Visitar Corfu, Grécia: Roteiro e Guia Prático de Viagem

Visitar Corfu

VISITAR CORFU
Visitar Corfu, Grécia: Roteiro e Guia Prático de Viagem

A cidade de Corfu é a capital da ilha com o mesmo nome, localizada ao largo da Albânia e próxima da fronteira terrestre desse país com a Grécia. Tem cerca de 30 mil habitantes e tem no turismo a sua principal actividade. O seu centro histórico encontra-se inscrito desde 2007 na Lista de Património Mundial da Humanidade da UNESCO pelo seu valor patrimonial e para arquitectura de origem veneziana que aqui se encontra. Culturalmente é fruto de uma sobreposição de influências, incluindo as que derivam da ocupação francesa e especialmente inglesa, que deixou na ilha o gosto pelo cricket e pela cerveja de gengibre. A ilha tem diversos resorts turísticos na zona costeira enquanto o seu interior é marcado por montanhas imponentes. Visitar a Grécia e não passar por Corfu, é deixar para trás um destino importante que vale a pena conhecer.

Visitar Corfu – O importante a saber

CORFU, GRÉCIA
CORFU, GRÉCIA

Apesar de ser muito procurada pelos visitantes, os que preferem um tipo de viagem mais recatadas podem explorar as áreas mais para o interior, onde encontrarão pitorescas aldeias onde os estrangeiros não costumam chegar. A cidade de Corfu, capital da ilha, é ladeada por duas imponentes fortalezas venezianas e o seu centro histórico é um labirinto de ruelas medievais. Na localidade distingue-se ainda o grande palácio de São Miguel e São Jorge e umas interessantes arcadas em estilo francês.

Dicas rápidas para Corfu

  • Acorde cedo e seja o primeiro a entrar nos monumentos, museus ou outros locais de interesse
  • Suba ao farol da Fortaleza Antiga – a melhor vista da cidade
  • O jardim das traseiras do Palácio de São Miguel e São Jorge tem uma vista linda para a praia de Faliraki
  • Faça uma free walking tour
  • Aproveite um pouco da Praia de Faliraki
  • Tenha cuidado com os seus pertences
  • Apesar de ser muito cliché e turístico, terá de beber um café na Praça Spianada
GUIA DE VIAGEM CORFU
GUIA DE VIAGEM CORFU

Corfu, a antiga Kerkyra, é uma ilha no Mar Jónico. É um lugar fascinante que sofreu influências sobrepostas ao longo dos tempos: foi ocupada pelos Venezianos, pelos Franceses e pelos Ingleses, antes de se integrar na moderna Grécia.

Para saber quando ir a Corfu você precisa de se informar um pouco melhor acerca das suas estações e melhor clima. A melhor altura para visitar Corfu é durante a Primavera, entre os meses de Abril e Junho, tal como durante os meses de Setembro e Outubro. Eu fui durante o Verão e estava muito calor, mas eu gosto de temperaturas elevadas.

Vídeo com imagens aéreas de Corfu

Vídeo muito bom para podermos ver as diferentes partes turísticas desta cidade.

Principais Pontos Turísticos e Monumentos em Corfu

  1. Praça Spianada
  2. Fortaleza Antiga
  3. Fortaleza Nova
  4. Cidade Velha
  5. Palácio de São Miguel e São Jorge
  6. Mon Repos
  7. Igreja de Santo Espiridião
  8. Museu de Arte de Corfu
  9. Templo de Ártemis
  10. Museu Bizantino de Antivouniotissa
  11. Túmulo de Menecrates

O que visitar em Corfu – Grécia

CORFU
CORFU

Corfu na Grécia tem imenso para ver, por isso é conveniente organizar um pouco a sua visita para conseguir ver o máximo possível, de forma mais organizada, contribuindo assim para usufruir de umas férias mais proveitosas.

1. Praça Spianada

A Spianada, também conhecida como A Esplanada, é o amplo parque que separa a cidade e a fortaleza de Corfu. É considerada a mais ampla das praças existentes na Grécia e a sua construção remonta à ocupação francesa, por altura das Guerras Napoleónicas. Durante muito tempo manteve-se uma área vazia, porque fazia parte do sistema de fortificações da cidade e era desejável que se mantivesse desimpedida por razões militares. Uma particularidade da praça é o campo de cricket, uma memória da presença britânica em Corfu (1814-1864) que deixou na ilha um inesperado gosto por este jogo. A praça é um dos pontos da cidade mais procurada pelos turistas mas também uma área usada pelos locais para passarem o seu tempo livre.

2. Fortaleza Antiga

A Fortaleza Antiga avista-se quando o barco se aproxima da ilha, no alto de um promontório, a leste da cidade. Foi construída pelos Venezianos no século XV, no local onde já existia um velho castelo Bizantino. Até 1819, quando os ingleses construíram o actual acesso, a fortaleza encontrava-se separada do resto da ilha por um fosso, atravessado por uma ponte móvel. No seu interior pode-se visitar um pequeno museu dedicada à arte pós-Bizâncio em Corfu e a pequena capela de Madona Del Carmine. A biblioteca público de Corfu encontra-se também aqui, alojada numas casernas construídas pelos britânicos no século XIX. Da fortaleza pode-se avistar toda a cidade e a imensidão do mar Jónio, especialmente do seu ponto mais alto, uma torre de relógio. Em 1718 uma forte explosão causou enorme destruição, arrasando por completo a Igreja Agiogi Apostoli e uma boa parte da cidadela.

3. Fortaleza Nova

A Fortaleza Nova, também chamada de São Marco, foi construída entre 1576 e 1645, segundo um plano do arquitecto italiano Francesco Vitelli, estando localizada sobre o porto antigo. Está ligada à Fortaleza Antiga e a à cidade por uma série de túneis subterrâneos. Os baluartes mais recentes foram adicionados, primeiro por franceses e depois pelos ingleses. Infelizmente uma parte da fortaleza foi demolida pelos mesmos ingleses ao abrigo do acordo de 1864, que trouxe Corfu de volta à soberania da Grécia. Foi severamente danificada, mas recentemente foi requalificada dispondo agora de uma série de espaços culturais onde se realizam exposições e eventos. A vista do seu terraço superior é deslumbrante.

4. Cidade Velha

A Cidade Velha encontra-se na parte norte da cidade de Corfu. É uma interessante fusão de estilos e por lá sente-se a sobreposição de culturas que passaram por Corfu ao longo dos séculos, especialmente a presença veneziana. Visite-se a Academia Jónica, fundada em 1824 por Ioannis Kapodistrias, a primeira universidade grega dos tempos modernos, localizada a sul da Praça Spianada. O Liston, de influência francesa, com as suas arcadas pitorescas, onde se encontram os melhores cafés de Corfu, sendo o lugar mais cosmopolita da ilha. O edifício da câmara municipal, usado nos tempos venezianos como local de reunião dos poderosos, mais tarde teatro lírico e hoje alojando a Câmara Municipal. O Parlamento Jónico, construído em 1854 em estilo Neoclássico, e o local onde em 1864 se decidiu unir as Ilhas Jónicas com a nova Grécia. A praça do Santo, em redor da qual se encontram as três principais igrejas de Corfu.

5. Palácio de São Miguel e São Jorge

O Palácio de São Miguel e São Jorge, em estilo Neoclássico, localiza-se na parte norte da Spianada. Foi construído em 1824 pelos ingleses e é hoje sede do Museu de Arte Asiática. O museu foi criado em 1927, sendo o único especificamente dedicado à arte da Ásia em todo o país. Tudo começou quando um diplomata originário de Corfu, Gregorio Manos, ofereceu a sua colecção de cerca de dez mil artefactos japoneses e chineses ao município. Nos anos 70 o espólio foi enriquecido com as doações de Chatzivasiliou, Siniosoglou e Almanachos, que trouxeram para o museu peças de arte da Índia, Paquistão, Indochina, Tailândia, Nepal, Tibete e Coreia. O museu está aberto das 8:30 às 14 horas, encerrando às Segundas-feiras.

6. Monumento de Menecrates

O Monumento de Menecrates pode ser visto na área de Garitsa, a sul da cidade antiga. O monumento foi construído por volta do ano 600 a.C. e descoberto em 1843. Trata-se de um memorial à morte de Menecrates mas não de um túmulo. Na realidade, Menecrates, o cônsul de Corfu em Oiantheia – uma cidade antiga na região de Galaxidi – morreu no mar. O monumento é circular e inclui uma inscrição fúnebre com dez versos que se encontra em excelentes condições. A área onde o monumento se encontra foi de facto um cemitério na Antiguidade, e no Museu Arqueológico de Corfu encontra-se uma estatueta de um leão, feita de mármore, que se crê ter feito parte deste monumento.

7. Mon Repos

Trata-se de um bonito palacete, construído em 1928 para servir de residência de Verão para o Alto Comissário Britânico para as Ilhas Jónicas, Frederick Adam. Em 1832 Adam foi enviado para a Índia e a casa pouco foi usada pelos seus sucessores. Em 1833 abriu aqui uma escola de belas artes e em 1834 os jardins envolventes foram abertos ao público. Imperatriz da Áustria-Hungria, Isabel I, ficou aqui alojada e apaixonou-se por Corfu, construindo mais tarde o seu próprio palácio na ilha. Após a união com a Grécia, em 1864, a casa foi oferecida ao rei grego, que lhe deu o seu actual nome. Manteve-se na posse da Casa Real até 1967, quando Constantino II partiu para o exílio. O palacete ficou abandonado até à década de 90, quando foi recuperado. Hoje em dia encontra-se aqui alojado um Museu Arqueológico.

8. Igreja de São Espiridião

Esta igreja encontra-se no centro histórico da cidade de Corfu, tendo sido construída em 1590 com uma nave única. A sua arquitectura evidencia a influência veneziana, e o topo da torre sineira, adicionada em 1620, é o ponto mais alto de Corfu. As relíquias de São Espiridião, o patrono da ilha, podem ser encontradas por detrás do altar desta igreja. Os seus restos mortais repousam numa tomba criada em Viena em 1867, e todos os anos são levados em procissão por quatro ocasiões. Atente-se nos frescos no tecto da nave.

9. Templo de Ártemis

Trata-se de um templo arcaico grego construído por volta de 580 a.C. na antiga Korkyra, onde House se encontra um subúrbio da cidade de Corfu, Garitsa. Os restos do templo foram encontrados por soldados franceses quando cavavam trincheiras. Dedicado a Ártemis é o primeiro templo dórico conhecido construído apenas em pedra e o primeiro onde foram usados os princípios estilísticos da arquitectura Dórica. Tinha oito colunas na fachada e dezassete laterais, medindo 48 metros de comprimento e 22 metros de largura. Na frente erguia-se uma enorme escultura de uma criatura mítica feminina – Gorgon – que deveria guardar o templo. O frontão do templo, a parte triangular no seu topo, encontra-se hoje no Museu Nacional, em Atenas.

Tours em Corfu – Grécia

Museus em Corfu

1. Museu Bizantino de Antivouniotissa

Este museu encontra-se alojado no interior da Fortaleza Antiga, no interior de uma igreja dedicada à Virgem Maria (Kyra Antivouniotissa), uma das mais antigas de Corfu, datando do século XV. Apesar do seu nome, o espólio incide precisamente sobre o período após a queda de Bizâncio, com peças desde o século XV até ao século XX. Em 1979 os proprietários da igreja, um grupo de privados, doou o templo ao Estado para ser convertido em museu. O Museu Bizantino de Antivouniotissa foi inaugurado em 1984 e renovado em 1994. Encontra-se aberto todos os dias excepto às Segundas-feiras.

Roteiros em Corfu

ROTEIRO CORFU
ROTEIRO CORFU

Algumas ideias de roteiros para você preparar as suas férias em Corfu de maneira independente. Itinerários de turismo em Corfu na Grécia.

1 Dia em Corfu: passo-a-passo

  • Manhã: Brevemente…
  • Tarde: Brevemente…

2 Dias em Corfu: passo-a-passo

  • Dia 1 Manhã: Brevemente…
  • Dia 1 Tarde: Brevemente…
  • Dia 2 Manhã: Brevemente…
  • Dia 2 Tarde: Brevemente…

Procura um Hotel em Corfu?
Hotéis em Corfu

Guia de Viagem à Grécia

João Leitão VIAGENS no Instagram

Instagram Joao Leitao