🐪 » Viagem de grupo 7 dias em Marrocos por 430 Euros » Marrakech até Deserto do Saara » Mais info em MARROCOS.COM « 🐪

🌍 Visitar Líbano – Roteiros e Dicas de Viagem

Actualizado em 28 Julho, 2017
VISITAR LIBANO

Visitar Líbano – Roteiros e Dicas de Viagem

Guia de Viagem

Viajar no Líbano – informação de viagem.

Tudo sobre visitar os melhores locais e destinos do Líbano. Ideias de roteiros e itinerários com informação de alojamento, transporte, muitas galerias de fotografias, restaurantes, vídeos e mapas.

Organize as suas férias no Líbano. Alguma pergunta ou opinião deixe um comentário no fim da página.

Nesta página você encontra:

  1. República do Líbano – Informação prática
  2. Turismo no Líbano – Apresentação
  3. História, Geografia e Cultura
  4. Clima e Quando ir
  5. Vídeo do Líbano
  6. Resumo de viagem ao Líbano
  7. Guia de Viagem: artigos para consultar
  8. Roteiros no Líbano – 4 dias, 7 dias, 11 dias
  9. Locais UNESCO no Líbano
  10. Kit de Viagem

Obrigado.

República do Líbano

Bandeira Libano

Bandeira do Líbano

  • Capital: Beirute.
  • Línguas oficiais: Árabe.
  • Presidente: Michel Aoun.
  • População 2005: 6.184.701 habitantes.
  • Moeda: Libra Libanesa.
  • Área Total: 10.452 km².
  • Fuso horário: UTC +3.
  • Código telefónico internacional: +961.
  • Clima: Mediterrânico temperado.
  • Visto: Para portugueses não há visto, só carimbo à chegada, no aeroporto. Atenção que qualquer vestígio de uma visita prévia a Israel resultará na recusa de entrada no país.
  • Fronteiras: Síria e Israel.
  • Locais a não perder: Beirute, Baalbek, Anjar, Harrisa, Tyre.
  • Quando visitei o Líbano: Julho 2017.
MAPA LIBANO

Mapa da localização geográfica do Líbano no Mundo

Turismo no Líbano, Roteiros de Viagem

VIAGEM LIBANO

Templo de Baco – Viagem Líbano

O Líbano é um país fascinante para passar férias.

Durante vários anos tentei arranjar tempo para visitar o Líbano. Parece que várias tentativas falhadas me afastaram de conseguir descobrir este destino e com isto passou-se praticamente uma década sem conseguir lá por os pés. Demorou, mas finalmente consegui encaixar uma semana algures no meio da minha viagem à Grécia e Albânia. Estar em Atenas proporcionou a ocasião ideal para comprar um bilhete de avião para Beirute e voltar novamente para a capital grega.

Tive então o prazer de visitar locais como o Castelo dos Cruzados e o mercado antigo em Byblos, as incríveis grutas de Jeita, as ruínas de Baalbek, e as ruínas de Anjar mesmo junto à fronteira com a Síria. Além destes destinos tive ainda um par de dias para conhecer e explorar a capital Beirute.

7 coisas que gostei no Líbano

  • As pessoas super simpáticas e acolhedoras
  • A história ancestral do país
  • O facto de não haver turistas
  • Comida do Médio Oriente
  • As impressionantes ruínas romanas em Baalbek
  • Beber um milkshake no Bay Rock Café em Beirute
  • Mercado antigo de Byblos

Apresentação da História, Geografia e Cultura:

VIAJAR Líbano

Paisagem da Pigeons Rock em Beiture, Viajar Líbano

A história do Líbano fez o que o país é hoje, uma complexa sucessão de influências culturais e religiosas desde os tempos quase imemoriais em que ali por perto se levantou a poderosa civilização Egípcia e por aqui viviam os Fenícios, que tocaram com a sua cultura, tantas áreas costeiras da Europa. Depois vieram os Romanos e chegou o Cristianismo. Seguiram-se os árabes que trouxeram uma nova religião, o Islão, continuada por estas paragens pelos Otomanos que aqui governaram desde o início do século XVI até já ao século XX, quando cederam o que é hoje o Líbano à França, na sequência da derrota na I Guerra Mundial.

Inicia-se um novo ciclo na história da região, agora influenciada pelos franceses, que se manterão por ali até à independência do moderno Líbano, um processo iniciado em 1943 e concluído em 1946.

Durante boa parte da segunda metade do século XX o Líbano foi um país extremamente próspero. Sem os recursos petrolíferos de outras nações da região, tornou-se mesmo assim um centro financeiro e empresarial ganhando nos anos 60 o nome de “Suíça do Médio Oriente”.

Contudo a tensão crescente entre os vários grupos religiosos existentes no Líbano conduziu a uma complexa guerra civil, envolvendo diversas facções cristãs e muçulmanas, que entre 1975 e 1990 destruiu o país. Actualmente vive-se um equilíbrio que tem possibilitado a reconstrução da nação.

A geografia do Líbano assenta nas suas quatro grandes regiões: o planalto costeiro, a serra do Líbano, o vale de Bekah e a serra chamada de Antí-Líbano. Na primeira destas regiões vive a maioria da população, que usufrui da fertilidade das terras, deixando as montanhas quase intocadas. Mas o vale do Bekah, situado entre as duas cordilheiras indicadas, oferece também excelentes condições para a presença humana, com boas terras de cultivo. O ponto mais alto do país é o Mount Hemon, a 2.814 m.

A cultura do Líbano resulta de uma complexa conjugação de influências estrangeiras e de diferentes religiões, apresentando um mosaico de tradições provenientes dos cristãos maronitas, dos druzos e dos muçulmanos, xiitas e sunitas. Será talvez o país do mundo onde existe uma divisão quase a meio entre cristãos e muçulmanos.

Clima e Quando ir:

Para saber quando ir o Líbano você precisa de se informar um pouco melhor acerca das suas estações e melhor clima. Para visitar o Líbano deverá estar preparado para enfrentar elevadas temperaturas que podem chegar aos 45 graus no pico do calor. Qualquer altura é boa para ir, mas a Primavera e o início do Outono oferecem condições mais favoráveis para explorar o país de forma confortável. Note que ao contrário da ideia comum que temos da região, chove com abundância durante boa parte do ano. Se a precipitação é um problema, tente visitar no Verão.

O clima do Líbano está sob a influência do Mediterrânico. O Líbano não é um país muito grande e seu clima não tem muita diferenças segundo as regiões, variando mais com a altitude. É marcadamente um clima Mediterrânico, temperado, com características muito próximas do clima de Portugal. Por exemplo, as regiões costeiras têm menos amplitude térmica, com Verões mais frescos e Invernos menos rigorosos, enquanto as montanhas são cobertas de neve e assim se mantêm por vezes até Junho.

O que visitei / Resumo de viagem ao Líbano

Por ordem de visita.

Beirute, Líbano
A Beirute de hoje é uma combinação de elementos modernos e antigos, ainda com algumas cicatrizes da longa guerra civil que se estendeu até 1990. A Baixa é ao mesmo tempo um dos bairros históricos e uma das áreas mais animadas da cidade. A rua Hamra é essencial: durante boa parte da segunda metade do século XX foi o centro da vida cultural libanesa, mas nos dias de hoje modernizou-se e é a zona de festa e animação da capital. A Avenida Marginal, construída pelos franceses, é outro dos locais a não perder, estendo-se por 5 km, desde a baía de São Jorge até Ramlet al-Bayda. Ali se pode ver a vida do jet set libanês, sendo a área mais cosmopolita da cidade. E ali perto podem-se visitar as Rochas do Pombo, uma série de formações rochosas que se erguem das águas do Mediterrâneo. Eu bebi um sumo no famoso café Bay Rock com vista espectacular para o mar. Uma visita ao campus da Universidade Americana também se recomenda, para um cheirinho do que era Beirute antes da Guerra. Um dos meus lugares preferidos é a Praça Nijmeh, com a torre do relógio, a Catedral de São Jorge (Ortodoxa Grega)e de onde podemos ter uma vista panorâmica das ruínas romanas, da mesquita Mohammad Al-Amin e da Catedral São Jorge (Maronita).
Byblos, Líbano
Esta localidade histórica, localizada a cerca de 35 km a norte de Beirute, terá sido a primeira cidade Fenícia, mas nos últimos cinco mil anos por lá passaram Egípcios, Assírios, Persas, Gregos, Romanos, Cruzados Cristãos, Mamelucos e Otomanos. Em Byblos poderá o visitante explorar os baluartes medievais e os mercados tradicionais, repletos de cores e de aromas, distribuídos por encantadoras ruas adornadas pelas cores de buganvílias sempre em flor. Não se pode perder a cidadela dos Cruzados e o antigo porto, localizado sob a fortaleza. Ideal para ver o pôr-do-sol com um petisco libanês e vista para as águas onde deste ponto há tantos milhares de anos os exploradores Fenícios saiam para o mundo.

Harissa, Líbano
Não muito longe de Beirute, vamos encontrar Harissa e Daraoun, duas aldeias que formam um município. Ali, no Monte Líbano, ergue-se o monumento a Nossa Senhora do Líbano, uma estátua de bronze pesando 15 toneladas e tendo quase 10 metros de altura. Chega-se ao local desde a cidade costeira de Jounieh, podendo-se apanhar o teleférico que transporta os visitantes directamente ao local do monumento. Apesar de ser o local de culto essencialmente cristão, é também muito apreciado pelos muçulmanos libaneses que veneram Nossa Senhora do Líbano. Mesmo os menos religiosos gostarão do ambiente especial que se vive no local e das fabulosas vistas sobre Jounieh e sobre o mar Mediterrâneo. O Papa João Paulo II visitou Harissa em 1997.
Anjar, Líbano
Pegada junto à fronteira com a Síria, este vasto vestígio arqueológico tem algo que o distingue de todos os outros locais do género do Líbano. Enquanto em sítios como Baalbek existe uma sobreposição civilizacional, em Anjar tudo se resume a um só período: o dos árabes da dinastia Umayyad, que tinham a sua capital em Damasco, não muito longe daqui. A vida de Anjar foi breve. Fundada entre 705 e 715, foi arrasada pelos Abássidas em 744 e deixada ao abandono desde então. O nascimento de Anjar prendeu-se com a localização, numa encruzilhada entre duas rotas comerciais de grande importância (Beirute – Damasco e Homes Tiberiade), tendo a cidade tornando-se um entreposto comercial interior, localizado no Vale de Bekah.
Baalbek, Líbano
Localizada no vale de Bekah, próximo da fronteira com a Síria, esta é uma antiga cidade Fenícia e a Heliopolis de Alexandre o Grande. Os Romanos vieram mais tarde e desenvolveram significativamente a cidade e ali construíram o templo de Jupiter Baal, considerado o mais ornamentado e imponente edifício religioso da história do Império Romano. Eventualmente os árabes ocuparam a área depois de derrotarem os bizantinos na batalha de Yarmouk e ali construíram uma mesquita depois de destruírem os elementos cristãos do complexo. A cidade sobreviveu aos séculos e às guerras que por ela passaram, mas os Otomanos não se interessaram por Baalbek e aos poucos os monumentais templos foram-se degradando, chegando até nós depois de um bom trabalho de recuperação desenvolvido por arqueólogos alemães no início do século XX. O templo de Bacchus será talvez o mais impressionante de Baalbek, pelo relativo estado de conservação e pelas suas dimensões majestosas.

Roteiros no Líbano

Algumas ideias de roteiros para você preparar as suas férias no Líbano de maneira independente. Itinerários de turismo no Líbano.

4 Dias: Líbano Express
Dia 1: Beirute
Dia 2: Beirute – Gruta de Jeita – Byblos – Harissa – Beirute
Dia 3: Beirute – Anjar – Byblos – Beirute
Dia 4: Beirute
7 Dias: Top Líbano a partir de Beirute
Dia 1: Beirute
Dia 2: Beirute – Gruta de Jeita – Harissa – Beirute
Dia 3: Beirute – Byblos – Beirute
Dia 4: Beirute – Anjar – Beirute
Dia 5: Beirute – Baalbek – Beirute
Dia 6: Beirute – Tyre – Beirute
Dia 7: Beirute
11 Dias: Um pouco de tudo no Líbano
Dia 1: Beirute
Dia 2: Beirute – Gruta de Jeita – Harissa – Beirute
Dia 3: Beirute – Byblos
Dia 4: Byblos – Anjar – Beirute
Dia 5: Beirute – Baalbek
Dia 6: Baalbek – Beirute – Tyre
Dia 7: Tyre – Beirute
Dia 8: Beirute – Anjar – Beirute
Dia 9: Beirute – Vale de Qadisha – Bcharre
Dia 10: Bcharre – Beirute
Dia 11: Beirute – Beit El Dein – Deir al-Qamar – Barouk Nature Preserve – Beirute

Guia de Viagem: artigos e relatos para você consultar
Locais UNESCO no Líbano
Estes são alguns dos melhores destinos para visitar no Líbano. Os locais UNESCO Património Mundial no Líbano são locais protegidos pela sua importância cultural ou natural.

Locais inscritos na Lista do Património Mundial no Líbano:

  • Anjar
  • Baalbek
  • Byblos
  • Ouadi Qadisha (o Vale Sagrado) e a Floresta dos Cedros de Deus (Horsh Arz el-Rab)

Deixe o seu comentário aqui:

João Leitão - O autor do blog:

VIVA! Sou o João - blogger de viagens. Com 20 anos de experiência como viajante independente, explorei mais de 128 países em África, Antártica, Ásia, Europa, América do Norte e Central, América do Sul e Oceânia. Bem-vindos ao meu blog de viagens, onde partilho informação prática de viagem para o motivar a sair de casa! Siga nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram, Pinterest e YouTube.

Kit de Viagem:

  • Onde eu reservo alojamento? Encontre os melhores hotéis e promoções através do Booking.com
  • Eu reservo sempre o meu carro online através do Rentalcars.com
  • Quer estar prevenido? Faça o seu seguro de viagem através do Worldnomads.com
  • 7 dias em Marrocos 430 euros desde Marrakech até ao Deserto do Saara através do Marrocos.com
  • Quer viajar e ter sempre Internet? Faça como eu e compre o aparelho da SkyRoam.com
* Esta página tem links de afiliados. Quando você reserva algo através deste blog, eu retenho uma pequena comissão que não altera o preço final. Obrigado!

Blog de viagens mencionado em:

Blog de viagens nos Media

« Seguir @joaoleitaoviagens no Instagram »