🐪 » Viagem de grupo 7 dias em Marrocos por 430 Euros » Marrakech até Deserto do Saara » Mais info em MARROCOS.COM « 🐪

🌍 Viagem a Londres – Tudo para organizar a sua estadia

Actualizado em 28 Julho, 2017
Palácio de Buckingham em Londres

Palácio de Buckingham em Londres

Nesta página vou ajudá-lo a organizar da melhor forma as suas férias ou escapadinha em Londres. Conheça as minhas dicas para escolher o essencial para levar consigo na mala, os melhores monumentos, o melhor hotel e restaurante, ou ainda para poupar dinheiro.

O conteúdo desta página - ÍNDICE:
Catedral de São Paulo em Londres

Catedral de São Paulo em Londres

  1. Escolha a época ideal para ir
    • Frio
    • Calor
    • Natal
    • Smog
  2. Como chegar a Londres
    • Avião
    • Comboio / Trem
    • Carro
  3. O que levar na mala
    • Voar Low Cost
    • Levar o essencial
    • Fazer a Mala
    • O que pode levar consigo
  4. Reservar hotel online
    • Como pesquisar hotéis
    • É seguro reservar online?
  5. Dinheiro e dicas para poupar
    • Dinheiro e cartões
    • Poupar dinheiro
  6. Fazer um Seguro de Viagem Online
    • É necessário um seguro?
    • Vantagens do seguro
    • Como fazer um seguro
    • Seguro automóvel
    • Cartão Europeu de Saúde
  7. Transportes em Londres / como se deslocar
    • Metro e autocarro (ônibus)
    • Cartões de transporte
    • Andar a pé
    • Alugar carro
  8. Emergência e Forças de Segurança
    • Polícia
    • Cidade segura?
    • Cuidados a ter
    • Tudo é filmado
    • Assaltos
  9. Trabalhar em Londres
    • Seja cauteloso
    • Como procurar trabalho
    • Falsas agências
    • Procurar trabalho antes de ir
    • Falar inglês
    • Quando receber salário
    • Não seja explorado
    • Ficou desempregado?

1-Quando ir a Londres

Entrada da Torre de Londres

Entrada da Torre de Londres

Londres é uma cidade que merece ser visitada em qualquer altura do ano. Pode até ir passar lá uns dias em Janeiro e não apanhar um único dia com chuva apesar do frio ser garantido, assim como pode escolher Junho para apanhar o Verão e ter de andar a fugir dos aguaceiros. Tudo isso faz parte do charme de Londres.

Escolher a melhor época para ir a Londres:
Navegue no menu lateral

FrioCalorNatalSmog

Se optar pelo Inverno

Guia de Londres

Guia de Londres

Se for entre finais de Outubro a meados de Abril leve bastantes agasalhos. A temperatura média anda entre os 5º e os 9º graus Celcius, com máximas de 10ºc. Leve casacos quentes, em camadas, para tirar quando entrar em qualquer sítio. Está sempre quente dentro de portas: nos restaurantes, bares, museus, lojas, etc. Leve cachecol, luvas, gorro e até os chamados earmuffs para andar com as orelhas quentinhas.

Claro que tudo depende de quem é mais ou menos friorento. E vai ver que os londrinos estão habituados, por isso, não andam com tanta roupa e as londrinas, então, nem se fala – não se admire se vir alguma de vestidinho curto na rua, à noite, em pleno Inverno e sem casaco sequer. Estão habituadas ao clima e, comparando connosco, podemos dizer que são bem calorentas.

Não gosta de frio? Vá no Verão!

Guia de Londres

Guia de Londres

A melhor altura para visitar para a maioria dos viajantes compreenderá os meses de Primavera e Verão e ainda o início do Outono. A temperatura média em Junho e Julho ronda os 16º e em pleno Agosto poderá rondar os 18º graus chegando as máximas a ultrapassar 25ºc graus, entre Julho e Agosto.

Mas, mesmo indo no Verão, verifique sempre como vai estar o tempo nos dias em que vai viajar. É que, ainda que seja Verão, pode apanhar alguns aguaceiros e dias mais frescos. É raro, mas acontece. Também é muito raro apanhar dias com calor a mais, mas com estas mudanças climáticas nunca se sabe. Ainda assim, é raro as temperaturas passarem os 30º graus no Verão.

O Verão traz uma alegria fora de comum aos londrinos e uma nova vida à cidade. Habituados à chuva e nevoeiro, quando vêm raios de sol saem todos para a rua para aproveitar cada minuto de calor solar. Como anoitece mais tarde, a cultura de irem para os pubs, depois do trabalho, é substituída pela das esplanadas e há muita animação nas ruas.

Igualmente, quando está mais calor, os espaços verdes e jardins se enchem de londrinos – e turistas – que aproveitam para passear com os filhos e com os animais, para fazer jogging, etc. É comum haver concertos nos parques, ao ar livre, durante os meses de Verão. Para quem vem de países mais quentes estes são os meses ideais para visitar Londres.

Espírito Natalício

Guia de Londres

Guia de Londres

Por outro lado, para quem gosta do Natal, Dezembro é um mês especial em Londres, com os seus mercados de rua e decorações natalícias. Mas só se fizer muita questão é que deve ir em Novembro ou Dezembro. É que, além do frio e, muitas vezes, neve, nestes meses o dia acaba por volta das 17 horas. Por isso, para aproveitar a luz do dia tem de começar os passeios bem cedo.

Londres de mãos dadas com o Smog

Guia de Londres

Guia de Londres

Ainda a propósito do tão característico nevoeiro, existe uma história para contar. Temos de recuar ao ano de 1952 para recordar um fenómeno que aconteceu devido a poluição atmosférica. Durante vários dias de Dezembro, a cidade ficou coberta de nevoeiro, chamando-lhe Great Smog ou Big Smoke de ’52, um fenómeno que resultou de condições climatéricas muito especiais, em que o frio intenso aliado a uma total ausência de vento permitiram uma acumulação inédita de fumo e nevoeiro sobre a cidade.

O nevoeiro era tão intenso que era difícil o trânsito de automóveis, uma vez que não se via nada, mesmo a curta distância. Tudo isto porque o frio que se sentia – e que era fora do comum – fez com que se usasse mais carvão que o normal e isso aumentou a poluição do ar. Milhares de pessoas morreram (do frio e da poluição) e centenas de milhares ficaram doentes, com problemas respiratórios.

2-Ir a Londres de avião, comboio ou carro

AviãoComboio / TremCarro

Ir a Londres de avião

Guia de Londres

Guia de Londres

Sendo uma das mais importantes cidades da Europa (e do mundo) Londres recebe, literalmente, voos de todo o lado. Tem seis aeroportos a servir a capital inglesa o que se traduz num entra e sai diário de centenas de milhares de pessoas no país. No total, são quase 400 mil pessoas que entram e saem de Londres diariamente por avião. A cidade recebe mais de 35 milhões de turistas por ano, o que corresponde a quatro vezes e meia da sua população total.

Heathrow e Gatwick são dois dos principais aeroportos de Londres. O primeiro fica a 24Km da cidade e o segundo a 46km. Com o de Heathrow pode apanhar o metro, comboio ou autocarro para o centro de Londres. A partir de Gatwick pode optar por comboio ou autocarro.

Se decidir ir de comboio, apanhe o Heathrow Express. São apenas 15 minutos de viagem para chegar ao centro de Londres. O metro e o autocarro têm viagens mais baratas do que o comboio, que é um dos transportes mais caros da cidade – além do táxi, claro! Heathrow é o principal aeroporto para os voos internacionais.

Buy tickets for the Heathrow Express train

De Gatwick a Londres são quase 50Km de distância. O comboio expresso parte de 15 em 15 minutos e demora cerca de 30 minutos a chegar à Victoria Station. Há uma ligação por autocarro ao centro de Londres em que é mais barata a viagem, mas demora cerca de uma hora.

Existe ainda o aeroporto de Stansted que fica a 56Km de Londres e que tem um comboio expresso que demora cerca de 45 minutos a chegar ao centro da cidade (Liverpool Street). Tem também um serviço de Airbus que demora cerca de 90 minutos. Stansted recebe muitos voos internos e também de companhias low cost, como a Ryanair, por exemplo.

Outro aeroporto é o de Luton a 50km (a norte) de Londres. Um autocarro faz a ligação a Luton Parkway de onde saem comboios para a capital. Os comboios demoram cerca de 35 minutos. De autocarro leva uns 90 minutos a lá chegar.

A estes quatro aeroportos juntam-se ainda outros dois: o London City Airport, para voos privados e que fica apenas a 10Km do centro da cidade e o de Southend, que fica a 64Km do centro de Londres e é o que tem menos movimento.

Ir a Londres de comboio (trem)

Guia de Londres

Guia de Londres

Mas não é só de avião que consegue chegar a Londres. Para quem não gosta de voar ou simplesmente prefere fazer a viagem de outra forma, existem as ligações ferroviárias com as principais capitais europeias.

Por exemplo, a partir de Lisboa fará primeiro a viagem até Madrid. Depois, na capital espanhola vai até Paris e desta cidade francesa segue para Londres. O comboio Eurostar demora cerca de 2 horas e 15 minutos a passar pelo Canal da Mancha, que une o continente europeu à ilha inglesa, até chegar a Londres.

Todas as linhas têm diferentes horários e pode escolher inclusive ficar uma tarde (ou um dia!) em Madrid e em Paris antes de partir para Londres. O bilhete de comboio de Lisboa para Madrid tem normalmente preços a rondar 57 euros (só ida), mas pode encontrar mais baratos ou mais caros, dependendo do horário.

Ainda tem outra alternativa que, em vez de ir de Lisboa para Madrid, sai em Hendaye (nos Pirenéus franceses) e daí continua com o TGV que vai até Paris e, depois, para Londres. O Sud Express, que sai de Lisboa, parte tanto de Santa Apolónia como da Estação do Oriente, assim como o Lusitânia Comboio Hotel que vai até à capital espanhola.

Para ir de Madrid a Paris vai ter de embarcar no Trainhotel Elipsos, com preços à volta dos 160€. Se quiser pode ter uma cama para dormir, acrescentando cerca de 170 euros, ou se comprar com antecedência pode conseguir uma cama por metade do preço. Compensa comprar estes bilhetes com algumas semanas de antecedência.

Quando chegar a Paris (Gare du Nord) vai ter de apanhar o comboio Eurostar, que passa pelo canal da Mancha, chegando a Londres (estação de Saint Pancras), em pouco mais de duas horas. O preço dos bilhetes varia, mas andam à volta dos 90 euros.

Saiba mais sobre o bilhete Londres Paris:

Buy Eurostar tickets here

Ir a Londres de carro

Guia de Londres

Guia de Londres

Uma opção para ir de carro até Londres é chegar aos portos de França ou Bélgica para apanhar o ferry boat, que o leva a Inglaterra. Uma das vantagens de ir de carro é poder parar à hora que quiser e conhecer outras cidades pelo caminho.

No entanto, o preço da gasolina e das portagens tem de ser bem medido, porque há viagens baratas para Londres de avião. Além disso, lembre-se que em Inglaterra conduz-se do lado esquerdo e isso pode ser complicado – pelo menos nas primeiras horas. No centro da cidade de Londres estacionar o carro é muito caro e é difícil arranjar lugar. Por isso, tem de ver bem se compensa estar a levar o carro de férias.

Outro inconveniente em levar carro: a viagem é muito mais longa, desgasta-o e tem de estar atento à estrada. Muitas vezes nem consegue apreciar as vistas e tem sempre de estar a pensar onde vai estacionar o carro. Além de que parte da viagem é feita em auto-estradas. Valerá a pena? Para quem não gosta de andar de avião, a resposta será sempre afirmativa, mas para quem puder escolher, depois de fazer contas, vai ver que não compensa levar o carro.

3-O que levar na mala

Para quem está habituado a fazer e desfazer malas, já deverá ter um esquema que não falha. Primeiro, porque não vai com a mala demasiado cheia ou pesada e, segundo, porque não vai andar carregado com coisas que depois nem vai usar.

Como preparar a mala para ir a Londres:

Voar Low CostLevar o essencialFazer a MalaO que pode levar consigo

Low Cost? Atenção às medidas!

Guia de Londres

Guia de Londres

As medidas das cabines estão publicadas nos sites das companhias aéreas e convém seguir à risca. Mais pequena do que indicam é óptimo. Se for maior pode não conseguir embarcar com ela e mandam-na para o porão, cobrando-lhe um valor que poderá ser maior do que o que pagou pela própria viagem. E não pense que isso acontece assim tão raramente.

Medidas da bagagem de mão: 55cm X 40cm X 20cm (podem diferir de companhia para companhia área). Fora destas medidas as malas podem não caber dentro das cabines do avião – as portas por cima da sua cabeça, no lugar do avião, não fecham! Não devem ultrapassar, na maior parte dos casos, os 10kg no peso.

Bagagem de mao na Ryaniar

Bagagem de mão na Ryaniar

Outra coisa a ter em conta é que, nas companhias low cost, por norma só costumam deixar levar uma única mala. Por isso, se tem a máquina fotográfica numa mochila à parte, um computador, ou a carteira que as senhoras usam, etc. Tudo isso tem de ser enfiado dentro da mala de viagem.

Na Ryanair, por exemplo, é habitual obrigarem os passageiros a colocar as malas dentro de uma estrutura metálica. Se a mala entrar e sair sem problemas, pode respirar de alívio. Se não entrar sequer, vai ter problemas. Tente por isso pensar bem no que vai levar. Há ainda o problema que acontece com todos. Para lá vai sempre tudo organizado e para cá parece que a roupa cresceu e a mala não fecha!

Observação: se vai viajar por uma companhia low cost – que normalmente cobram o valor da mala no porão – habitue-se a levar apenas o que lhe permite a chamada bagagem de mão, que dá para levar na cabine do avião.

Leve só o essencial

Guia de Londres

Guia de Londres

Fazer uma mala para poucos dias tem os seus truques. Se alguns os conhecem bem, outros poderão ficar meio perdidos na altura de escolher o essência. Se pertence a este segundo grupo, vamos ajudá-lo:

O que levar na mala para Londres

O que levar na mala para Londres

Se viajar no Verão será sempre mais fácil fazer a mala. Umas t-shirts ocupam pouco espaço e mais uns calções e um casaco bastarão para quem vai por poucos dias. Para as mulheres os vestidos são a peça mais completa que existe e evitam que necessite de levar muita roupa.

No entanto, se for para Londres nos dias mais frios, tem de levar roupa mais quente e que, por natureza, ocupa mais espaço. Siga este truque: quando embarcar, leve vestidas as roupas mais espaçosas e deixe na mala as que não ocupam tanto espaço na bagagem.

Não faça amanhã a mala que pode fazer hoje!

Guia de Londres

Guia de Londres

Há quem só goste de fazer a mala no dia anterior ao da viagem, mas preparar uma mala mais pequena tem que ter os seus truques. Convém que ponha de lado a roupa que quer levar. Depois tente colocá-la toda na mala. Se vir que não consegue levar tudo, vá tirando o que está a mais. Se tiver mais tempo para fazer a mala, vai ter mais tempo para pensar no que é mesmo necessário. Também ajuda fazer uma lista e segui-la para não se esquecer do que é importante. Só tem de fazer a lista uma vez e fica para sempre, para todas as outras viagens.

Verifique o que pode levar consigo no avião

Pode dar algum trabalho, mas outro truque para levar só bagagem de mão é levar os produtos de higiene em embalagens pequenas- exceptuando a pasta dos dentes. Dá algum trabalho porque tem de colocar o seu champô em frascos pequenos, o creme do corpo, creme da cara etc. Mas também são apenas alguns minutos que lhe valem muito menos peso na mala. Aliás, com as regras de segurança implementadas depois dos ataques de Setembro de 2001 nos EUA, só pode levar até um litro de produtos líquidos ou viscosos em embalagem de até 100 mililitros.

Medidas de segurança avião

Medidas de segurança avião

Não podemos considerar um roubo, porque estas regras estão bem descritas nos sites de todas as companhias aéreas, mas se levar um frasco de mais de 100ml, por exemplo um perfume de 150ml (mesmo que o frasco esteja quase vazio), “perdeu”! Todos os frascos com líquidos devem ser colocados num saco plástico transparente para passarem a vistoria nos aeroportos. Se não tiver em casa o saco, peça um no aeroporto. Os aeroportos em Londres são muito rigorosos com estas medidas de segurança, que foram impostas após os atentados do 11 de Setembro. Escapam à regra os produtos comprados no aeroporto, nas lojas da zona de embarque.

Outra coisa: lâminas de barbear não podem ir na bagagem de mão. Como pode imaginar são consideradas armas, assim como tesouras ou corta-unhas. Nem as limas de unhas das senhoras escapam! Por isso, se não quiser ficar com esses produtos retidos no aeroporto, evite levá-los.

Se querem mesmo fazer a barba em Londres mais vale comprarem lá uma lâmina descartável. As senhoras que fizerem questão de levar limas para as unhas, levem umas que são feitas de papelão que podem entrar no avião.

London Pass - Visitar Londres mais barato
Poupe dinheiro nos monumentos de Londres comprando com antecedência o famoso London Pass. Visitar Londres e visitar todos os seus monumentos é caro.

Com o London Pass você poupa imenso dinheiro e tempo de espera nas filas de ingresso.

4-Reservar hotel online

Hotel Ibis em Londres

Hotel Ibis em Londres

Reservar um hotel online pode parecer um bicho de sete cabeças para quem não está habituado a estas andanças. Na verdade é muito fácil, tão simples que o mais difícil é escolher o hotel onde vai ficar.

Existem muito sites que congregam várias propostas de alojamento, como o Booking.com, o Hotelscombined.pt ou o Trivago.pt. Por norma, reservar um hotel online fica mais barato do que por uma agência ou directamente com o hotel. No entanto, há casos em que os hotéis podem ter promoções em que o alojamento fique mais barato se reservado directamente.

Portanto, lição aprendida: comparar sempre os preços com os sites dos próprios hotéis. Se eventualmente não tiver os preços no site, envie um e-mail a pedir orçamento. Ligue sempre, ou envie email – por vezes podem fazer um desconto só porque você se deu ao trabalho de os contactar directamente.

Reservar hotel pela Internet:

Como pesquisar hotéisÉ seguro reservar online?Sugestão: hotel qualidade superiorSugestão: hotel qualidade médiaSugestão: hotel qualidade económico

Como pesquisar

Guia de Londres

Guia de Londres

Voltando à reserva de hotéis online: é muito simples. Habitualmente, os sites põem por ordem de custo as sugestões e você pode seleccionar do mais barato para o mais caro.

Toda a gente quer preços baixos, mas verifique sempre as opiniões dos outros clientes que passaram pelo espaço de alojamento, para se certificar de que vale apena. Com as opiniões dos outros viajantes há-de encontrar o que quer saber sobre o espaço – se é ruidoso, bem ou mal limpo, como é serviço, etc.

A não ser que esteja com uma mega promoção, os mais baratos são sempre locais mais afastados do centro e, por vezes, o preço que vai poupar no hotel vai acabar por gastar em transportes para chegar ao centro da cidade – perde dinheiro e tempo que é precioso em férias!

As promoções costumam vir no topo das páginas, bem à vista de todos, e é preciso perder algum tempo na pesquisa. Saber o sítio onde quer ficar, se tem internet, pequeno-almoço incluído, estacionamento, entre outras coisas – está tudo lá explicado e discriminado. Vá pesquisando aos poucos.

Muitas vezes surgem promoções que exigem o pagamento imediato (por cartão de crédito ou Paypal) mas, em muitos casos, pode desistir da reserva sem perder dinheiro nenhum. Verifique sempre se diz “cancelamento gratuito”. Assim, poderá reservar e mesmo assim continuar à procura de outro local ainda melhor.
Se não encontrar melhor, fica já com o primeiro garantido. Assim, terá sempre a segurança de já ter onde ficar, podendo continuar à procura do local perfeito para as sua viagem.

Além dos preços mais geralmente mais baixos, e da comodidade de poder estar em casa a escolher o hotel, as reservas online permitem também escolher entre uma variedade muito grande de alojamento. Há de tudo, desde hostels a hotéis de cinco estrelas e pode ainda encontrar alguns sites que incluem voo e alojamento em que fique mais barato reservar as duas coisas juntas do que em separado. Também pode, e deve, verificar online se o hotel que está incluído nesse pacote é bom ou mau.

A internet assusta-o?

Guia de Londres

Guia de Londres

Muita gente tem medo de fazer a reserva online por variadas razões. Uma delas é como saber se o hotel escolhido recebeu a sua reserva através do site. É muito simples: depois de fazer a reserva, envie um mail directamente para o hotel e vai receber a confirmação que estarão à sua espera na data pretendida. Também a maioria dos hotéis só cobra o valor no dia de chegada.

Se desconfia dos preços baixos das reservas online, não se preocupe. Não vai ser tratado abaixo do que merece só porque pagou menos. São geralmente quartos reservados para promoções, para atrair novos clientes, de hotéis menos conhecidos e que querem conquistar clientes. Tenha em conta que nas épocas baixas os preços são ainda mais convidativos.

Marriott County Hall Londres

Guia de Londres

Guia de Londres

Sem dúvida um dos melhores hotéis em Londres. O Hotel Marriot County Club em Londres é um hotel de 5 estrelas que tem possivelmente as melhores vistas sobre a cidade já que está mesmo situado na margem do rio, tendo assim vista maravilhosas do Rio Tamisa e do Big Ben do outro lado.

Marriott County Hall Londres

Marriott County Hall Londres

Marriott County Hall Londres

Marriott County Hall Londres

Preços do Hotel Marriott County Hall Londres

Os preços deste hotel começam a cerca de 198 Euros por quarto.

Contactos do Hotel Marriott County Hall

  • Endereço: London County Hall, Westminster Bridge Road, Lambeth, Londres
  • Telefone: +44 20 7928 5200
  • Categoria do hotel: 5 estrelas
  • Página de Internet: Hotel Marriott County Hall

Colliers Hotel em Londres

Guia de Londres

Guia de Londres

Hotel barato em Londres. Para os que procuram uma opção de alojamento em Londres mais em conta, dou a informação de um hotel barato em Londres chamado de Colliers Hotel London. Este hotel até não fica muito longe do centro, está a uma caminhada rápida do Hide Park e do Big Ben, do Buckingham Palace, da Westminster Abbey, da House of Parliament e do London Eye; também não está muito longe da beira rio. Fiquei neste hotel numa viagem rápida a Londres, da qual fiquei um fim-de-semana lá para Dezembro de 2001. Os quartos não são muito grandes e as casas-de-banho são partilhadas, mas de uma maneira geral e pelo que me lembro, estava tudo em ordem.

Colliers Hotel Londres

Colliers Hotel Londres

Colliers Hotel Londres

Colliers Hotel Londres

Preços do Hotel Colliers em Londres

Os preços deste hotel começam a cerca de 24 Euros por quarto.

Contactos do Hotel Colliers em Londres

  • Endereço: 95/97 Warwick Way, SW1V 1QL London Victoria
  • Telefone: + 44 20 7834 6931
  • Categoria do hotel: 1 estrela
  • Página de Internet: Hotel Colliers

Marriott County Hall Londres

Guia de Londres

Guia de Londres

Sem dúvida um dos melhores hotéis em Londres. O Hotel Marriot County Club em Londres é um hotel de 5 estrelas que tem possivelmente as melhores vistas sobre a cidade já que está mesmo situado na margem do rio, tendo assim vista maravilhosas do Rio Tamisa e do Big Ben do outro lado.

Marriott County Hall Londres

Marriott County Hall Londres

Marriott County Hall Londres

Marriott County Hall Londres

Preços do Hotel Marriott County Hall Londres

Os preços deste hotel começam a cerca de 198 Euros por quarto.

Contactos do Hotel Marriott County Hall

  • Endereço: London County Hall, Westminster Bridge Road, Lambeth, Londres
  • Telefone: +44 20 7928 5200
  • Categoria do hotel: 5 estrelas
  • Página de Internet: Hotel Marriott County Hall

5-Dinheiro e dicas para poupar

Alguns países e cidades são mais caros do que outros. Tudo depende da moeda e do nível de vida. Londres pode ser uma cidade cara e, se o seu orçamento for mais alto, naturalmente vai ser mais fácil decidir o que fazer, mas também consegue ter uma experiência fantástica em Londres com pouco dinheiro :D. Só tem de fugir dos locais londrinos mais turísticos, que geralmente puxam mais pelos preços. Se é estudante pergunte e procure sempre por descontos especiais para quem anda a estudar.

Tudo relacionado com dinheiro:

Dinheiro e cartõesPoupar dinheiro

Dinheiro, cartões e caixas multibanco

Guia de Londres

Guia de Londres

A moeda em Londres (e no país) é a libra esterlina, ou simplesmente libra, e que pode dar uma dor de cabeça a fazer contas de conversões. É que, apesar de Inglaterra fazer parte da União Europeia, nunca adoptou a moeda única, o Euro.

A libra esterlina britânica – Sterling Pound – que se divide em 100 pence, representa actualmente cerca de 1,39€ e a tendência nos últimos anos tem sido de valorização, muito devido à crise da zona euro. As notas são de £5, £10, £20 e £50. Tem moedas de £1 e £2 e 5p, 10p, 20p, 50p e 1p e 2p.

Dinheiro em Londres

Dinheiro em Londres

Pode fazer o câmbio do dinheiro no seu país mas, muitas vezes, compensa cambiar somente quando chega a Londres. Pode fazê-lo logo no próprio aeroporto ou depois, em bancos ou casas de câmbio no centro da cidade. Pode levar apenas algum dinheiro, já cambiado do seu país, e, uma vez lá, vê o qual o local que lhe dá o melhor valor para trocar. Às vezes, faz uma diferença substancial e pode perder muito dinheiro com o câmbio.

Leve algum dinheiro em libras para comprar os bilhetes de comboio/metro/autocarro, depois do voo de avião, e também para as primeiras despesas: comer quando chegar à cidade, etc. No dia seguinte, durante os seus passeios vá ficando atento aos preços das taxas de câmbio.

A maioria dos espaços comerciais aceita os cartões de crédito, principalmente os mais conhecidos. Alguns podem até aceitar pagamentos com euros – mas levarão uma comissão para a conversão da moeda e, muitas vezes, maior do que se tivesse cambiado por si. Também nos aeroportos de Londres podem aceitar euros.
Em Londres, pode usar as caixas multibanco que, por lá, chamam-se ATM, para levantar dinheiro. E, como em qualquer país do mundo inteiro, tenha atenção por causa de roubos. Não ande com muito dinheiro na rua porque, no meio da confusão, pode perder.

Multibanco em Londres

Multibanco em Londres

Enquanto o sistema de multibanco português funciona em rede para todos os bancos, no Reino Unido cada banco tem o seu próprio sistema. Ou seja, não tem uma rede única, o que pode limitar por exemplo o acesso a informação sobre movimentações da conta.

No entanto pode levantar dinheiro à vontade, se bem que existem máquinas que lhe podem cobrar uma comissão de utilização por levantamento de dinheiro. As que têm os nomes dos bancos são as gratuitas.

Veja com o seu banco, antes de partir, se compensa usar o cartão de crédito para compras ou gastos nos restaurantes, em vez de cambiar. Bastam umas simples contas para perceber isso.
Como o país manteve a sua moeda, mesmo estando na União Europeia, manteve também as suas casas de câmbio a funcionar e a dar emprego a muita gente. No centro da cidade vai encontrar facilmente pequenos estabelecimentos que lhe fazem a conversão para a moeda que quiser. Pode ainda comparar os câmbios. Uns locais valem mais a pena do que outros.

Para Poupar Dinheiro

Onde comer?

Guia de Londres

Guia de Londres

Como em todos os destinos turísticos há sítios baratos e sítios caros. Mesmo as cadeias de fast food podem parecer mais caras em Londres, porque quando fizer mentalmente o câmbio de libras para euros (ou para outra moeda), vai ver que é mais caro do que no seu país.

No entanto, existem outros locais como pequenos cafés, as fish and chips que encontra por todo o lado, pizzarias, indianos, chineses ou lojas com sanduíches (que por vezes nem têm cadeiras, só um balcão, onde é pedir, pagar e andar), ou ainda locais com buffet (onde pode comer o que quiser e as bebidas são à parte. Neste caso, veja sempre em quanto fica com bebidas e, se não quiser pedir bebidas, peça só água da torneira que é, por lei, gratuita. Se não lha colocarem logo na mesa, peça-a você.

Os supermercados de rua também têm sandes feitas e bebidas que ficam mais baratas – também aqui as marcas brancas são aconselháveis, com a marca do supermercado e são mais baratas. Nos mercados de comida, na rua, os preços são também mais baixos. Aproveite para comprar fruta que pode comer enquanto caminha. Porque não comprar tudo e fazer piqueniques num dos muitos jardins londrinos?

Um segredo: alguns restaurantes têm refeições com descontos para quem vai ver espectáculos em Londres. Como neste caso se janta bastante mais cedo do que o normal, as refeições são bem mais baratas. Todos ganham com isso. Há ainda o Taste Card (tem de comprar) que dá descontos de 50% em centenas de restaurantes londrinos, alguns bem caros, por isso vale a pena.

Nos transportes

Poupe dinheiro com o Oyster Card. É uma espécie de passe dos transportes públicos e poupa-se dinheiro ao comprar este cartão recarregável ao invés de comprar sempre viagens individuais. Também ganha tempo porque não tem de estar sempre preocupado com os pagamentos. Se tiver dúvidas sobre o que lhe compensa pergunte numa das caixas das estações centrais de metro e eles dão-lhe a solução mais em conta para o seu caso.

Se viajar nos transportes públicos fora das horas de ponta ou durante o fim-de-semana, os bilhetes são mais baratos! Outra opção é caminhar muito e poupar nos transportes. A cidade é gigante, mas se estipular por zonas o que tem de ver, caminha menos e aproveita mais as áreas visitadas.

Cultura, free of charge

São muitos os museus londrinos com entrada gratuita: British Museum, The National Portrait Gallery, The Victoria and Albert Museum, The National Gallery, Tate Museum, Tate Britain, Natural History Museum, Science Museum, Museum of London, National Maritime Museum e Imperial War Museum. Aproveite! Além disso, muitos outros locais têm pontualmente concertos e outros espectáculos gratuitos. Verifique as agendas culturais da cidade para a altura da sua visita e aproveite as borlas.

Procure pelos descontos

Os espectáculos do West End têm dois tipos de bilhetes para as primeiras filas: caros e muito caros. Mas é possível também comprá-los mais baratos com alguns truques. Há bilhetes na TKTS na Leicester Square ou Brent Cross com 50% de desconto. São bilhetes para o próprio dia, para os melhores lugares, com um mega-desconto. Outra opção é ir directamente ao teatro onde quer ir ver o espectáculo e comprar um dos bilhetes mais baratos, que são sempre dos lugares mais afastados do palco (alguns a 10£). Alguns teatros põem bilhetes ainda mais baratos à venda, horas antes do espectáculo, para preencher os lugares vazios. Informe-se junto dos teatros.

WiFi

Precisa de internet gratuita? Existem muitos hotéis e cafés com internet grátis mas também as livrarias públicas têm e não precisa de cartão para estar lá num cantinho. Se vai ficar muito tempo em Londres compensa tirar um cartão de membro para entrar e sair da biblioteca e ter acesso à internet sem pagar nada.

Escolha o alojamento certo para si

Se for com um grupo de amigos e familiares talvez seja melhor alugar uma casa onde possa cozinhar, em vez de alugar vários quartos num hotel. Claro que hotel é muito bom… tem quem lhe faça a cama, arrume o quarto e a maioria tem o pequeno-almoço incluído. Como a maior parte dos turistas passa o almoço na rua em visitas, poderia poupar nos jantares cozinhando na casa alugada. Tem de fazer as contas para ver se lhe compensa.

O melhor para poupar dinheiro em Londres é comprar um London Pass:

Eu poupei muito dinheiro em Londres comprando o London Pass com antecedência. Visitei Londres, seus monumentos e museus e saiu tudo mais barato.

6-Fazer um Seguro de Viagem Online

É necessário um seguro?Vantagens do seguroComo fazer um seguroSeguro automóvelCartão Europeu de Saúde

Porquê fazer um seguro de viagem?

Guia de Londres

Guia de Londres

Muitas pessoas podem considerar que é um desperdício de dinheiro porque, na verdade, ninguém pensa no que poderá correr mal.

No entanto pense bem: quando se está a centenas ou milhares de quilómetros de distância de casa, longe dos amigos e familiares, sem ninguém conhecido que nos dê uma mão num momento mais complicado, é bom ter uma segurança.

O seguro de viagem serve para isso mesmo: é uma segurança e dá tranquilidade. Pode ter uma dor de dentes, dor de ouvidos, torcer um pé e sabe que tem tudo coberto com o seguro de viagem.

Vantagens

Guia de Londres

Guia de Londres

Um seguro de viagem faz a cobertura de despesas médicas, de despesas legais (jurídicas ou perda de documentos, por exemplo) e extravio de bagagem. Existe ainda um seguro médico só destinado a gastos de saúde. Pode optar por um dos dois.

Além de, em caso de necessidade, cobrir os gastos (até um valor determinado entre si e a seguradora) o seguro de viagem também assegura acompanhamento no caso de precisar de cuidados médicos.

Outra vantagem do seguro de viagem: imagine que tem de desmarcar a sua viagem para outras datas. Alguns seguros também cobrem as despesas que essa alteração pode necessitar: cancelamento da viagem inicial e marcação de nova viagem. O seguro pode inclusive pagar atrasos nos horários das viagens.

Como fazer

Guia de Londres

Guia de Londres

De preferência faça o seguro com seguradoras que tenham atendimento na sua língua. Se algo lhe acontecer e tiver de accionar o seguro não vai querer estar a traduzir o sucedido a alguém que não fala a mesma língua que você.

Não adianta dizer que consigo nunca aconteceram coisas más nas viagens e, por isso, nunca vai fazer um seguro de viagem. Existem situações em que compensa mesmo, como o perder o material fotográfico ou o computador portátil que levou para as férias. Esse material pode estar coberto pelo seguro.

Quando fizer o seguro procure saber o que ele cobre e o valor máximo da cobertura e reembolso. Há países (e continentes) onde os seguros são mais caros como é o caso dos países da Europa. Já na Índia por exemplo é mais barato, porque o nível de vida é também mais baixo.

Depois, quando estiver em viagem, traga sempre consigo, e junto com outros documentos, o número da sua apólice e o telefone internacional para onde deve ligar, caso precise. Caso seja uma emergência guarde todos os comprovativos de pagamentos nos hospitais e apresente-os posteriormente para ser reembolsado – isto funciona de forma diferente de seguradora para seguradora.

Também existem seguros próprios para quem pratica desporto aventura. Até porque a maioria dos seguros simples não cobre actividades que ponham em risco a segurança e saúde dos participantes.

Existem várias empresas que fazem os seguros de viagens. Uma das mais elogiadas pelos viajantes (principalmente por aqueles que viajam por todo o mundo) é a World Nomads. Fica a minha sugestão.

Compre o seu seguro de viagem online

Seguro de Viagem
Faça um seguro de viagem antes de sair de casa! Vá de férias mais tranquilo, 15 dias de seguro custa só 45 euro; / R$125 Reais.

Consulte a página do World Nomads

Tem seguro automóvel?

Guia de Londres

Guia de Londres

Se já tiver um seguro automóvel, saiba que este já inclui um seguro de viagem que cobre diversos imprevistos, mesmo que não viagem de automóvel. Desta forma, basta fazer acompanhar-se da sua apólice e, assim, evitar gastos desnecessários. Claro está que as coberturas podem não ser tão completas como as de um seguro de viagem dedicado. Também alguns cartões de crédito incluem seguro de viagem, por isso informe-se bem junto da sua seguradora e do seu banco antes de gastar dinheiro. A CGD faz um seguro de viagem breve do que pode esperar das coberturas do seu seguro automóvel e do cartão de crédito.

Cartão Europeu de Seguro de Doença

Guia de Londres

Guia de Londres

O cartão Europeu de Seguro de Doença é um cartão gratuito que permite aos cidadãos dos estados-membros da UE aceder aos serviços de saúde dos países-membros nas mesmas condições dos seus habitantes. Este cartão não só lhe garante acesso à assistência médica e hospitalar como garante que vai pagar as taxas moderadoras ou outras contribuições nas mesmas condições dos nacionais dos países visitados, sem outros encargos adicionais. É gratuito, válido por três anos e deve ser pedido no Instituto da Segurança Social. Para poder pedir este cartão tem de ser contribuinte activo num dos países da União Europeia (estar a descontar como trabalhador dependente ou independente), uma vez que o seu acesso está barrado a desempregados. Saiba mais sobre este cartão e as suas vantagens aqui.

7-Transportes em Londres

Autocarro - ônibus e táxi em Londres

Autocarro – ônibus e táxi em Londres

Londres é uma das maiores cidades da Europa. É inevitável: vai ter de fazer muitos quilómetros, se quiser aproveitar ao máximo a sua estadia. Veja qual é a melhor opção.

Como se transportar em Londres:

Metro e autocarro (ônibus)Cartões de transporteAndar a péAlugar carro

Metro e autocarro

Guia de Londres

Guia de Londres

Se pensarmos quão antiga é a rede de metro inglesa, ficamos impressionados em ver como está bem pensada e completa, apesar de as linhas mais antigas já terem 150 anos de história. Durante a II Guerra Mundial foi nos túneis do tube que milhares se esconderam dos bombardeamentos alemães à capital inglesa.

As linhas estão divididas por cores e é muito fácil verificar os pontos de passagem. São cerca de 300 estações que fazem parte do metro de Londres – ou tube e underground como lhe gostam de chamar.

As linhas têm diferentes horários e existem seis zonas. As viagens nas zonas mais afastadas do centro – as 3 a 6 – são mais baratas do que nas zonas do centro de Londres (1 e 2). O serviço de metro arranca por volta das 5h (alguns até antes) e a maioria termina à meia-noite, com algumas viagens que terminam perto da uma da manhã. A linha vermelha é a Central e cruza todas as outras, atravessando a cidade de ponta a ponta.

Se puder, evite andar nas horas de ponta que é quando as carruagens estão completamente cheias. Também não fique plantado na entrada das estações à procura do bilhete. Faça-o antes e não impeça a via para quem tem pressa de apanhar o metro. É melhor sair da frente dos londrinos apressados para o trabalho. A rede de metro é utilizada diariamente por quase 3 milhões de passageiros.

Nas escadas rolantes das estações de metro vai ver indicações que permitem que, quem tem realmente pressa, possa passar à frente, nomeadamente: fique sempre do lado direito das escadas e quem tiver pressa descerá pelo lado esquerdo. Quando estiver à porta do metro deixe sair primeiro as pessoas que estão lá dentro e entre depois.

Em todos os corredores das estações de metro há indicações claras, com linhas a diferentes cores, que ajudam a identificar as respectivas linhas e estações. Se vir que se enganou e já vai dentro do metro, não faz mal. Sai e na próxima estação muda para a outra plataforma para fazer o percurso inverso. E pode ir perguntando se está no sentido correcto a quem está na plataforma.

Dentro do metro vão dizendo o nome das estações mas pouco se percebe. No entanto, tem em cada carruagem o desenho da linha e assim pode ir seguindo o seu trajecto.

Nas estações também vai ver escrito no chão “Mind the gap” – que é uma falha entre a carruagem e a plataforma – e já dentro do metro vai ouvir a indicação para ter cuidado a sair da carruagem. Existem plataformas que ficam um pouco mais afastadas da carruagem e é preciso ter cuidado e ver onde vai pousar os pés. Em algumas estações fica mesmo um buraco entre a plataforma e o metro. Quando estiver à espera do transporte mantenha-se atrás da linha amarela.

Mapa do Metro de Londres

O Metro de Londres, também conhecido como Tube – “tubo” ou London Underground, é muito bom. Aqui você encontra um mapa do metro de Londres, capital da Inglaterra. Na cidade de Londres os transportes públicos são a melhor maneira de mover-se pela cidade. O transporte público em Londres é muito completo, tem um bom sistema de metrô, ônibus, taxis, trens e bicicletas.

Clique no mapa para aumentar e explorar melhor.
Mapa Metro Londres

Oyster Card
Guia de Londres

Guia de Londres

Se comprar o Oyster Card – cartão magnético recarregável – tem descontos nas viagens. Compra o cartão com £5 – e, se no fim o devolver, recebe de volta o dinheiro – e depois recarrega o cartão com viagens. E mesmo que use o metro ou autocarro (já que ambos estão integrados na mesma rede) 50 ou 100 vezes num dia (24 horas), o tecto máximo é de £8,80.

Se pagar o bilhete normal, sem o Oyster Card, é de £4,50 ou mais por viagem. Com o Oyster Card fica por £1,40 por viagem. Se usar exclusivamente o autocarro e tram (veículo eléctrico de superfície, que pode rodar sobre rodas ou carris), este tecto é de £4,40.

7 Day Travelcard

Se quiser ficar mais de quatro dias em Londres compensa comprar o passe de sete dias, que é o 7 Day Travelcard – um passe semanal que pode usar nas zonas 1 e 2, que são as mais turísticas. Fica por £30,40. Veja o que é mais apropriado para os dias de viagem que vai ter em Londres.

Curiosidades: a estação mais frequentada é  de King’s Cross St Pancras. O metro londrino tem mais de 400 Km de distância em carris e mais de 4 mil veículos em serviço.

Veja aqui um mapa do metro de Londres. 

Andar a pé

Guia de Londres

Guia de Londres

Londres é uma cidade grande, mas os pontos turísticos estão bem concentrados. Se organizar as suas visitas por áreas vai ver que poupa nos transportes públicos, se andar a pé.

Walk London

Andar a pé em Londres é para quem gosta de caminhar e “perder-se” por ruas da cidade e também para quem quer poupar dinheiro, já que os transportes em Londres são caros. A pensar nesses grupos de viajantes existem vários passeios a pé com o Walk London.

Além de darem ideias dos passeios a pé, todas as semanas são organizados passeios temáticos e gratuitos – são os walking tours. Numa semana pode ir descobrir os jardins da cidade, noutra os monumentos que ficam fora dos roteiros turísticos. Têm sempre novas ideias para dar a conhecer a cidade.

A maior parte dos museus tem entrada gratuita. Se não gastar dinheiro em transportes, pode passar vários dias sem gastar nada na cidade a não ser na sua alimentação. É esse outro dos benefícios de conhecer a cidade a pé.

Por onde andar

Se quiser conhecer o famoso local dos teatros e musicais, comece o seu passeio no West End. Fica a conhecer Picadilly Circus, Leicester Square e, pelo caminho, encontra Chinatown. Aqui perto vai encontrar Trafalgar Square e muitas galerias de arte com entrada gratuita. Perto dessa área, visite a zona fantástica que é Soho, um bairro muito artístico e com muita vida.

Fazendo um passeio na City descobre a história antiga da cidade. A Tower of London, a catedral de St Paul, a Tower Bridge e o Museu de Londres são alguns dos pontos turísticos. O Barbican Center também pode ser descoberto por aqui, sendo um centro de variadas artes com espectáculos.

Em Covent Garden, pode visitar a pé várias atracções: a praça, o mercado, museus (como o museu dos Transportes de Londres) e variadas galerias de arte ou ainda a Royal Opera House, com o seu restaurante e magníficas vistas. Relativamente perto está a igreja de St Paul e no centro de Covent Garden está Neal’s Yard, uma zona ligada a produtos naturais e com muita cor nos edifícios.

Se não tiver muito tempo para museus e quiser apenas dar uma vista de olhos em alguns esta é uma boa zona para se fazer a pé: Bloomsburry. O Museu Britânico e a Biblioteca, assim como outros museus (Charles Dickens Museum e Pollock’s Toy Museum e Loja) estão aqui perto. A estação de St. Pancras, a igreja de St George e a Universidade de Londres são alguns pontos importantes deste passeio.

Caminhando no South Bank: depois de uma volta no London Eye, caminhe pela marginal e visite a Tate Modern. Atravesse a ponte Millennium e encontra, do outro lado do rio, a Catedral de St Paul. Pode, a partir daqui, seguir para a Tower Bridge. Antes de partir para o London Eye, visite a zona de Westminster, com a Westminster Abbey e as Câmaras do Parlamento. Pode também aproveitar para tirar fotografias junto do Tamisa.

A área de Mayfair e St Jame’s reúne vários pontos turísticos importantes. São eles o Palácio de Buckingham, o parque St James e o seu palácio , o Green Park, a Real Academia das Artes, a rua chique Bond Street e um mercado encantador: Sheperd Market.

Na zona de Regent’s Park está o conhecido museu Madame Tussaud’s, o Museu de Sherlock Holmes e, do outro lado do parque, fica o Zoo de Londres. Além disso fica a conhecer este bonito parque, onde pode andar de barco a remos e descobrir o canal onde estão acostados barcos residenciais.

Não deixe de visitar (pelo menos um) os jardins, mas lembre-se que não é por estar num ambiente verdejante que os pés não se vão queixar. A maioria dos jardins ingleses são gigantescos mas tem mesmo de os ir visitar e a única forma de o fazer é a pé. Se quiser, aproveite e faça um piquenique, se o tempo o permitir. Vá passear para o mítico Hyde Park e para os Kensigton Gardens, onde vai ter muitos esquilos como companhia.

Os dois jardins já foram em tempos parte do mesmo parque – o Hyde Park – e estão hoje separados por um lago e uma rua. Em seu redor há muito para visitar, como o Museu de História Natural, o Museu da Ciência, o Museu Victoria&Albert, o palácio Kensington, o Albert Memorial, o Royal Albert Hall e Portobello Road, em Notting Hill, ainda que um pouco mais afastado.

Rent-a-car em Londres

Guia de Londres

Guia de Londres

Antes de alugar um carro em Londres, lembre-se algo muito importante: vai conduzir do lado esquerdo da estrada! Vai estranhar no início mas, depois de se habituar, vai ser a coisa mais simples do mundo. Não se esqueça de levar a sua carta de condução. Sem ela nada feito.

Veja bem se é a melhor opção

Se é para ficar só no centro da cidade, alugar carro não parece ser a melhor opção porque, além de ser caro, o combustível também está caro e o estacionamento também é pouco e caro. Pode optar por pedir um carro com mudanças automáticas, assim não vai estranhar tanto ter de meter as mudanças com a mão esquerda. Como a maior parte dos carros já tem GPS (paga a mais por isso), não vai ser difícil encontrar os sítios que pretende visitar.

Mas se está a pensar em visitar outras cidades nas redondezas ou visitar outras zonas de Inglaterra, a partir de Londres, verifique na Internet as empresas de rent-a-car para ver qual a que lhe oferece melhores preços e condições. É uma boa opção para quem ir também visitar Liverpool, Manchester, Cambridge e Oxford, por exemplo, ou mesmo a Escócia.

Verifique as condições de aluguer

A verdade é que pode fazer o aluguer do carro por apenas algumas horas até um dia ou vários dias. Verifique, se vai fazer muitos quilómetros, se tem quilometragem ilimitada. Algumas empresas não têm e, se ultrapassar o estipulado, vai pagar muito mais do que foi acordado.

Sem stresse, mas com cuidado!

Fique sempre com o contacto do funcionário que lhe alugou o veículo, para se acontecer algum problema com o carro, ter um nome para dar. Às vezes, isto de alugar um carro e meter só nomes de empresas pode tornar-se bastante impessoal na hora de acontecer algo e de precisarmos de ajuda.

Leve sempre consigo o número da assistência em viagem para o caso de acontecer alguma coisa. É altamente improvável, mas deve estar preparado para tudo – desde alguém lhe arranhar o carro num estacionamento até lhe partirem o vidro para roubar algo… qualquer coisa pode acontecer!

No fundo, tenha as mesmas precauções que teria no seu país e perto de sua casa, nomeadamente não deixar objectos à mostra no carro quando estacionado. É verdade: com o carro, as suas preocupações aumentam. Se estiver a ser conduzido vai mais relaxado, claro.

Nos aeroportos estão representadas as mais famosas empresas de rent-a-car, com variados preços consoante o tamanho e o tipo de carro. Os preços começam nas 7£ por dia. E por empresas famosas estamos a falar da Budget, da Alamo, da National, da Enterprise, da Sixt, da Europcar, da Avis e da Hertz, por exemplo.

Faça tudo com tempo

O ponto de entrega do carro pode ser o mesmo ou então combinar um outro local de entrega do veículo alugado. Algumas empresas pedem mais dinheiro quando o ponto de entrega é diferente do de recolha. Como estão perto dos aeroportos será um descanso para quem tem um avião para apanhar. Normalmente estas companhias fazem a ligação aos terminais, mas confirme isso antes, para saber quanto tempo leva a chegar ao ponto de embarque.

Faça por entregar o carro antes da hora que estipulou – pode sempre acontecer algum atraso e vai pagar mais um dia de aluguer só porque se atrasou alguns minutos. Lembre-se que basta apenas apanhar um acidente ou apanhar trânsito da hora de ponta para já chegar tarde ao local de entrega.

Já agora, lembro também que tem sempre a possibilidade de recorrer aos táxis, que em Londres até são bem carismáticos. No entanto, esta opção pode esvaziar-lhe rapidamente a carteira!

8-Polícia e o que fazer em caso de emergência

PolíciaCidade segura?Cuidados a terTudo é filmadoAssaltos

Polícia disto, polícia daquilo!

Guia de Londres

Guia de Londres

Na entrada para Inglaterra os primeiros polícias que vai encontrar pela frente são os da Polícia Federal e os de Imigração. Em quase todos os locais turísticos de Londres vai ver polícias fardados. Também os locais ligados à economia e política britânicas estão guardas em permanência, a garantir a segurança. Mesmo que não seja fã de Sherlock Holmes, certamente já ouvir falar da Scotland Yard, que é a sede da Polícia Metropolitana de Londres.

Conhece aqueles carismáticos polícias de chapéu alto e peludo, de cor preta, e com casaco vermelho? São os guardas da rainha e protagonizam uma das cerimónias diárias mais conhecidas: a troca da guarda, com coreografias militares. É um dos momentos mais procurados pelos turistas de máquina fotográfica na mão.

Existe ainda a British Transport Police que é responsável pela segurança dos transportes de Londres. Já era normal o supervisionamento dos transportes nesta mega-capital mas, depois dos atentados de 2005 e dos acidentes na rede de metropolitano, que são agora muito raros, foi criada uma polícia específica.

Sabia que há policiamento em Londres desde os tempos romanos? A actual sede da City of London Police está, em parte, no local onde existiu uma fortaleza romana que terá servido de casa para a primeira polícia londrina.

Não tenha medo!

Guia de Londres

Guia de Londres

Londres é seguro? Com a quantidade de polícias que anda na rua achamos que sim. É, aliás, considerada uma das cidades mais seguras do mundo. Tem de ter, como em todas as cidades que visitar, cuidados com os carteiristas que costumam andar na zona de turistas e com todo o tipo de assaltos.

Cuidados a ter

Guia de Londres

Guia de Londres

Não ande com objectos de valor à mostra, guarde bem os documentos e dinheiro, em bolsos difíceis de alcanças pelos carteiristas. Geralmente os bolsos de casacos e os de trás, das calças, são os mais apetecíveis para os ladrões. Se tiver um telemóvel, dos topo de gama, evite também estar ao telefone muito tempo com ele. Primeiro porque se distrai com mensagens, Facebook, etc. em vez de prestar atenção perigo que o pode rodear. Em segundo lugar, porque esses itens costumam ser os primeiros a ser roubados aos mais distraídos.
Nunca use mochila nas costas. Vire-a para a frente para evitar que seja roubado. No meio da confusão nem se apercebe que abriram a sua mochila e lhe levaram todo o material fotográfico, por exemplo – e isto acontece frequentemente. Também não deve pousar o seu telemóvel em cima das mesas dos restaurantes ou bares.

Sorria, está a ser filmado!

Guia de Londres

Guia de Londres

A Polícia Metropolitana de Londres tem a funcionar um circuito televisivo com câmaras na ruas para estar atenta a tudo o que se passa. O ladrões estão normalmente em locais muito movimentados, como atracções turísticas, em estações de metro ou comboio e autocarros. Evite andar em zonas desertas e principalmente à noite.

Fui assaltado!

Guia de Londres

Guia de Londres

Em caso de roubo ou perda de pertences – se for de cartões de banco peça o cancelamento de imediato – vá o mais rápido possível a uma esquadra da polícia. Em caso de urgência ligue o 999 para pedir ajuda à polícia.

Quando for atendido, informe que é um turista e conte calmamente o que sucedeu. Se estiver alguém em perigo deve dizê-lo em primeiro lugar e indicar o local onde se encontra. Depois pode passar para as informações secundárias. Todas as chamadas são depois revistas pela polícia.

Sabia que o 999 é dos números de emergência mais antigos do mundo? Existe desde 30 de Junho de 1938.

9-Trabalhar em Londres

Seja cautelosoComo procurar trabalhoFalsas agênciasProcurar trabalho antes de irFalar inglêsQuando receber salárioNão seja exploradoFicou desempregado?

Seja cauteloso!

Guia de Londres

Guia de Londres

Toda a gente já deverá ter ouvido falar de amigos, ou conhecidos, que foram para fora para trabalhar e acabaram por encontrar, em vez de trabalho e dinheiro, o conto do vigário. Há muita gente que se aproveita da necessidade de encontrar emprego urgente e acaba por ganhar dinheiro com essas pessoas.
No entanto, não desanime! Londres é uma cidade de oportunidades, com um vencimento/hora mínimo e médio muito acima dos países lusófonos e que pode ser uma excelente opção para quem procura mudar de vida. Siga os meus conselhos abaixo para se certificar de que tudo corre pelo melhor.

Como procurar trabalho

Guia de Londres

Guia de Londres

Nunca vá sem conhecer o seu empregador. Investigue bem, procure informação na internet ou, se não conseguir, nas embaixadas e consulados do Reino Unido. Se as respostas forem más ou se não conseguir obter quaisquer informações, desconfie.

Faça bem o seu trabalho de casa, para que não lhe o que de facto acontece com muita gente que até paga para ficar empregado e depois de trabalhar um ou dois meses não vê a cor do dinheiro. Pode acontecer que não seja reembolsado o valor da viagem – deve sempre procurar esclarecer quem paga a viagem antes de decidir mudar de país – ou, pior, não receber o valor acordado anteriormente pelo trabalho e ser alojado em sítios pouco recomendável, arranjados por pessoas duvidosas.

Cuidado com as falsas agências!

Guia de Londres

Guia de Londres

Não pague a agências que lhe prometam emprego. As agências legais ganham dinheiro depois de você começar a trabalhar. Ou seja, são pagas pela própria empresa empregadora a quem vão sugerir o seu trabalho. Se estiver a lidar com agências sérias, não tem de pagar a ninguém antes de trabalhar, até porque há agências que lhe arranjam trabalho em Londres gratuitamente. Ajuda muito ter algum amigo ou conhecido que viva em Londres e, conhecendo melhor a realidade, o ajude nos primeiros passos e a separar o trigo do joio.

Procure trabalho antes de partir

Guia de Londres

Guia de Londres

A melhor forma de arranjar trabalho em Londres é conseguir um emprego a partir do país onde está neste momento. Trate de tudo a partir do seu país, inclusive a procura de alojamento. Existem muitos quartos para alugar e casas para partilhar, porque o alojamento é muito caro em Londres.

É preferível que leve já uma carta do empregador. Ou seja, deve ter um emprego e um local de residência para poder entrar no país sem problemas, principalmente se for de um país não membro da União Europeia.

Se for cidadão da União Europeia claro que pode sempre aproveitar umas férias para estudar o mercado de trabalho, pesquisar ofertas e decidir o que quer fazer em Londres. Pode visitar os locais onde gostaria de trabalhar e até marcar reuniões, começar a procurar alojamento, etc.

Aproveite as redes e os seus conhecimentos pessoais
Para arranjar emprego poderá falar com amigos ou conhecidos que já estejam a trabalhar em Londres. Também pode contactar as empresas directamente enviando e-mails com o seu currículo ou telefonando, candidatando-se para as áreas que domina.

Também pode inscrever-se em sites de recrutamento de trabalhadores e agências de emprego. São muitos e para todas as áreas há pedidos. Muitos dizem especificamente que querem pessoas que tenham o português como língua materna.

Speak English?

Guia de Londres

Guia de Londres

Para arranjar trabalho mais facilmente, ajuda saber falar inglês, mas para certos trabalhos o não domínio da língua não é impeditivo de se candidatar. Também há muita gente que faz um curso de inglês, ou as próprias empresas facilitam aulas para os funcionários. É natural que quem fale mal inglês não arranje os melhores empregos. Tem de ter o seu currículo em inglês para apresentar nas candidaturas. Se não dominar o Inglês, peça a um tradutor ou a um amigo que seja fluente. Evite os tradutores online automáticos, que nunca dão bom resultado se pretender um documento claro e passar uma primeira boa impressão.

Veja aqui um guia de iniciação à língua inglesa que preparei para si. Guarde nos seus favoritos ou imprima, pode vir a dar jeito!

Vencimento semanal, quinzenal ou mensal

Guia de Londres

Guia de Londres

Quando arranjar trabalho não se admire se lhe propuserem o pagamento à semana, quinzenalmente ou mensalmente, uma vez que todas estas formas são usuais e aceitáveis em Inglaterra. Também os pagamentos de alojamento podem ser pedidos com diferentes prazos, por isso, tente escolher o que mais lhe der jeito e que coincida com as datas de pagamento pelo seu trabalho.

Não se deixe explorar

Guia de Londres

Guia de Londres

Não aceite empregos que lhe paguem abaixo do mínimo legal. Apesar de Inglaterra não ter o salário mínimo nacional existe, por lei, um mínimo por hora e que varia consoante a idade do trabalhador.

Os aprendizes ganham, no mínimo, £2,73/hora; os menores de 18 anos ganham £3,79; entre os 18 e os 20 anos ganham £5,13; e os maiores de 21 anos ganham, no mínimo, £6,50/hora. Estava previsto rever e aumentar estes valores em 1 de Outubro de 2015 em 20% para os aprendizes e em 3% para os restantes, mas esta revisão foi suspensa pelo novo governo de maioria conservadora.

Desempregado?

Guia de Londres

Guia de Londres

Se se encontrar desempregado num país da União Europeia e a receber subsídio de desemprego, saiba que pode continuar a receber o subsídio em Inglaterra (ou qualquer outra nação da EU), por um período máximo de até seis meses. No entanto, lembre-se que, por norma, não é possível sair do país enquanto se está a receber subsídio, podendo mesmo perder o direito ao seu recebimento. Para sair em procura de trabalho deve contactar os serviços de emprego do seu país (em Portugal, Instituto do Emprego e Formação Profissional) e seguir os passos descritos aqui.

Veja ainda:

Siga no Twitter, Facebook, Instagram e Pinterest. Partilhe esta página e deixe o seu comentário.


Deixe o seu comentário aqui:

João Leitão - O autor do blog:

VIVA! Sou o João - blogger de viagens. Com 20 anos de experiência como viajante independente, explorei mais de 128 países em África, Antártica, Ásia, Europa, América do Norte e Central, América do Sul e Oceânia. Bem-vindos ao meu blog de viagens, onde partilho informação prática de viagem para o motivar a sair de casa! Siga nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram, Pinterest e YouTube.

Kit de Viagem:

  • Onde eu reservo alojamento? Encontre os melhores hotéis e promoções através do Booking.com
  • Eu reservo sempre o meu carro online através do Rentalcars.com
  • Quer estar prevenido? Faça o seu seguro de viagem através do Worldnomads.com
  • 7 dias em Marrocos 430 euros desde Marrakech até ao Deserto do Saara através do Marrocos.com
  • Quer viajar e ter sempre Internet? Faça como eu e compre o aparelho da SkyRoam.com
* Esta página tem links de afiliados. Quando você reserva algo através deste blog, eu retenho uma pequena comissão que não altera o preço final. Obrigado!

Blog de viagens mencionado em:

Blog de viagens nos Media

« Seguir @joaoleitaoviagens no Instagram »