Visitar Chisinau, Moldávia: Roteiro e Guia Prático de Viagem

Chisinau City Guide – Guia de Cidade – Visitar Chisinau

Visitar Chisinau, Moldávia: Guia Prático de Viagem
Visitar Chisinau, Moldávia: Guia Prático de Viagem

Chisinau é uma cidade genuinamente interessante. Apesar do correr dos anos, é ainda um museu vivo da era Soviética, que ali se sente não só na arquitectura mas nos hábitos e costumes da população. Por outras palavras, trata-se de uma cidade com pouco para ver mas muito para viver.

Visitar Chisinau – O importante a saber

Visitar Chisinau - O importante a saber
Visitar Chisinau – O importVisitar Chisinau – O importante a saberante a saber

A capital da Moldávia tem hoje uma população de cerca de três milhões e meio de habitantes mas oferece a atmosfera de uma pequena cidade de província. O seu centro é bastante compacto, podendo o visitante percorrer os principais pontos de interesse a pé.

Para além dos locais evidentes, a cidade vale pelo seu carácter único.  Pouco habituados a receber visitantes estrangeiros os habitantes de Chisinau revelam uma grande hospitalidade e não deverá deixar a cidade para trás antes de experimentar o mítico brandy moldavo.

Chisinau tem um boa cultura de hostels, com alguns estabelecimentos bem interessantes. Poderá aproveitar a proximidade da Transnistria e visitar num só dia esse país não existente que resultou da secessão da área predominantemente russa da Moldávia, que se deu na sequência de uma curta guerra logo após o colapso da União Soviética.

Dicas rápidas para Chisinau

  • Acorde cedo e seja o primeiro a entrar nos monumentos, museus ou outros locais de interesse.
  • Não perca o a zona onde está o Arco de Triunfo de Chisinau, que marca formalmente o centro da cidade.
  • O mercado central é um dos locais mais animados da capital moldava encontrando-se activo desde as cindo da manhã até ao final da tarde

Principais Pontos Turísticos e Monumentos em Chisinau

Os mais famosos monumentos em Chisinau
Os mais famosos monumentos em Chisinau
  1. Museu Militar
  2. Memorial da Repressão
  3. Mercado Central
  4. Torre de Água
  5. Parque Valea Morilor
  6. Museu de História de Chisinau
  7. Casa Museu de Pushkin
  8. Arco do Triunfo
  9. Catedral Metropolitana da Natividade de Cristo
  10. Museu Nacional de Etnografia e de História Natural
  11. Via dos Clássicos
  12. Mercados de Rua

O que visitar em Chisinau – Moldávia

O que visitar em Chisinau
O que visitar em Chisinau

1. Memorial da Repressão

Este memorial honra os moldavos que foram deportados para campos de trabalho nas profundezas da União Soviética, uma situação que se estendeu desde 1940 até 1951.

O memorial encontra-se junto à estação central ferroviária, um lugar adequado, já que era dali que partiam os comboios carregados de pessoas condenadas aquele triste destino.

Logo após a independência da Moldávia, em 1990, na sequência do colapso da União Soviética, foi ali colocado um memorial temporário, um bloco monolítico com uma placa comemorativa.  Apenas em 2013 foi inaugurado o memorial final, composto por uma série de figuras antropomórficas representadas numa dinâmica dramática, caminhando sobre uma base de pedra, em direcção ao degredo.

A escultura foi composta na Bielorrússia e posteriormente transportada para o seu destino final, em Chisinau.

2. Mercado Central

Este mercado é verdadeiramente imperdível. É um dos locais mais animados da capital moldava encontrando-se activo desde as cindo da manhã até ao final da tarde. Na Piata Centrala, como lhe chamam os locais, encontra-se de tudo, especialmente géneros alimentícios.

Desde frutas e vegetais, passando por uma enorme variedade de qualidades de mel, pão, vinhos e brandy, carne, peixe, frutos secos, de tudo se vê por ali. Especial destaque para a zona dos queijos, muito fotogénica e… aromática. Existem zonas deste enorme mercado onde se vendem produtos manufacturados, e mais uma vez a imaginação é o limite: sapatos, roupas, electrónica de consumo, bolachas, conservas.

Especialmente impressionante são os pequenos “comerciantes”, pessoas que levam o produto da sua horta, que se podem reduzir uma mão cheia de tomates e uns quantos aipos, ou os idosos que ali se deslocam para tentar ganhar alguns Leis com duas ou três peças de roupa que conseguem dispensar.

Quando passar pela zona dos alimentos, não esqueça que provar faz parte da experiência, e se algo o tentar, deverá negociar bem o preço.

3. Torre de Água

A Torre de Água poderá ser vista pelo visitante que faça o passeio desde o centro da cidade até ao popular parque Valea Morilor

É uma estrutura clássica, construída no final do século de XIX segundo um plano de Alexander Bernadazzi, e foi em tempos uma peça essencial no sistema de distribuição de água da cidade. A parte de cima, construída em madeira, sucumbiu a um sismo e foi reconstruída como hoje se vê entre 1980 e 1983.

A torre tem 22 metros de altura, construída essencialmente em pedra mas com a utilização de algum tijolo. No seu interior existe uma escada em caracol, que foi complementada mais tarde com um elevador. Durante algum tempo esteve aqui instalada a direcção do Museu de História de Chisinau.

4. Parque Valea Morilor

Este amplo parque urbano pode ser alcançado a pé a partir do centro. Foi criado em 1950, ocupando uma área de 114 hectares. Tem diversos acessos mas o mais impressionante será aquele que se faz através de uma longa escadaria com duzentos e dezoito degraus.

Existe um enorme lago, com um perímetro de 2,5 km, em redor do qual se pode andar de bicicleta, correr ou simplesmente passear.

Todos os equipamentos de lazer que se esperam encontrar num parque deste género estão ali presentes, incluindo cafés e restaurantes, parques de jogos, parques infantis e até um cinema ao ar livre com capacidade para cinco mil espectadores.

Pode-se encontrar um memorial aos agentes de polícia mortos em serviço e zonas de frondosas árvores que criam recantos intimistas. É também o local ideal para observar os habitantes de Chisinau, que aqui acorrem em grande número, especialmente aos fins-de-semana e aos finais de tarde.

5. Arco do Triunfo

O Arco de Triunfo de Chisinau, também conhecido como o Portão Sagrado, foi erigido em 1840, seguindo um projecto do arquitecto Zaushkevich, e marca formalmente o centro da cidade. Foi construído para comemorar uma vitória da Rússia sobre o Império Otomano na guerra de 1828-1829.

Em 1973 sofreu profundas obras de restauro e em 2001 foi dali retirado um enorme sino, de 6.400 kg, obtido a partir da fundição do cobre dos canhões otomanos capturados durante a campanha.

O Arco do Triunfo de Chisinau tem uma largura de 13 metros e uma altura de 10 metros, sendo uma estrutura muito fotogénica, especialmente quando a bandeira da Moldávia ali ondula ao vento.

6. Catedral Metropolitana da Natividade de Cristo

Esta catedral é o principal templo ortodoxo em Chisinau e na Moldávia, tendo sido construída em 1830 a mando do governado da Nova Rússia, o príncipe Mikhail Semyonovich Vorontsov. O plano seguiu uma influência Neoclássica característica do seu criador, o arquitecto Abram Melnikov, sendo um dos melhores exemplos de arquitectura russa de Chisinau.

A catedral foi bombardeada durante a Segunda Guerra Mundial e a sua torre sineira foi destruida pelos comunistas em 1962, tendo sido reconstruída em 1997. Durante a era soviética as actividades religiosas foram proibidas e o edifício foi usado como uma sala de espectáculos.

Trata-se de uma catedral muito sóbria, quer no exterior quer no interior. A sua fachada principal distingue-se pelas seis colunas dóricas, podendo-se ver por detrás a cúpula revestida de zinco, adicionada em 1997. No interior existem três altares dedicados a três santos.

7. Via dos Clássicos

A Via dos Clássicos é um caminho localizado no parque Stefan cel Mare, no centro de Chisinau. Aqui, entre árvores frondosas e muito verde, vai o visitante encontrar uma série de bustos representando os nomes maiores da literatura moldava e romena.

São no total vinte e oito, colocados pela ordem alfabética dos seus nomes e incluindo um ilustre forasteiro: Alexander Pushkin, colocado numa das pontas do caminho. Enquanto os restantes bustos são de granito encarnado, o de Pushkin, criado pelo escultor russo Alexander Opekushin, é de bronze.

A colecção de bustos foi criada em 1958, mas até à independência da Moldávia, em 1990, tinha apenas doze esculturas. Os novos responsáveis decidiram acrescentar representações das principais figuras literárias de língua romena que tinha sido excluídas pelas autoridades soviéticas. A inspiração veio de uma série idêntica de bustos existentes no parque Ci?migiu, em Bucareste.

8. Mercados de Rua

Os mercados representam muito do interesse de Chisinau, não tanto feito de grandes monumentos e de excelentes museus, mas do ambiente da cidade e da vida genuína que ali se leva.

O Mercado das Flores, activo das 10:00 às 22:00, é tido como um dos mais encantadores na Europa dentro do seu género, estendendo-se ao longo da margem noroeste do Parque da Catedral, um mar de cor e aromas à espera do visitante.

A Praça das Artes é o lugar certo para encontrar uma recordação da Moldávia. Pode parecer algo pequeno, mas este mercado dedicado às artes e ao artesanato tem uma imensa variedade de artigos, desde relíquias da era Soviética até pinturas, passando pelos instrumentos musicais tradicionais e pelos tapetes.

Na Calea Basarabiei encontrará o Mercado Agrícola, criado em 2006, onde se compram e vendem produtos agrícolas. Aqui deverá esperar qualidade a baixo preço, podendo fazer as suas compras entre as sete da manhã e as cinco da tarde.

Se gosta verdadeiramente deste tipo de locais, poderá querer visitar o Calea Mosilor, ou Tolcioc, como os locais o chamam. Trata-se de um encantador mercado, localizado a uns dez minutos do centro da cidade. Aqui encontrará um pouco de tudo, desde brandy a vegetais e frutas. Não tem a intensidade do mercado central mas a sua natureza mais recatada é igualmente apelativa.

Tours em Chisinau

Museus em Chisinau

1. Museu Nacional de Etnografia e de História Natural

Trata-se do mais antigo museu da Moldávia, distinguindo-se pelas suas colecções de geologia, paleontologia, zoologia, entomologia, arqueologia, etnografia e numismática.

Abriu em Outubro de 1889, quando ali se realizou a primeira mostra agrícola da Bessarábia, organizada pelo barão A. Stuart. Desde então reuniu um notável espólio composto por mais de 135 mil peças, algumas das quais se encontram expostas nas duas grandes secções do museu: a primeira é dedicada à flora e fauna da Moldávia e a segunda ao povo da Bessarábia e às suas tradições.

O museu está hospedado num edifício construído em 1905 com uma traça claramente oriental da autoria do arquitecto V. Tsigankov, sendo ele próprio merecedor de cuidada observação.

2. Museu Militar

Ir até ao Museu Militar é uma experiência. Sente-se que não tem muitos visitantes, e um estrangeiro que aparece à sua porta é especialmente bem recebido. Os conceitos aplicados são maioritariamente obsoletos, mas isso faz parte da magia. A exposição não é extensa, incluindo artefactos militares diversos, fotografias, documentos, medalhistica.

Na área exterior encontram-se algumas peças de grandes dimensões, como aviões e tanques de guerra de fabrico russo.

A secção dedicada à repressão durante os tempos da União Soviética é especialmente impressionante, mas a utilização de legendas em inglês é reduzida pelo que boa parte da experiência da visita terá que se basear na interpretação pessoal.

Poderá ser um pouco complicado encontrar o Museu Militar, situado na rua Tighina, nº 47. Está aberto todos os dias excepto Segundas-feiras e o bilhete custa 10 Lei, sendo necessário pagar outros 10 Lei se quiser tirar fotografias no seu interior.

3. Museu de História de Chisinau

Este museu foi criado em 1983, encontrando-se alojado num edifício que foi construído sobre as ruínas de um glorioso liceu danificado pelo sismo de 1977.

Tem doze salas de exposição e um monumental diorama representado uma batalha da Segunda Guerra Mundial, criado pelos artistas Nikolay Prisekin e Alexey Semyonov.

O museu tem um total de cerca de 350 mil peças, com especial destaque para os achados arqueológicos, para o acervo documental e fotográfico e para a secção de numismática, mas há muito mais nas suas salas: armas antigas, peças de arte, objectos etnográficos, livros históricos, selos, ferramentas, objectos de uso quotidiano e artefactos diversos.

O museu está aberto todos os dias excepto às Sextas-feiras, podendo ser visitado entre as 10:00 e as 17:00. O bilhete custa 10 Leis.

4. Casa Museu de Pushkin

O visitante de Chisinau poderá vir até à casa onde durante três anos viveu o grande mestre da poesia russa, Alexander Pushkin (1799-1837).

Para além de ver os aposentos onde o poeta viveu entre 1820 e 1823, ainda recheados com os seus bens pessoais e as mobílias usadas por Pushkin, poderá visitar um museu de literatura estabelecido num edifício em frente à casa do escritor, onde se encontra montada uma exposição que conta a história da vida e da obra deste autor.

Na sua passagem por Chisinau o escritor manteve o seu característico estilo de vida, passional, brigão e dado ao álcool, mas também foi aqui que algumas das principais obras de Pushkin, como “O Prisioneiro do Caúcaso”, foram escritas.

A casa museu pode ser visitada de Terça-feira a Domingo, entre as 10:00 e as 16:00 mas para uma tour em inglês convém fazer marcação. O bilhete custa 10 Leis, mais 10 Leis se quiser fotografar no interior da casa.

Fotos de Chisinau

Celebrações e Feriados em Chisinau

  • 1 de Janeiro – Ano Novo
  • 7 de Janeiro – Natal Ortodoxo
  • 8 de Março – Dia Internacional da Mulher
  • 28 de Abril – Domingo de Páscoa Ortodoxo
  • 29 de Abril – Segunda-Feira de Páscoa ortodoxa
  • 1 de Maio – Dia do Trabalhador
  • 9 de Maio – Dia da Vitória sobre o fascismo
  • 27 de Agosto – Dia da Independência
  • 14 de Outubro – Dia da cidade de Chishinau

Mapa do Metro de Chisinau

Aqui você encontra um mapa do metro de Chisinau, capital da Moldávia.

Mapa Metro Chisinau

Clique no mapa para aumentar e explorar melhor.

Roteiros de Chisinau

Roteiros de Chisinau
Roteiros de Chisinau

1 Dia em Chisinau (24 horas)

  • Manhã:
  • Tarde:

2 Dias em Chisinau (48 horas)

  • Dia 1 Manhã:
  • Dia 1 Tarde:
  • Dia 2 Manhã:
  • Dia 2 Tarde:

3 Dias em Chisinau (72 horas)

  • Dia 1 Manhã:
  • Dia 1 Tarde:
  • Dia 2 Manhã:
  • Dia 2 Tarde:
  • Dia 3 Manhã:
  • Dia 3 Tarde:

Guia de Viagem à Moldávia

João Leitão VIAGENS no Instagram

Instagram Joao Leitao