que foi canonizado em 1161.

Em 1066 a Casa de Wessex é substituída pela Dinastia Normanda, já que Guilherme I reclamou o trono, uma vez que São Eduardo não deixou descendentes – e por ser parente da mãe do rei. Viu negado o pedido e, por isso, decidiu conquistar Inglaterra, tendo-se estabelecido como rei até 1087.

A usurpação chega de novo ao trono em 1141 quando Matilde, A Imperatriz, foi nomeada pelo pai Henrique I, como sua sucessora. O trono foi usurpado e dá entrada a Casa Plantageneta. Seguem-se várias mudanças no próximos séculos entre a Casa de Lencastre e a Casa de Iorque. Até que, em 1485, assume o reino a Casa de Tudor e, em 1625, a Casa de Stuart regressa, depois da 1ª Commonwealth em 1660.
Os Reis da Grã-Bretanha começam com a rainha Ana em 1714. Seguiu-se a Casa de Hanover, a Casa de Saxe-Coburgo-Gota, e a Casa de Windsor que começa com George V em 1910 e se prolonga até aos dias de hoje.

Dias actuais

A actual monarca, Elizabeth II, nascida em 1926, é rainha do Reino Unido, Antígua e Barbuda, Austrália, Bahamas, Barbados, Belize, Canadá, Granada, Jamaica, Nova Zelândia, Papua-Nova Guiné, São Cristóvão e Névis, Santa Lúcia, São Vicente e Granadinas, Ilhas Salomão e Tuvalu.

A rainha tomou posse, com 27 anos, quando o seu pai, George VI, morreu em 1952. Era a filha mais velha (teve uma irmã) e não tinha irmãos rapazes. É a segunda mais velha monarca britânica, já que antes de si reinou a rainha Vitória que morreu com 81 anos, em 1901, e que era trisavó de Elizabeth II. Esse marco já foi alcançado pela actual rainha em Setembro de 2015, quando passou a ter o reinado mais longo.

A rainha Elizabeth II já conheceu o governo de 12 primeiros-ministros diferentes e, curiosamente, é a primeira monarca britânica a ter dois jovens primeiros-ministros e que, por isso, nasceram durante o seu reinado: Tony Blair e David Cameron.

A rainha é casada com o Duque de Edimburgo, Filipe, com quem teve quatro filhos: Carlos, Príncipe de Gales, Ana, Princesa Real, André, Duque de Iorque e Eduardo, Conde de Essex.

O sucessor ao trono é o Príncipe De Gales, Carlos, que foi casado com a falecida Diana e actualmente, desde 2005, com Camilla Parker Bowles. Tem 64 anos e ao que tudo indica será o próximo rei.

No entanto, os membros da família real mais falados e sobre quem se vendem mais notícias, são os seus netos, filhos de Carlos e Diana. Harry pelos escândalos e William pelo seu casamento com Kate Middleton. São estes agora o casal mais famoso da família real, até porque Kate já deu à família real dois potenciais herdeiros, o príncipe George e a princesa Charlotte.

Veja ainda:

WiFi em qualquer lugar?

Estou na Polónia 😍 e sempre ligado à Internet com o meu Skyroam Hotspot - já conhecem? » Vejam mais em https://goo.gl/b2romE

Posted by João Leitão VIAGENS on Monday, 6 March 2017



Kit de Viagem:

  • Quer viajar e ter sempre Internet? Faça como eu e compre o aparelho da SkyRoam.com
  • Onde eu reservo alojamento? Encontre os melhores hotéis e promoções através do Booking.com
  • Eu reservo sempre o meu carro online através do Rentalcars.com
  • Quer estar prevenido? Faça o seu seguro de viagem através do Worldnomads.com
  • 7 dias em Marrocos 430 euros desde Marrakech até ao Deserto do Saara através do Marrocos.com

Deixe o seu comentário aqui:

Os comentários deste blog de viagens são via facebook.







Siga nas redes sociais:

Facebook Twitter Google+ Instagram Pinterest YouTube Blog Lovin

Blog de viagens mencionado em:

Blog de viagens nos Media

📷 Seguir @joaoleitaoviagens no Instagram