Visitar Tashkent, Uzbequistão: Roteiro e Guia Prático de Viagem

Tashkent City Guide – Guia de Cidade – Visitar Tashkent

VISITAR TASHKENT
Visitar Tashkent, Uzbequistão: Roteiro e Guia Prático de Viagem

Tashkent é a capital do Uzbequistão, uma cidade com quase dois milhões e meio de habitantes e com muito para oferecer aos seus visitantes: marco histórico da Rota da Seda, conjuga elementos clássicos com uma mostra de arquitectura da era soviética e uma mão cheia de prometedores museus. Visitar o Uzbequistão e não passar por Tashkent, é deixar para trás um destino importante que vale a pena conhecer.

Visitar Tashkent – O importante a saber

Tashkent é um paraíso para o viajante: as pessoas são amigáveis, os preços agradáveis, a comida é diversificada e saborosa, e nas suas ruas encontram-se atractivos que manterão o visitante entretido durante muitos dias. É uma cidade com uma História imensa, tendo-se desenvolvido ao longos dos séculos graças à influência da Rota da Seda. Contudo depois dos planos de modernização Soviéticos e o devastador terramoto de 1966 pouco restou da antiga Tashkent. Há ainda traços desse passado, é certo. Uma série de mausoléus, mesquitas e a Madraça Kukeldash são testemunhos dos séculos idos. O visitante poderá usar o conveniente sistema de metro para se deslocar aos pontos de interesse mais periféricos e percorrer o centro da cidade a pé, visitando os muitos museus de qualidade, espreitando os mercados de rua e observando os traços arquitectónicos da era Soviética. Se desejar um pouco de tranquilidade, recomenda-se o bonito Jardim Botânico.

Dicas rápidas para Tashkent

  • Acorde cedo e seja o primeiro a entrar nos monumentos, museus ou outros locais de interesse
  • Suba à Torre de televisão de Tashkent – a melhor vista da cidade
  • Há muitos museus em Tashkent, aproveite para explorar alguns
  • Faça uma free walking tour
  • Os uzbeques são pessoas muito comunicativas. Será normal receber convites para sair à noite para jantar ou um bar
  • Há muitos cafés modernos na cidade, cheios de jovens estudantes
  • Dê tempo para explorar o mercado Chorsu Bazaar

Para saber quando ir a Tashkent você precisa de se informar um pouco melhor acerca das suas estações e clima. A melhor altura para visitar Tashkent é entre os meses de Abril e Outubro, uma vez que apresentam temperaturas excelentes para fazer turismo na Uzbequistão.

Vídeo com imagens aéreas de Tashkent

Vídeo muito bom para podermos ver as diferentes partes turísticas desta cidade.

Principais Pontos Turísticos e Monumentos em Tashkent

  1. Museu Amir Timur
  2. Museu de Artes Aplicadas
  3. Jardim Botânico
  4. Museu de História do Uzbequistão
  5. Museu de Arte de Tashkent
  6. Mercado de Chorsu
  7. Madraça Kukeldash
  8. Praça Amir Timur
  9. Catedral de São Alexandre Nevsky
  10. Os Mausoléus de Tashkent
  11. Torre Tashkent
  12. Mesquita Teleshayakh
  13. Mesquita Menor
  14. Catedral da Sagrada Assunção
  15. Praça da Independência
  16. Mesquita Juma
  17. Monumento à Coragem no Terramoto
  18. Catedral do Sagrado Coração de Jesus
  19. Monumento da Independência
  20. Museu dos Caminhos de Ferro

O que visitar em Tashkent –
Uzbequistão

Tashkent no Uzbequistão tem imenso para ver, por isso é conveniente organizar um pouco a sua visita para conseguir ver o máximo possível, de forma mais organizada, contribuindo assim para usufruir de umas férias mais proveitosas.

1. Madraça Kukeldash

Esta madraça foi construída em 1570 como parte do conjunto arquitectónico que então constituía a praça central de Tashkent, sendo um projecto da iniciativa de Dervish Khan, vizir de Tashkent durante a dinastia Sheibanida, cuja alcunha era “Irmão de Leite” (Kukeldash). Construída como madraça, no século XVIII foi transformada numa hospedaria para os mercadores que percorriam a Rota da Seda e mais tarde, já no século XIX, foi utilizada como instalação militar e como local de execução pública pela dinastia Kokhand. Após 1865 a condição do edifício foi decaindo, abalada por dois tremores de terra sucessivos, e restaurada em diversas fases no decorrer da segunda metade do século XX. Hoje em dia desempenha as funções de escola religiosa acolhendo também os fiéis que aqui desejam orar e os visitantes que admiram especialmente o trabalho de mosaicos do seu portal de entrada.

2. Praça Amir Timur

Esta grandiosa praça recebeu o nome de Amir Timur, o governante mongol que se tornou símbolo do sentimento nacional Uzbeque, localizando-se no centro geográfico e funcional de Tashkent. É servida por uma estação de metro e no seu centro o visitante encontrará uma estátua equestre de Amir Timur enquadrada por uma linha de árvores centenárias. A praça foi concebida em 1870 pelos arquitectos ao serviço do Czar da Rússia, recebendo então o nome de Praça Constantino. Desde essa altura o monumento focal foi alterado por diversas vezes: primeiro foi o General Kauffman, substituído em 1917 pelo monumento aos Trabalhadores Livres, que em 1927 deu lugar a um monumento comemorativo do décimo aniversário da Revolução; em 1947 chegou o monumento a Estaline e, finalmente, em 1967 foi ali colocada uma estátua de Marx que deu lugar à actual escultura equestre em 1993. A ampla praça é rodeada pelos edifícios da Faculdade de Direito, do Museu Amir Timur, pelo Hotel Uzbequistão, pelo Palácio do Fórum e pelos Carrilhões de Tashkent.

3. Mercado de Chorsu

Existem muitos mercados ou bazares em Tashkent, mas o de Chorsu é o mais famoso e porventura o mais antigo, já que neste local tem existido um mercado desde há séculos. O seu núcleo encontra-se num edifício de arquitectura singular, como se fosse uma enorme cúpula, com cerca de 350 metros de diâmetro. Esta estrutura é uma adaptação moderna da tradição Uzbeque, segundo a qual os mercados se faziam sob cúpulas capazes de proteger comerciantes e produtos do calor e da areia do deserto. Existem algumas extensões envolventes e uma secção ao ar livre. Localiza-se junto à Madraça Kukeldash e à Mesquita principal de Tashkent, na parte sul da cidade. Aqui se podem encontrar especiarias, frutos secos e produtos alimentares frescos, como vegetais, carnes, frutas e lacticínios e em redor do bazar existem lojinhas com comida de rua. Há também sapatarias, venda de artesanato e de trajos típicos e choykanas – casas de chá tradicionais. Todos os dias há mercado.

4. Catedral de São Alexandre Nevsky

Apesar da maioria da população Uzbeque ser muçulmana, existe uma boa percentagem de cristãos e existem em Tashkent diversas igrejas entre as quais se destaca a Catedral de São Alexandre Nevsky. A construção do templo iniciou-se em Dezembro de 1902, em terrenos anexos ao cemitério Botkin, na zona central da cidade. As verbas necessárias provieram dos cofres do município e de doações particulares, tendo a obra ficado a cargo do Engenheiro F. Smirnov e do Arquitecto Aleksandr Aleksandrovich Burmeyster. Ao longo da sua vida a igreja ultrapassou os danos causados pelo grande terramoto de 1966 e por um violento incêndio que ali lavrou. Foi devidamente restaurada e hoje em dia o seu aspecto não difere muito do original. O seu exterior é dominado pelas branco intenso do revestimento em mármore e pelo azul das suas cúpulas. No interior do templo destacam-se as pinturas nas paredes, representando homens santos, anjos e arcanjos.

5. Jardim Botânico

O Jardim Botânico de Tashkent localiza-se na zona nordeste da cidade, no bairro de Yunusabad, ocupando uma área total de 66 hectares, dois quais 40 são cobertos pelo arboretum. O visitante pode aqui encontrar mais de 4.500 espécies vegetais, representando a flora da Ásia Central, do Cáucaso, do Extremo Oriente, da Europa e do Cáucaso. O Jardim foi inaugurado em 1959, graças à acção do académico Fedor Rusanov, oferecendo ao visitante um ambiente calmo que contrasta com o bulício da cidade que o envolve. Existem diversas estufas, onde são conservadas espécies mais vulneráveis, e uma série de lagos onde crescem bonitos nenúfares. O jardim está aberto todos os dias excepto Segundas-feiras, das 10:00 às 17:00.

6. Mausoléus de Tashkent

Os mausoléus históricos de Tashkent são um dos seus atractivos, destacando-se três: o de Sheykh Zayniddin-Bobo, o de Sheikhantaur e o de Anbar-Bibi. O primeiro encontra-se na zona oeste da cidade, abrigando os restos mortais do místico e dos seus seguidores mais próximos, tendo sido construído por Amir Timur, próximo do local onde o Sheykh Zayniddin-Bobo passou quarenta dias em meditação, e reconstruído no século XIX. O segundo está integrado num conjunto construído originalmente no século XIV, onde repousa para a eternidade o poeta sufi Sheikhantaur, um dos patronos de Tashkent que viveu no século XII. Existe ali um lago habitado por peixes sagrados, que são alimentados pela multidão que visita o mausoléu, onde é comum avistar-se homens do clérigo recitando poesia. Por fim, Anbar-Bibi, conhecida como a mulher sufi, esposa de Suleiman Bakirgani e, após o falecimento deste, de Zangi-Ota. Não é conhecida a data da construção original do seu mausoléu, mas terá sido pelos séculos XIV ou XV, talvez por iniciativa de Amir Timur, e foi renovado em 1946.

Museus em Tashkent

1. Museu Amir Timur

Este museu, inaugurado em 1996, é dedicado ao governante mongol Amir Timur, também conhecido como Tamerlane, tendo surgido num contexto de procura de uma identidade própria no Uzbequistão, nos anos que se seguiram à independência. Tem uma colecção de mais de cinco mil artefactos, dos quais dois mil estão expostos nas salas de exibição. Todos os aspectos da vida e da obra de Amir Timur estão cobertos na exposição, que é visitada anualmente por mais de dois milhões de pessoas. O edifício foi construído segundo o estilo arquitectónico tradicional, com uma cúpula inspirada no mausoléu de Gur-i Amir em Samarkanda. Para além dos aspectos mais visíveis, desenvolve-se no museu um vasto trabalho na área da investigação histórica e da formação dos jovens uzbeques. O museu surge representado nas notas de 1.000 SUM.

2. Museu de Artes Aplicadas

Este museu está alojado numa bonita casa do início do século XX, por si só um excelente exemplo de artes aplicadas. Pertenceu a Alexander Polotsev, um diplomata da Rússia Imperial, que iniciou a colecção. Com a Revolução de 1917 o património foi nacionalizado e 1927 o museu abre ao público, na altura como Museu do Artesanato. A sua colecção actual é constituída por mais de sete mil peças, divididas em três categorias: trabalhos realizados segundo os preceitos tradicionais, materiais preparados desde o início do século XIX e, finalmente, objectos criados nos últimos anos. Parte da exposição, nomeadamente as secções têxtil e de cerâmica, estão legendadas em inglês. Existe no museu um café e uma loja.

3. Museu de História do Uzbequistão

Este museu é considerado por alguns como a instituição científica mais antiga da Ásia Central, tendo nascido em 1876, apesar de desde então ter mudado várias vezes de nome e de instalações. É gerido pela Academia de Ciências do Uzbequistão e localiza-se próximo da praça da Independência. A sua colecção é composta por 250.000 peças, talvez o espólio museológico mais extenso de toda a região. Existe também no museu um significativo acervo de provas fotográficas, com cerca de 35 mil negativos, quase todos do século XX. O edifício que aloja o museu apresenta uma arquitectura de influência socialista com elementos tradicionais Uzbeques. O conceito da estrutura apresenta-se em forma cúbica, algo que na simbologia local representa Eternidade. Provavelmente o elemento mais importante da exposição é o esqueleto do homem Pré-Histórico de Selangor que se estima ter 1,5 milhões de anos.

4. Museu de Arte de Tashkent

O Museu de Arte de Tashkent – ou Museu de Belas Artes – foi instituído em 1918, reunindo então a colecção privada do príncipe Nikolay Romanov. A partir desse núcleo a colecção do museu cresceu, através de doações recebidas de outros museus da União Soviética e de artistas Uzbeques, tendo actualmente cerca de 50.000 peças no seu acervo. O Museu está aberto ao público de Terça-feira a Domingo, entre as 10:00 e as 17:00 e o bilhete custa o equivalente a 2 Euros. A colecção abrange hoje um rico leque de artistas europeus, asiáticos, russos e, claro, nacionais. Podem-se destacar, por exemplo, as telas avant-garde de A. Benoit, B. Kustodiev, V. Serov, K. Korovin, A.Lentulov e K.Malevich. O edifício, tal como o do Museu de História, tem uma forma cúbica, associada à Eternidade na cultura Uzbeque.

Mapa de Tashkent, Capital do Uzbequistão

Aqui você encontra ummapa de Tashkent, a capital do Uzbequistão.

Clique no mapa para aumentar e explorar melhor.

Mapa de Tashkent

Roteiros em Tashkent

Algumas ideias de roteiros para você preparar as suas férias em Tashkent de maneira independente. Itinerários de turismo em Tashkent no Uzbequistão.

1 Dia em Tashkent: passo-a-passo

  • Manhã: Brevemente…
  • Tarde: Brevemente…

2 Dias em Tashkent: passo-a-passo

  • Dia 1 Manhã: Brevemente…
  • Dia 1 Tarde: Brevemente…
  • Dia 2 Manhã: Brevemente…
  • Dia 2 Tarde: Brevemente…

Guia de Viagem à Uzbequistão

Procura um Hotel em Tashkent?
?Hotéis em Tashkent

João Leitão VIAGENS no Instagram

Instagram Joao Leitao