Festival de Fez de Música Sagrada • Marrocos

Festival de Fez de Música Sagrada em Marrocos
Festival de Fez de Música Sagrada em Marrocos

O Festival de Fez é um evento com 25 anos de história, tendo a sua primeira edição realizada no ano de 1994. Ele acontece todos os anos entre o final de Maio e o início de Junho e geralmente tem a duração de 10 dias, com ingresso total no valor de 350 euros, que inclui a entrada em todos os dias do evento. Podem-se comprar bilhetes individuais para cada um dor concertos. Há ainda, muitos concertos com entrada grátis.

O festival é como a Medina de Fez: atravessar as suas portas é uma maneira de imergir nas tradições milenares fassias, valores de tolerância e espiritualidade.

O festival é um diálogo de culturas e religiões, que contribui por tornar mais conhecidos os valores e a cultura de Marrocos, marcados pelo espírito de acolhimento e riqueza de seu património.

Na edição de 2019, que aconteceu entre os dias 14 e 22 de Junho, a cidade de Fez recebeu representantes de mais de trinta países e vários destaques como a Orquestra Mundial da Juventude, Sami Yousuf, um dos maiores cantores de sufismo (corrente mística e contemplativa do Islamismo), o cantor libanês Marcel Khalife, canções e danças rituais de mulheres cubanas, flamenco com José Merce e Tomatito, a arte de Muwashah Aleppo, as canções sagradas da Pérsia, entre outras atracções.

Porquê Fez?

A cidade de Fez é considerada um centro cultural e espiritual de Marrocos, que mantém as suas tradições.

Embora seja animada e hospitaleira, a cidade não entrega os seus segredos instantaneamente. Do alto de suas colinas vê-se  um mar de telhados de cobre e fortificações.

Por muitos séculos, Fez foi a capital de Marrocos, e mesmo que hoje a capital seja Rabat, Fez permaneceu um centro de encontro e troca de cultura e conhecimentos. Os pensadores, pesquisadores, artistas, e homens e mulheres de fé que a cidade acolheu são inumeráveis.

Por exemplo, é relatado que Silvestre II, Papa de 999 a 1003, estudou em Fez durante a sua juventude. No século XII, Maimonides, um médico e filósofo judeu, ensinou em Al Quaraouiyine, que segundo a UNESCO, é a universidade mais antiga do mundo e que está em operação até os dias de hoje. 

O Festival de Fez é um evento que atrai um bom número de pessoas que podem aproveitar para visitar a cidade milenar que se renova graças à iniciativas do Rei de Marrocos, Mohammed VI (ou Maomé VI), que restaurou as madraças e foundouks da Medina de Fez, proporcionando uma óptima experiência aos visitantes destes locais.

É esta renovação e ao mesmo tempo memoria da história de Marrocos que o Festival e seu Fórum querem fazer brilhar internacionalmente, para imprimir a marca de Fez

E graças a uma nova orientação da estratégia de parcerias e comunicação voltada para o transbordamento de media-digital, a atractividade turística de Fez foi fortalecida e a cidade experimentou um aumento no número de visitantes.

As diversas apresentações musicais do festival, com artistas do mundo todo, acontecem nos locais mais importantes desta cidade imperial, que se é um óptimo cenário para o evento.

As festividades desdobram-se em locais com alto valor patrimonial, que merecem ser valorizados, como o Bab Makina, onde uma vez se realizaram as cerimónias oficiais do palácio real.

O conceito do festival

O Festival de Fez é a oportunidade de debater e ouvir personalidades que inspiram por suas ideias e criações de uma cultura de paz, respeito e reconhecimento de tudo o que alimenta todas as formas virtuosas da espiritualidade.

Em resumo, tudo o que dá sentido ao conhecimento e valida a consciência humanista é encontrado neste evento

Todas as culturas, tão específicas e excepcionais, são frágeis e preciosas. Crenças, línguas, histórias, estilos de vida e costumes são diferentes, mas também são, acima de tudo, fontes inesgotáveis ??de sabedoria, paz e prosperidade.

Para explorar um pouco mais alguns dos principais temas que este diálogo entre culturas aborda, podemos citar os três a seguir: 

  1. Conhecer antes de julgar ou ter contacto com a ideia antes de formar uma opinião.
  2. Saber os fundamentos necessários para um diálogo entre culturas.
  3. Entender os estilos de vida em cidades tradicionais, como em Medinas, por exemplo, e os valores espirituais de respeito.
Categorias Marrocos Etiquetas

João Leitão VIAGENS no Instagram

Instagram Joao Leitao